A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
31 pág.
A01a04_GovTI_WebAulas

Pré-visualização | Página 5 de 7

valor ao negócio. Recomenda-se a 
criação de um painel de indicadores; 
Implementar um endomarketing para TI: criar uma estratégia de marketing focada na comunicação interna, para 
apoiar o Programa durante a sua implementação e fazer com que as realizações sejam entendidas por todos na 
empresa. 
Ainda segundo Aragon (2008), o planejamento do Programa de Governança de TI deve adotar os conceitos de 
Gestão de Programas e Projetos, contendo, no mínimo: 
 
O trabalho de implementação do Programa de Governança de TI requer a aplicação de uma série de técnicas 
baseadas nos modelos concebidos a partir das melhores práticas do mercado. Para iniciar o trabalho é comum as 
empresas utilizarem o COBIT (Control Objectives for Information and related Technology), como referência global 
para os processos de TI. Uma vez que os processos foram identificados através do COBIT, é recomendado selecionar 
modelos específicos com as melhores práticas para cada tipo de processo e adaptá-los à realidade da empresa. 
 
 
 
 
 
Organizações de grande porte chegam a criar na sua estrutura organizacional uma área específica para governança 
de TI, como um departamento ou gerência. Já nas empresas menores a governança de TI costuma ser exercida por 
uma equipe temporária, que se forma sob demanda, dentro de uma determinada frequência, estando numa 
oportunidade medindo os benefícios alcançados, em outro momento verificando as melhorias em processos, e assim 
por diante. Aragon (2008) recomenda que a gestão da Estratégia e do Portfolio seja feita com equipes 
permanentes. 
 É importante que a empresa perceba a governança de TI como um benefício e não uma burocracia. Conduzir as 
mudanças necessárias para a governança de TI é um grande desafio já que ela altera a estrutura e mexe na forma de 
atuar de TI. Não se consegue alcançar o sucesso na governança de TI sem o apoio da alta gestão da empresa e sem a 
participação do corpo funcional. 
 REFERÊNCIAS 
 Livro : 
o FERNANDES, A. A.; ABREU, V. F. Governança de TI: da Estratégia à Gestão dos Processos e Serviços. 
Rio de Janeiro: Editora Brasport, 2008. 
o WEILL, P.; ROSS, J. W. Governança de TI, Tecnologia da Informação. São Paulo: Editora M. Books, 
2006. 
 Norma :ISO. ABNT NBR ISSO/IEC 38500:2009: Governança corporativa de tecnologia da informação. 
Nesta aula, você: 
 Aprendeu as principais decisões a serem tomadas na governança de TI. 
 Conheceu o conjunto de mecanismos de governança de TI que as empresas adotam para implementar seus 
arranjos de governança de TI. 
 Identificou os principais arquétipos de governança de TI que são utilizados por diferentes tipos de decisão. 
 Conheceu um framework de governança de TI. 
 Conheceu os requisitos necessários para que a implementação da governança de TI seja bem sucedida. 
 Conheceu os componentes necessários para fazer a gestão do ciclo de vida operacional da governança de 
TI. 
Na próxima aula iremos abordar os Controles para a Governança de TI. Compreenderemos a importância dos 
controles nos processos gerenciais das organizações e aprenderemos a identificar a necessidade de controle nos 
serviços de TI e as suas principais falhas. 
 
 
 
1. 
 Na governança de TI, cada um dos arquétipos identifica um tipo de função envolvida para tomar uma decisão de TI. Quais dos 
arquétipos abaixo estão corretos? 
 
I. Monarquia de negócio: 
Os altos executivos de negócio tomam decisões de TI que afetam a empresa toda. 
 
II. Monarquia de TI: 
Os especialistas em TI tomam as decisões de TI. 
 
III. Feudalismo: 
Cada unidade de negócio toma decisões independentes. 
 
IV. Federalismo: 
Combinação entre o centro corporativo e as unidades de negócio, com ou sem envolvimento do pessoal de TI. 
 
V. Duopólio de TI: 
O grupo de TI e algum outro grupo (por exemplo, a alta gerência ou líderes das unidades de negócio), por consenso. 
 
VI. Anarquia: 
Tomada de decisões individual ou por pequenos grupos de modo isolado, com base somente em suas necessidades locais. 
 
 1) Somente o I e VI 
 2) Somente o III e V 
 3) Somente o II e IV 
 4) Todos os arquétipos estão corretos 
 
2. 
 Quais das decisões abaixo PERTENCEM a Matriz de Arranjos de Governança de TI? 
 1) I. Decisões sobre os princípios de TI e Decisões sobre os investimentos em TI 
 2) II. Decisões sobre a arquitetura de TI e Decisões sobre a infraestrutura de TI 
 3) III. Decisões sobre as necessidades de aplicação de negócio 
 4) IV. As decisões dos itens I, II e III 
 
3. 
 São mecanismos de governança de TI: 
 1) I. Estruturas de tomada de decisão, Processos de alinhamento e Abordagens de comunicação 
 2) II. Processos de alinhamento e Abordagens de comunicação 
 3) III. Estruturas de tomada de decisão e Abordagens de comunicação 
 4) IV. Estruturas de tomada de decisão e Processos de alinhamento 
 Aula 4: Controles para a Governança de TI 
Nesta aula, você irá: 
 
1. Saber a importância de ter um gerente bem preparado para a função. 
2. Conhecer como funcionam os controles de uma forma geral. 
3. Saber por que as informações, o ambiente operacional de TI, comércio eletrônico na Internet e o 
desenvolvimento de sistemas necessitam ser controlados. 
4. Conhecer alguns recursos de proteção de rede e ambiente operacional utilizados pelas empresas. 
5. Saber por que as empresas fazem auditoria nos sistemas de informação considerados críticos para o negócio. 
Teoria do Controle 
A figura abaixo mostra um sistema que serve como modelo para explicar o funcionamento de um controle de forma 
geral. Existe um padrão que é ajustado para o valor desejado como, por exemplo, a temperatura de um ambiente 
em 22o. Por sua vez, existe um sensor que fica verificando a temperatura real do ambiente. A temperatura desejada 
e a temperatura real são comparadas através de um dispositivo de comparação e, caso haja diferença significativa 
além da tolerável, o dispositivo de comparação envia um sinal para que alguma ação seja tomada. Este ciclo se 
repete até que alguma ação seja tomada de forma que o padrão e o sensor possam apresentar uma diferença 
insignificante para o dispositivo de comparação. 
 
Para isto, costuma utilizar referências que possam indicar, comparativamente com padrões previamente 
estabelecidos, se existe algum desvio. Assim acontece quando se deseja manter a temperatura do escritório em 22o 
, quando se estabelece um orçamento anual para controlar as despesas realizadas, quando se limita a velocidade da 
frota da empresa para evitar acidentes e multas e quando se acompanha os mostradores nos painéis de vendas para 
atingir as metas da empresa. A tecnologia da informação auxilia nesses controles, mas também precisa ser 
controlada porque as organizações estão cada vez mais dependentes dela. 
Este conceito pode ser levado para o entendimento da lógica de funcionamento dos controles dentro de uma 
empresa. Os administradores estabelecem padrões e ficam acompanhando as variações que ocorrem no dia-a-dia da 
organização, normalmente através de indicadores. Quando algum desses indicadores sai do padrão, a administração 
toma providências para que a organização volte para o controle. 
Controle na Organização 
Os controles ocorrem em todos os níveis da organização. A figura 2 mostra algumas ferramentas de controle 
administrativo que são úteis para os administradores controlarem a empresa. 
 
 
 
Informação e Controle 
Os sistemas de informação automatizados vieram contribuir bastante para o aumento de controle. Por exemplo, um 
sistema de orçamento permite acompanhar cotações em tempo real, integrar com outros sistemas através de 
webservices, enfatizar produtos diferentes, alterar cronogramas de produção, facilitar na redução de despesas e 
auxiliar os administradores a identificar distorções e tomar providências. 
Apesar de toda essa facilidade, os sistemas de informação acabam também criando problemas de controle,