Buscar

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 4 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

1 
Collab: Khilver Doanne Sousa Soares & Estefany de Sousa Mendes 
Material restrito, favor não reproduzir nem distribuir sua posse!!! Nenhum serviço de impressão e xerox pode redistribuir este material a outros clientes!!! 
De acordo com a Lei n°8.213/91, doença 
ocupacional, conhecida também como doença 
profissional, é aquela que ocorre em virtude do 
exercício da função do trabalhador. Isso 
significa que é causada pelas atividades que o 
colaborador realiza em sua rotina de trabalho. 
O trabalho, além de gerar renda, que viabiliza 
as condições materiais de vida, tem uma 
dimensão humanizadora e permite a inclusão 
social de quem trabalha, favorecendo a 
formação de redes sociais de apoio, 
importantes para a saúde. Assim, ele pode ter 
um efeito protetor, ser promotor de saúde, mas 
também pode causar mal-estar, sofrimento, 
adoecimento e morte dos (as) trabalhadores 
(as). 
Consulta clínica: 
A anamnese ou história ocupacional é o 
instrumento mais importante para o 
estabelecimento da relação entre o trabalho e 
a queixa ou doença apresentada. 
 O que você faz? Em que trabalha? Qual 
a sua atividade de trabalho atual? 
 Há quanto tempo trabalha nessa 
atividade ou ocupação? 
 Em que local, tipo de estabelecimento, 
empresa ou atividade econômica você 
trabalha? 
 Como realiza seu trabalho? Quais 
produtos, matérias-primas e 
instrumentos utiliza? 
 Como são as suas condições de 
trabalho? A que tipos de riscos ou 
perigos você está exposto em seu 
trabalho? 
 Você está satisfeito com seu trabalho? 
O que o incomoda? 
 Você acha que seu problema de saúde 
tem relação com seu trabalho? 
 Você conhece outros (as) trabalhadores 
(as) com queixas ou adoecimento 
semelhantes entre os colegas de 
trabalho? 
Classificação De Schilling 
RELAÇÃO DO TRABALHO COM O 
ADOECIMENTO 
Grupo 1: 
 O trabalho é considerado causa 
necessária. 
 Ex: Intoxicação por chumbo, Silicose, 
Asbestose 
Grupo 2: 
 O trabalho é fator de risco contributivo. 
 Ex: Doença coronariana 
 D. do aparelho locomotor; Câncer; 
Varizes dos membros inferiores 
Grupo 3: 
 O trabalho é fator desencadeante ou 
agravante de uma doença já 
estabelecida. 
 Ex: Bronquite crônica; Dermatite de 
contato; Alérgica; Asma; Doenças 
mentais 
Acidentes e trabalho 
Acidente típico: decorrente de uma causa 
súbita que agride a integridade física ou 
psíquica. É considerado fatal quando o acidente 
resulta em óbito imediatamente ou até 12 horas 
após sua ocorrência. 
2 
Collab: Khilver Doanne Sousa Soares & Estefany de Sousa Mendes 
Material restrito, favor não reproduzir nem distribuir sua posse!!! Nenhum serviço de impressão e xerox pode redistribuir este material a outros clientes!!! 
Doença profissional/ocupacional: significa que a 
relação da patologia com a exposição no 
trabalho é dependente e direta, sendo a causa 
desse adoecimento peculiar a determinado 
agente de risco. 
Doença do trabalho: adquirida ou desencadeada 
em função de condições especiais em que o 
trabalho é realizado e com que se relacione 
diretamente. 
Acidente de trajeto: aqueles que ocorrem no 
percurso da residência para o local de trabalho 
ou deste para aquela, qualquer que seja o meio 
de locomoção. 
Riscos ocupacionais 
Físicos: Ruídos, temperaturas extremas, 
iluminação e radiação ionizante e não ionizante 
(Ex: ultravioleta, infravermelho e RX). 
Químicos: Poeiras, fumos, névoas, neblinas, 
gases ou vapores (Ex: agrotóxico). 
Biológicos: Micro-organismos (bactérias, 
fungos, protozoários, vírus, entre outros). 
Animais peçonhentos (cobras, escorpiões, 
aranhas). 
Mecânicos: Máquinas com partes móveis não 
protegidas; calandras e cilindros; guilhotinas; 
prensas e o uso de instrumentos cortantes ou 
perfurantes. 
Psicossociais: Jornadas de trabalho longas, 
esforços físicos exagerados com posturas 
forçadas e carregamento de peso. Ritmo 
acelerado, trabalho repetitivo e monótono; 
trabalho em turnos e noturno. Desemprego, 
vínculos precários ou ausência de vínculo 
trabalhista. 
Riscos biológicos 
Atendimento inicial, após a Exposição: 
 Avaliar como, quando e com quem 
ocorreu a exposição. 
Quatro perguntas direcionam o atendimento 
para decisão da indicação ou não da PEP: 
1. O tipo de material biológico é de risco 
para transmissão? 
2. O tipo de exposição é de risco? 
3. O tempo transcorrido entre exposição e 
atendimento é menor que 72h? 
4. A pessoa exposta é não reagente no 
momento do atendimento 
Se todas as respostas forem SIM para alguma 
das infecções, a PEP está indicada. 
Profilaxia e cuidados com a área exposta: 
Primeira conduta: 
 Lavagem exaustiva do local exposto com 
água e sabão. Também podem ser 
utilizadas soluções antissépticas 
degermantes. 
 Nas exposições envolvendo mucosas 
(olhos, boca e nariz), deve-se lavá-las 
exaustivamente apenas com água ou 
com solução salina fisiológica. 
 Estão contraindicados procedimentos 
que ampliem a área exposta (cortes, 
injeções locais) e a utilização de 
soluções irritantes, como éter, 
hipoclorito ou glutaraldeído. 
Doenças ocupacionais 
 DORT/LER 
 DERMATOSES 
 BURNOUT 
 PNEUMOCONIOSES 
 INTOXICAÇÕES 
 PAIR 
 
3 
Collab: Khilver Doanne Sousa Soares & Estefany de Sousa Mendes 
Material restrito, favor não reproduzir nem distribuir sua posse!!! Nenhum serviço de impressão e xerox pode redistribuir este material a outros clientes!!! 
Lesões por esforços repetitivos (LER): 
Agravos decorrentes da utilização excessiva 
imposta ao sistema musculoesquelético, sem 
que haja tempo para sua recuperação 
fisiológica. 
Aparecimento insidioso, geralmente nos 
membros superiores, tais como dor, sensação 
de peso e fadiga, limitação funcional e 
parestesia. 
Etiologia multifatorial complexa que resultam 
de um desequilíbrio entre as exigências das 
tarefas realizadas no trabalho e as capacidades 
funcionais individuais. 
 Tratamento sintomático e acolhimento 
do trabalhador. 
 Implementação de mudanças nos locais 
de trabalho. 
 Eliminar ou reduzir as situações que 
determinam ou agravam. 
 Verificar possibilidade de retorno ao 
trabalho na mesma ou em outra função. 
 Prevenir a ocorrência de adoecimento 
de outros (as) trabalhadores (as). 
Dermatose ocupacional 
DEFINIÇÃO: 
São doenças da pele, mucosas e anexos direta 
ou indiretamente causadas, condicionadas, 
mantidas ou agravadas pelas condições de 
trabalho e/ou por agentes presentes nas 
atividades ou no ambiente de trabalho. 
TIPOS: 
 Dermatites Alérgicas de Contato 
 Dermatites de Contato por Irritantes 
 Urticária de Contato 
 Queimadura solar, entre outras. 
 
QUADRO CLÍNICO: 
 História de exposição ocupacional 
 Concordância entre o início do quadro e 
o início da exposição 
 Localização das lesões em áreas de 
contato com os agentes suspeitos 
 Melhora com o afastamento e piora com 
o retorno ao trabalho 
 Teste epicutâneo positivo, nos casos de 
dermatites de contato por 
sensibilização. 
TRATAMENTO: De acordo com a causa e a 
gravidade das lesões. 
 Medicamentos tópicos, como pomadas e 
cremes contendo corticoides, picrato de 
butesin, antimicóticos, prometazina, 
entre outros, se mal utilizados, podem 
produzir iatrogenia, causando 
sensibilização ou agravando o quadro 
preexistente. 
 O mesmo se aplica à medicação 
sistêmica, com utilização indiscriminada 
de anti-histamínicos, antibióticos e 
corticoides por via oral e parenteral. 
SINAIS DE ALERTA E GRAVIDADE: 
 Encaminhar à Dermatologia 
 Manter acompanhamento longitudinal e 
integrado 
Síndrome de Burnout 
A síndrome de burnout estará classificada 
como um fenômeno ocupacional, não como 
uma condição de saúde. 
A definição de burnout na CID-11 é: 
Burnout é uma síndrome conceituada como 
resultante do estresse crônico no local de 
4 
Collab: Khilver Doanne Sousa Soares & Estefany de Sousa Mendes 
Material restrito, favor não reproduzir nem distribuir sua posse!!! Nenhum serviço de impressão e xerox pode redistribuir este materiala outros clientes!!! 
trabalho que não foi gerenciado com sucesso. 
É caracterizada por três dimensões: 
 Sentimentos de exaustão ou 
esgotamento de energia; 
 Aumento do distanciamento mental do 
próprio trabalho, ou sentimentos de 
negativismo ou cinismo relacionados ao 
próprio trabalho; 
 Redução da eficácia profissional. 
É importante salientar que a síndrome 
de burnout se refere especificamente a 
fenômenos no contexto ocupacional e não deve 
ser aplicada para descrever experiências em 
outras áreas da vida. A síndrome é muito 
comum em médicos e estudantes de medicina. 
Pneumoconioses 
DEFINIÇÃO: 
Deposição de poeiras (substâncias insolúveis 
pelo organismo) no pulmão e a reação tecidual 
que ocorre por sua presença. A silicose continua 
sendo a mais prevalente no Brasil e no resto 
do mundo, principalmente nos países em 
desenvolvimento. 
TIPOS 
NÃO FIBROGÊNICAS 
 Siderose, Estanose e Baritose 
FIBROGÊNICAS 
 Silicose 
 Asbestose 
 Pneumoconiose dos trabalhadores de 
carvão 
INTOXICAÇÕES 
 Metais e semimetais (chumbo, mercúrio, 
arsênio, níquel, crômio); Solventes 
(benzeno, tolueno, hexanos, cetonas); 
Vapores (CO2, SO2, CO); Praguicidas 
(Organofosforados, Carbamatos); 
Silicatos 
Perda auditiva induzida por ruído 
(PAIR) 
É provocada pela exposição prolongada ao 
ruído. É uma perda auditiva do tipo 
neurossensorial, geralmente bilateral, 
irreversível e progride com o tempo de 
exposição ao ruído 
A maior característica da PAIR é a 
degeneração das células ciliadas do órgão de 
corti (ouvido interno), para qual não há 
tratamento eficaz e não há possibilidade de 
melhora mesmo após o afastamento ao 
trabalho (protocolo de PAIR/MS, 2006). Exame 
de Audiometria na entrada do trabalhador e 
periodicamente. 
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de 
Atenção à Saúde. Secretaria de Vigilância em 
Saúde. Saúde do trabalhador e da trabalhadora. 
Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à 
Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, 
Cadernos de Atenção Básica, n. 41. Brasília: 
Ministério da Saúde, 2019. Disponível em: 
https://renastonline.ensp.fiocruz.br/recursos/cad
erno-atencao-basica-41-saude-trabalhador-
trabalhadora. 
https://renastonline.ensp.fiocruz.br/recursos/caderno-atencao-basica-41-saude-trabalhador-trabalhadora
https://renastonline.ensp.fiocruz.br/recursos/caderno-atencao-basica-41-saude-trabalhador-trabalhadora
https://renastonline.ensp.fiocruz.br/recursos/caderno-atencao-basica-41-saude-trabalhador-trabalhadora