Buscar

APS MAD Aplicados

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Mecanismos de Agressão e Defesa Aplicados 
______________________________________________________________________________________________ 
ATIVIDADE 1: O aluno deverá realizar a leitura de dois artigos sobre Resistência aos Antibióticos
disponibilizados nos links:
https://www.paho.org/pt/noticias/27-2-2017-oms-publica-lista-bacterias-para-quais-se-necessitam-novos-antibioticos
https://pebmed.com.br/novo-antibiotico-pode-decretar-o-fim-das-superbacterias-resistentes/
Além disso, assistir ao vídeo de Resistência bacteriana aos antibióticos no link e consultar os capítulos dos livros indicados na bibliografia da Unidade Curricular referente a Antimicrobianos.
https://www.youtube.com/watch?v=Pm_bOH48tXE
https://www.youtube.com/watch?v=8KlXDMo3WXM
ATIVIDADE 2: O aluno deverá construir um texto resumo embasado no artigo, de no máximo uma página, discutindo se é melhor continuarmos investindo em novas drogas, ou fazer uso mais racional de antibióticos? Sua resposta deve estar embasada nos textos e nos vídeos assistidos.
 
A utilização indiscriminada e sem o devido acompanhamento médico de medicamentos em geral é frequentemente alertada e já se tornou um grande problema para a atual sociedade. Dentro deste vasto conjunto de medicamentos citados anteriormente, devemos enfatizar a utilização dos antibióticos, tal situação que já vem sido discutida a alguns anos.
 Temos artigos e reportagens da OMS (Organização Mundial de Saúde) de 2015 alertando e informando sobre as resistências criadas pelas bactérias já anteriormente conhecidas como E. coli, salmonella e até Mycobacterium tuberculosis devido ao uso indiscriminado e também a não renovação de alguns medicamentos já estabelecidos no mercado. Estas resistências são mais frequentes em bactérias Gram-negativas, isto acontece devido à sua capacidade inata de criar resistência e de possuir maior quantidade de peptideoglicano. 
 Com o lançamento da lista criada pela OMS, em 2017, em que a organização relata, por ordem de criticidade, doze agentes patogênicos que vêm mostrando maior resistência à múltiplos antibióticos, pode-se perceber o “ressurgimento” de agentes que não ouvia-se falar e que não chamavam mais a atenção, como o exemplo da Haemophilus influenzae (descrita pela primeira vez em 1892 na pandemia de influenza), Staphylococcus aureus (descoberto originalmente em 1878) e as Enterobacteriaceae (Família de bactérias Gram-Negativas que engloba Escherichia coli, Salmonella, Proteus, Shigella e Yersinia).
 A sociedade de pesquisa deve sempre continuar investindo em novos medicamentos e buscando inovações para o tratamento dos agentes patológicos, não apenas destas bactérias que se tornaram mais resistentes, isto por conta dos genes de resistência que algumas bactérias criam com o beta-lactâmico e que depois podem ser transferidos por “transformação homologa” para uma bactéria adjacente e com genes similares.

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes