Buscar

Resumo Comportamento Empreendedor

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 5 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Comportamento Empreendedor 
5
Página 5 de 5
AULA 01
TEMA 1 – HISTÓRICO DO EMPREENDEDORISMO
1.1 Fases do capitalismo
1.1.1 Capitalismo comercial
1.1.2 Capitalismo industrial
1.1.3 Capitalismo financeiro
1.1.4 Capitalismo informacional
1.1.5 Capitalismo contemporâneo
TEMA 2 – CONCEITOS E CONTEXTO
TEMA 3 – TIPOS DE EMPREENDEDORES
TEMA 4 – ADMINISTRADOR, EMPREENDEDOR E GESTOR
TEMA 5 – CARACTERÍSTICAS DO EMPREENDEDOR E
INTRAEMPREENDEDOR
5.1 Intraempreendedor
AULA 02
TEMA 1 – IDENTIFICAÇÃO DE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS
TEMA 2 – FATORES A CONSIDERAR NA ESCOLHA DO NEGÓCIO
TEMA 3 – VIABILIDADE DE NEGÓCIOS
TEMA 4 – TIPOS DE NEGÓCIOS
TEMA 5 – ASPECTOS LEGAIS PARA ABERTURA DE UMA EMPRESA
AULA 03
TEMA 1 – O BMG CANVAS
TEMA 2 – PROPOSTA DE VALOR
TEMA 3 – SEGMENTO DE CLIENTES, RELACIONAMENTO E CANAIS
3.1 Segmento de clientes
3.2 Relacionamento com clientes
3.3 Canais
TEMA 4 – PARCERIAS, ATIVIDADES E RECURSOS PRINCIPAIS
4.1 Parcerias principais
4.2 Atividades principais
4.3 Recursos principais
TEMA 5 – ESTRUTURA DE CUSTOS E FONTES DE RECEITAS
5.1 Estrutura de Custos
5.2 Fontes de Receitas
AULA 04
TEMA 1 – PLANO DE NEGÓCIOS
TEMA 2 – SEÇÕES DE UM PLANO DE NEGÓCIOS
TEMA 3 – DESENVOLVENDO UM PLANO DE NEGÓCIOS
TEMA 4 – SÓCIO: TER OU NÃO TER?
TEMA 5 – FONTES DE FINANCIAMENTO
AULA 05
TEMA 1 – INICIANDO UM NEGÓCIO DO ZERO
TEMA 2 – COMPRA DE UM NEGÓCIO EM ANDAMENTO
TEMA 3 – FRANQUIAS
3.1 Etapas da franquia
3.2 Instalação da franquia
3.3 Localização da franquia
3.4 Vantagens para o franqueador
3.5 Desvantagens para o franqueador
3.6 Vantagens para o franqueado
3.7 Desvantagens para o franqueado
TEMA 4 – VENDENDO UM NEGÓCIO
TEMA 5 – EMPREENDEDORIMOS E LIDERANÇA
5.1 Estilos de liderança
AULA 06
TEMA 1 – CARACTERÍSTICAS DOS NOVOS TIPOS DE NEGÓCIOS
TEMA 2 – CRIATIVIDADE, INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO
TEMA 3 – CARACTERÍSTICAS DO NOVO CONSUMIDOR
TEMA 4 – SUSTENTABILIDADE E EMPREENDEDORISMO
TEMA 5 – CUIDADOS AO EMPREENDER
PERFIL DO EMPREENDEDOR:
· NÃO DEVE terceirizar as áreas de finanças e contabilidade do seu próprio empreendimento sem que haja EXTREMA necessidade.
· Realiza algo, mobiliza recursos e CORRE RISCOS para iniciar negócios e organizações. NÃO evita correr riscos a todo custo.
· NÃO se pode prever quais áreas necessitarão de mais ou menos investimentos ANTES de quaisquer resultados sobre o empreendimento.
· É por meio da concorrência que se aprende o que deverá ou NÃO ser feito.
· Aprender a gerenciar de forma equilibrada o pessoal, as finanças, os estoques, as tecnologias, as relações pessoais e profissionais.
· Seguir sua paixão e instinto pelo negócio NÃO é mais importante do que buscar informações de fontes do mercado externo.
· O potencial criativo do empreendedor é RELEVANTE por todas as fases da empresa, e NÃO APENAS para o seu início, importante notar que a criatividade é uma das habilidades do empreendedor (considerado um ser criativo). 
· O preparo do empreendedor NÃO é APENAS a conclusão de um curso de nível superior, e NÃO se pode afirmar que se o empreendedor NÃO fez o curso de Administração ele NÃO terá sucesso em sua empreitada.
· O empreendedor NÃO é um workaholic.
· Exige empenho e vontade, MAS também pode ser algo frustrante caso NÃO se tome alguns cuidados.
TIPOS DE CRIATIVIDADE:
1. Pura → mais divertida, pessoal, lúdica e pode estar presente em todos os momentos da vida.
2. Aplicada
OBSERVAÇÃO: 
· Bloqueios mentais NÃO são fomentadores da criatividade. Os bloqueios mentais são NOCIVOS a criatividade, e quando são identificados e trabalhados, levam o indivíduo a um novo e melhor patamar de criatividade.
· O potencial criativo do empreendedor é RELEVANTE por TODAS as fases da empresa, e NÃO APENAS para o seu início.
· Uma organização tende a ser inovadora se composta por pessoas criativas. 
· As pessoas motivadas e com espaço para desenvolverem o seu melhor são naturalmente criativas e a organização que as tem se habilita a ser inovadora. 
· A criatividade é FUNDAMENTAL na caminhada empreendedora, em todas as esferas: pessoal, GRUPAL e organizacional. 
· A criatividade NÃO É ESSENCIAL APENAS para a caminhada empreendedora do indivíduo.
VISÕES QUE LEVAM O EMPREENDEDOR A TRILHAR A CAMINHADA EMPREENDEDORA:
1. Motivação por necessidade → motivada pela falta de alternativas satisfatórias de ocupação e renda; ou seja, as pessoas PRECISAM empreender. É um tipo de ação mais 'sofrida' e competitiva, que leva, em alguns casos, a ações precipitadas pouco potencializadas e com maior chance de fracasso. São empreendimentos MENOS inovadores e MAIS concorridos.
2. Motivação por oportunidade → um tipo de caminhada mais planejada, mais pensada, calcada na razão e MENOS influenciada pela emoção.
OBSERVAÇÃO: Um negócio gerado pela iniciativa empreendedora por uma necessidade é caracterizado por negócios MENOS inovadores que um negócio gerado por uma iniciativa empreendedora por uma oportunidade. 
No Brasil, ainda se percebe um maior grau de empreendedores por necessidade, tendo uma tendência de equilíbrio entre o empreendedor por necessidade e o por oportunidade no futuro.
TIPOS DE EMPREENDEDORES:
Na literatura Young, Wendy e Fischer (2002) classificam o empreendedor em quatro tipos: artesão, oportunista, tecnológico e “estilo de vida”.
1. Intraempreendedor (EMPREENDEDOR INTERNO) → indivíduo pode empreender na empresa em que trabalha, que é aquele que executa a caminhada empreendedora em uma organização da qual é colaborador. Busca reconhecimento pelo trabalho bem feito, conhecidas por transformar a realidade da empresa em que trabalha.
2. Empreendedor artesão → reconhecido por possui habilidade técnica superior e pouco conhecimento de negócios. Tem o marketing do negócio tem como base o preço e a personalização de seus produtos, além do relacionamento pessoal e a sua reputação.
3. Empreendedor oportunista → capaz de aliar o conhecimento técnico com o administrativo, além do legislativo e outros, e está constantemente atualizado. Toma decisões de curto, médio e longo prazos.
CRITÉRIOS DE ANÁLISE DE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS:
Para um empreendedor obter sucesso em seu negócio, primeiramente precisará identificar oportunidades no mercado. Essas oportunidades podem ser decisivas para a escolha do negócio a ser desenvolvido.
A análise de oportunidades de negócios envolve alguns elementos como: 
· Oportunidades primárias
· Opções de produtos que podem satisfazer tal necessidade
· Produção
· Marca e preço que será praticado em relação a concorrência.
OBSERVAÇÃO: 
· As inovações radicais podem ser uma ameaça e NÃO uma oportunidade para o empreendedor.
· A possibilidade de ter funcionários com experiência internacional no mercado NÃO significa que o empreendedor terá ou NÃO acesso a eles e também qual o custo disso tudo. 
· A queda ou NÃO na bolsa de valores pode ser uma oportunidade como pode NÃO ser exatamente.
DESENVOLVIMENTO DE UMA IDEIA DE NEGÓCIO:
1. Tomar a decisão de ser ou NÃO empreendedor. De querer ou NÃO gerir seu próprio negócio.
2. Ideia de negócio, ou seja, aquilo que deverá ser produzido e oferecido ao mercado consumidor.
3. O processo de estudo e planejamento são CRUCIAIS e ANTECEDEM QUALQUER ação do empreendedor. Esse processo de estudo e planejamento será o diferencial para ou sucesso ou fracasso do empreendimento.
4. As forças de mercado, em especial do ambiente externo, exercem FORTE PRESSÃO sobre o empreendimento. O plano de trabalho para a implantação da ideia DEVE levar em conta as forças atuantes no mercado.
5. A construção ou desistência do negócio DEVERÁ SER o ÚLTIMO PASSO do empreendedor.
6. O plano de negócios vem muito depois da constituição de ideias, conhecimento de mercado etc. . O plano de negócios NÃO DEVERÁ ser elaborado PRIMEIRAMENTE pelo empreendedor para depois conhecer o ambiente externo.
SUSTENTABILIDADE:
Diante da escassez de matérias primas e a preocupação com a preservação ambiental, as empresas passaram a incorporar os conceitos de sustentabilidade em sua estratégia de negócios. 
· O empreendedor DEVE ser capaz de agir para mudar a consciência da sociedade por meiodo seu negócio e NÃO o contrário.
· DEVE ter a consciência de que precisa atingir seus objetivos incorporando o desenvolvimento local sustentável em seu plano de negócios.
Desenvolvimento local sustentável:
· Projeto de LONGO PRAZO e para que uma empresa possa sobreviver no mercado DEVERÁ compreender conceitos de sustentabilidade. 
· Relacionado a atender demandas do presente, SEM IMPOSSIBILITAR as próximas gerações de atender às suas futuras demandas.
· As organizações comprometidas com o desenvolvimento local sustentável estão envolvidas com o bem-estar social da sociedade, são éticas e têm valores claros e condizentes com a sua forma de atuação.
· O desenvolvimento local sustentável é de responsabilidade das organizações, dos governos, das pessoas e das empresas.
As organizações COMPROMETIDAS com o DLS (Desenvolvimento local sustentável) são aquelas que:
1. Planejam suas ações a LONGO PRAZO
2. São proativas
3. Transformam problemas em oportunidades
4. Estão envolvidas com o bem-estar da sociedade
5. São éticas
6. Têm valores claros e condizentes com a sua forma de atuação
OBSERVAÇÃO: A AUSÊNCIA dos princípios bioéticos na ação do homem desencadeia consequências NEGATIVAS que são frutos de uma distribuição de renda muito heterogênea, VIOLANDO uma das premissas da sustentabilidade, pois colabora para o AUMENTO da injustiça social e a pobreza em uma sociedade.
FORMAS DE EMPREENDER:
1. Montar um empreendimento 
2. Comprar uma empresa
3. Ser sócio de um novo empreendimento
4. Ser sócio de uma empresa já existente 
5. Franquia
TIPOS DE CAPITAL:
Capital intangível: representado pelos recursos humanos e patentes.
Capital financeiro: representado pelos empréstimos.
OBSERVAÇÃO: 
· O capital intangível é também necessário na fase inicial do empreendimento, NÃO sendo NECESSÁRIO APENAS o capital financeiro para dar início à empresa. 
TIPOS DE SOCIOS: 
Sócio operacional: disponibiliza capital E também atua no empreendimento
Capitalista de risco: disponibiliza capital, MAS NÃO atua operacionalmente no negócio.
OBSERVAÇÃO: ao buscar um financiamento com alguma instituição financeira o empreendedor MANTÉM o poder de decisão TOTALMENTE para si.
MODELAR UM NEGÓCIO:
A modelagem de negócios nos ajuda a ter uma visão do todo e de suas partes em constante interação. Consiste em: 
1 Modelar a Visão do Negócio (FUNCIONAMENTO): que também pode ser chamada de Visão da Motivação (do Negócio). Ela nos ajuda a entender o negócio e seu ecossistema, detalhando principalmente as suas motivações, seus objetivos e metas.
2 Visão da Estrutura: que nos ajuda a analisar todos os recursos utilizados, consumidos ou produzidos por uma empresa.
3 Visão dos Processos: que cuida de toda a parte “viva” de uma organização, toda a sua dinâmica.
PLANO DE NEGÓCIOS:
· Depois do plano elaborado o empreendedor NÃO DEVE EVITAR improvisos. 
· O plano é elaborado para MINIMIZAR os riscos, porém na condução do empreendimento o gestor pode se ver obrigado a improvisar, dada a situação especial e NÃO prevista que enfrenta, PORÉM, DEVE­SE se nortear pelo plano elaborado. 
· O plano de negócios NÃO é feito para o empreendedor NÃO correr riscos. 
· NÃO SE DEVE abandonar o plano e conduzir o empreendimento de forma IMPROVISADA, mas sim se basear no plano para com criatividade e improviso achar caminhos para corrigir possíveis desvios do plano.
· Uma das funções de um plano de negócio está em AUXILIAR o empreendedor na tomada de decisão, se deve investir em um negócio ou desistir dele.
· O plano de negócios se apresenta como ESSENCIAL para as organizações, NÃO importando o seu estágio no ciclo de vida (empresa consolidada ou NÃO no mercado) OU tamanho.
· Tanto o sucesso quanto o insucesso do empreendedor na abertura do negócio estão DIRETAMENTE relacionados à sua capacidade de planejar o empreendimento.
· A elaboração de um plano de negócios auxilia o empreendedor a despertar o interesse e envolvimento de clientes, funcionários, fornecedores, financiadores e diversos outros stakeholders interessados no empreendimento. 
SEGMENTAÇÕES:
Para melhor atender a um determinado grupo de clientes, as empresas tendem a agrupar seus clientes ou segmentos de clientes de acordo com algumas caraterísticas. Entre as possibilidades de segmentação temos: 
· Mercado de massa: o objetivo do mercado de massa está em atender ao público em geral, ou seja, nesse ramo TODO E QUALQUER consumidor é importante para o negócio. Exemplo: lojas com produtos e serviços que atendem a todos os públicos, SEM definição de classe social, escolaridade, renda ou outra segmentação como as Lojas Americanas. 
· Nicho de mercado: Atendem segmentos específicos e especializados. Exemplo: empresa que vende roupas para quem pratica esportes
· Mercado segmentado: Faz distinção entre segmentos de mercado com necessidades e problemas sutilmente diferentes. Daí oferecerem propostas de valor sutilmente diferentes. Exemplo: Banco Itaú: normal; Uniclass; Personnalité. Exemplo: empresas que fabricam e vendem roupas para atletas de alto desempenho.
· Mercado diversificado: Serve segmentos de clientes com necessidades e problemas muito diferentes. Exemplo: Amazon.com, que atende a variados públicos.
· Mercado multilateral: Servem dois ou mais segmentos de clientes INTERDEPENDENTES. Exemplo: cartão de crédito: clientes; comerciantes; Jornal gratuito: muitos leitores; ganhos com anunciantes.
PÚBLICO-ALVO DA PESQUISA DE MERCADO:
Formas de segmentação de mercado:
1. Pela região
2. Faixa etária
3. Classe econômica
4. Sexo
5. CONVENIÊNCIA
Há cinco tipos de personalidade dos consumidores: 
1. Inovadores: tem interesse por tecnologias novas e enfrentam diversos riscos.
2. Primeiros adeptos
3. Maioria inicial
4. Maioria tardia
5. Retardatários
OBSERVAÇÃO: Para obtenção de informações sobre o público-alvo PODE-SE utilizar de:
· Fontes secundárias: IBGE, revistas, jornais, livros, IPEA, ....
· Fontes primárias: alcançadas por pesquisa quantitativa e qualitativa.
QUESTÃO 01: FORMAS DE EMPREENDER
Existem 5 maneiras de empreender. Na jornada de Steve Jobs podemos identificar 2 maneiras diferentes de empreender, sendo elas: sociedade em um novo empreendimento e montar um empreendimento. 
No início da Apple o Steve Jobs optou por empreender formando uma sociedade com Steve Wozniak e Ronald Wayne. Podemos, assim, classificar Jobs como um empreendedor oportunista, uma vez que uniu conhecimentos técnicos, como fazer um computador pessoal, com outros tipos de conhecimentos, por exemplo, como administrar a recém-criada Apple, escolhendo bem os seus aliados. 
Em 1986, Steve Jobs optou por empreender montando um empreendimento chamado NEXT computer. 
RESUMO:
1. Associar-se para a criação de um novo empreendimento.
2. Montar um empreendimento. 
QUESTÃO 02: PODER NO EMPREENDIMENTO 
Financiamento por banco: o empreendedor NÃO perde o poder de decisão. 
Financiamento por sócio operacional (disponibiliza capital E também atua no empreendimento): o poder, as decisões e os resultados serão COMPARTILHADOS. 
QUESTÃO 03: OBJETIVOS DO BMG CANVAS
1. Servir como base para desenvolvimento de outros documentos como o Plano de Negócio.
2. Verificar as principais características do negócio.
3. Elaborar e desenhar de forma clara a empresa e colocar em evidência as possíveis variáveis de sucesso e de fracasso existentes.
4. Aprendizagem: quanto mais testamos possibilidades sobre a ideia de negócios, mais aprendemos sobre a oportunidade que queremos explorar. 
5. Comunicação: comunicar a equipe, aos clientes e aos investidores como se pretende viabilizar o negócio, qual o público alvo, quais os recursos necessários entre outros aspectos. 
6. Modelar a ideia: o uso de ferramentas de modelagem de ideias nos ajudam a definir a oferta (o que) a ser entregue ao cliente (quem), definindo a infraestrutura necessária para o atendimento deste mercado (como). 
QUESTÃO 04: O QUE SE CONSTITUI UM PLANO DE NEGÓCIO?
O plano de negócios é um documento elaborado para MINIMIZAR os riscos, AUXILIAR o empreendedor na tomada de decisão, se deve investirem um negócio ou desistir dele e despertar o interesse e envolvimento de clientes, funcionários, fornecedores, financiadores e diversos outros stakeholders interessados no empreendimento. O plano de negócios se apresenta como essencial para as organizações pois tanto o sucesso quanto o insucesso do empreendedor na abertura do negócio estão DIRETAMENTE relacionados à sua capacidade de planejar o empreendimento.
O plano de negócios se constitui em uma ferramenta para nortear as ações dos empreendedores. A intenção é avaliar as oportunidades de negócios e posicionar as pessoas na realidade que estão inseridas para que possam realizar ações no futuro. Reúne informações a respeito das características e das condições da empresa, do negócio e onde se pretende chegar. 
QUESTÃO 05: COMO UM SONHO SE MATERIALIZA E A ATUAÇÃO DO EMPREENDEDOR 
1. Para que o sonho do empreendedor possa se tornar realidade existem diferentes possibilidades. Algumas pessoas tem um sonho ou uma boa ideia a conseguem colocá-la em prática com bastante sacrifício. Esse tipo de pessoa tem um objetivo traçado, um desejo pessoal que precisa ser colocado em prática e, assim faz o máximo de esforço para vencer os obstáculos e abrir seu empreendimento. 
2. O empreendedor que deseja materializar o seu sonho precisa estar atento ao mercado e quais as novas tendências, moda e modismos que estão surgindo, para aí sim oferecer aquilo que as pessoas querem e necessitam. Logo após essa identificação, que deve ser rápida para agarrar as oportunidades e estabelecer suas estratégias de mercado, pode fazer valer o seu estudo e o conhecimento da prática de gestão do seu negócio.

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes