Buscar

CONTROLE BIOLÓGICO

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 9 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 9 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 9, do total de 9 páginas

Prévia do material em texto

CENTRO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - CCN 
 DISCIPLINA: MICOLOGIA 
 
 
 
 
 
 
 
 
CONTROLE BIOLÓGICO E SUA EFICIÊNCIA NA EXTINÇÃO DE 
PRAGAS. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Junho/2018 
CONTROLE BIOLÓGICO 
1. INTRODUÇÃO 
 
O termo “controle biológico” foi usado pela primeira vez em 1919 por Harry S. 
Smith, para se referir ao uso de inimigos naturais no controle de insetos-praga de 
culturas agrícolas (Filho & Ciociola, 2002). Desde então, vários pesquisadores, 
principalmente entomologistas (pesquisadores que estudam os insetos), tem tentado 
definir esta expressão. 
Sendo assim, o controle biológico ou simplesmente biocontrole, como também 
é chamado, pode ser definido como o uso de um organismo, ou organismos, na 
regulação de uma população animal ou vegetal, sendo considerado então uma forma 
de manejo de populações. Os organismos vivos utilizados como agentes de controle 
biológico compõe o grupo conhecido como inimigos naturais. 
Do ponto de vista econômico, um inimigo natural efetivo é aquele capaz de 
regular a densidade populacional de uma determinada praga e mantê-la em um nível 
de equilíbrio, ou seja, abaixo do nível de dano estabelecido para o cultivo em questão 
(Bueno, 2005). 
O grupo dos inimigos naturais é formado pelos patógenos, parasitóides e 
predadores, o primeiro, também conhecido como agentes entomopatogênicos 
(causam doenças nos insetos) e os últimos são conhecidos como agentes entomófagos 
(se alimentam de insetos) (Bueno, 2005). 
O controle biológico pode apresentar diversas vantagens quando comparado 
ao controle químico. Essa forma de controle tem se mostrado mais eficaz e menos 
agressiva para o meio ambiente. Trata-se de uma forma de controle que não deixa 
resíduos no ambiente; permite a colheita contínua, pois não há período de carência 
após a liberação dos inimigos naturais; protege a biodiversidade, evitando 
desequilíbrios; não atinge organismos não alvo, como os polinizadores. 
Além de todas as vantagens já citadas, o biocontrole é uma forma de controle 
mais econômica quando avaliada a longo prazo, apresentando um melhor custo 
benefício e aumentando assim os lucros do produtor. Para nós consumidores essa 
forma de controle é realmente vantajosa, pois garante produtos de alta qualidade e 
livres de resíduos dos produtos químicos, garantindo assim, mais saúde em nossas 
mesas. 
2. OS CONTROLES BIOLÓGICOS PODEM SER DEFEINIDOS: 
• Parasitoides: São seres vivos que parasitam outros seres impossibilitando-os 
chegar à fase reprodutiva. O parasitoide passa um período em 
desenvolvimento internamente ou externamente em um único hospedeiro, 
que no final do ciclo o mata. 
• Predadores: Durante todo seu ciclo de vida ou parcialmente são organismo de 
vida livre que buscam ativamente e matam suas presas. Normalmente são 
maiores que suas presa e precisam de mais do que uma presa para completar 
seu ciclo de vida. Ex: Marimbondos e Gaviões. 
• Patógenos: Os agentes patogênicos são organismos microscópicos que podem 
se multiplicar no organismo do seu hospedeiro, podendo causar infecções e 
outras complicações. 
3. EXISTEM QUATRO TIPOS DE CONTROLE BIOLÓGICO: 
Controle Biológico Artificial: interferência artificial de forma que ocorre 
aumento de seres predadores, parasitoides ou patogênicos, sendo eles seres 
vivos mais atuantes no controle biológico natural como insetos, fungos, vírus, 
bactérias, nematoides e ácaros. 
Controle Biológico Clássico: introdução por meio de importação e colonização 
de predadores ou parasitoides, focando ao controle de pragas exóticas, 
ocasionalmente nativos. A liberação é realizada com um número reduzido de 
indivíduos por algumas vezes no local, como uma medida de controle a longo 
prazo, pois a população dos inimigos naturais tende a aumentar com o passar 
do tempo e, portanto, somente se aplica a culturas especificas como 
semiperenes ou perenes. 
Controle Biológico Natural: refere-se a populações de inimigos naturais que 
ocorrem naturalmente no local, responsáveis pela mortalidade natural no 
agroecossistema e, consequentemente, pela manutenção de um nível de 
equilíbrio das pragas. 
Controle Biológico Aplicado: trata-se de liberações em massa de predadores 
ou parasitoides, após criação laboratorial de larga escala. Esse tipo de controle 
biológico é bem aceito pelo mercado, pois tem um tipo de ação rápida, muito 
semelhante à de inseticidas convencionais. 
 
http://www.infoescola.com/biologia/parasitoides/
http://www.infoescola.com/relacoes-ecologicas/predatismo/
http://www.infoescola.com/aves/gaviao-harpia/
http://www.infoescola.com/biologia/nematelmintos-nematoda/
http://www.infoescola.com/compostos-quimicos/inseticidas/
 
 
 
 
 
 
4. OS BENEFÍCIOS DO CONTROLE BIOLÓGICO DE PRAGAS NA 
AGRICULTURA. 
O uso exacerbado de pesticidas e agrotóxicos nas plantações agrícolas começou 
a gerar contaminações e consequências sérias para as lavouras e para o homem. Daí 
surgiu a necessidade do controle biológico. 
Os principais benefícios do controle biológico, em comparação ao controle 
químico, que podemos destacar são: 
• Redução da exposição dos produtores rurais aos pesticidas 
• Diminuição do risco de poluição ambiental 
• Não afeta a qualidade do solo 
• Evita pragas mais resistentes 
• Evita alimentos contaminados 
• Evita o uso de agrotóxicos e fortalece o uso da crescente agricultura orgânica 
 
5. COMO AGEM OS FUNGOS. 
 
Os fungos invadem os insetos penetrando as suas cutículas ou “pele”. Uma vez 
dentro eles se multiplicam rapidamente. A morte é causada por destruição e 
ocasionalmente por toxinas produzidas pelos fungos. Eles emergem, freqüentemente, do 
corpo dos insetos para produzir os esporos, que quando esparramados pelo vento, chuva 
ou contato com outros insetos espalham a infecção pela área. 
 
6. SINTOMAS PRESENTES NO FUNGO APÓS SER INFECTADO. 
 
Os insetos infectados param de se alimentar e ficam lentos (letárgicos). Eles 
podem morrer com relativa rapidez e algumas vezes ficam numa posição vertical, ainda 
presos à folha ou haste, no alto das plantas ou concentrados próximo aos bordos dos 
cultivos. O corpo morto do inseto pode ser firme e ter a consistência de um queijo fresco 
ou ficar como uma concha vazia. Terminam, geralmente, com um crescimento fúngico 
Fig.01 Formiga morta por um fungo patogênico. Foto: Bruno C. 
Barbosa. 
 
 
 
 
 
 
 
creme, verde, vermelho ou marrom, tanto envolvendo o corpo como emergindo das 
junções e segmentos do mesmo. Os pulgões, por exemplo, podem ficar inchados, 
descoloridos, terminando com um crescimento imitando um pó de cor cinza ou chocolate. 
 
7. EFICIÊNCIA DOS FUNGOS NO CONTROLE. 
 
Os fungos patogêncios a insetos geralmente necessitam umidade para ocorrer a 
infecção e epizootias naturais são mais comuns durante condições úmidas ou ambiente 
molhado. A eficácia desses fungos contra insetos pragas depende da ocorrência da 
espécie certa do fungo por perto, ou até mesmo da raça específica, juntamente com os 
estágios da praga que lhe é susceptível e na umidade e temperatura apropriadas. Os 
esporos, que podem ser carreados pelo vento ou água, precisam entrar em contato com a 
praga para infectar. Epizootias naturais podem dizimar populações de pulgões, lagartas de 
lepidopteros, larvas de moscas, cigarrinhas e tripes. Eles podem ser um importante 
controle natural de pulgões em batata, soja, coqueiros, etc. Muitos fungos 
entomopatogênicos ocorrem no solo. Há evidências que a aplicação de alguns inseticidas, 
fungicidas e herbicidas podem inibir ou matar estes fungos. Por exemplo: mesmo em 
dosagens bem baixas de alguns herbicidas, podem limitar severamente a germinação e o 
crescimento de esporos do fungo Beauveria bassiana em amostras de solo. 
 
8. OS PRODUTOS COMERCIAIS DISPONÍVEIS. 
 
Nos Estados Unidos Metarhizium anisopliae 
é registrado para controle de barata doméstica. 
Beauveria bassiana raça GHA é registrado paracontrole de gafanhotos, grilos, alfafa, milho, 
algodão, batata, girassol, cereais, soja, beterraba, 
etc. Paecilomyces fumesoroseus, raça Apopka 97, 
é aprovado para uso em ornamentais, plantas de 
interiores e de estufas cultivadas com plantas não 
alimentares para manejo de moscas brancas, 
pulgões, tripes e ácaros. No Brasil são conhecidas 
formulações de Metarhisium anisopliae para 
controle de cigarrinhas das pastagens e cana-de-
acúcar e Beauveria bassiana para manejo de broca 
do café, moleque da bananeira, ácaros etc. 
 
Fig. 02- Metarhizium anisopliae. 
 
9. ALGUNS FUNGOS E SUAS APLICAÇÕES. 
 
Fig. 03- Nomuraea rileyi é ativo contra lagarta da panícula de sorgo, 
curuquerê das crucíferas, lagarta do cartucho do milho, lagarta da espiga do 
milho e lagartas da maçã do algodoeiro (Heliothis spp.). Ocorre naturalmente 
em cultivos de soja no Brasil dizimando a lagarta da soja Anticarsia 
gemmatalis, como aconteceu este ano no Estado de São Paulo devido às 
chuvas intensas desde dezembro de 1999. 
Fig. 04- Verticillium lecanii ocorre naturalmente e em abundância onde há 
cochonilhas sem carapaça atacando, tal como a cochonilha verde e citros e 
café. Na Europa é muito utilizado em estufas. 
 
Fig. 05- Beauveria bassiana é um fungo entomopatogênico encontrado 
naturalmente em algumas plantas e no solo. Epizootias são favorecidas por calor 
e umidade altas. É conhecido como o fungo branco muscardino porque as larvas 
de insetos infectados eventualmente se tornam brancos ou cinzas. A lista de 
pragas sobre as quais ele é usado é extensa: moscas brancas, pulgões, 
gafanhotos, cupins, besouro da batata, besouro mexicano, besouro japonês, 
bicudo do algodoeiro, besouro dos cereais, besouros de tronco, percevejos, 
maria fedida, formiga lava-pés, lagarta européia do milho, traça da maçã, 
moleque da bananeira, ácaros diversos e broca do colo - Elasmopalpus 
lignoselus. Infelizmente Boveria não é seletivo a inimigos naturais atacando, por 
exemplo, joaninhas em geral. Para ser seletivo a insetos benéficos o fungo pode 
ser aplicado na forma de isca atrativa para atrair apenas a praga. Há muitas 
raças deste fungo exibindo diferentes graus de patogenicidade às pragas, mas 
ele ocorre no solo como saprofítico apenas. 
Fig. 06- Entomophthora muscae infecta moscas. O fungo se multiplica dentro 
do corpo da mosca adulta, que se torna enlarguecido e faixas amarelas dos 
esporos aparecem no abdomen. 
10. CONSIDERAÇÕES FINAIS. 
 
Os fungos entomopatogênicos representam uma importante arma para o manejo 
ecológico de pragas, tanto aplicado a cultivos convencionais como nos orgânicos ou auto-
sustentáveis. Entretanto, há necessidade de crescimento do setor de produção e 
comercialização para que o agricultor possa dispor dos mesmos com facilidade de uso e 
custos-benefícios palpáveis. Há imperiosa exigência de maior conhecimento por parte dos 
usuários e repassadores de tecnologias para uma rápida expansão do uso dos fungos e 
mesmo de treinamentos de agricultores para reconhecimento e preservação das 
ocorrências de fungos nos ambientes naturais e cultivados. Finalmente, é preciso ter 
ciência de que também os fungos - alguns deles, por um lado, podem atacar insetos 
benéficos - exigem certos cuidados no manejo para preservá-los. De outra parte, podem 
ser destruídos com intensas aplicações de fungicidas para controle de fungos 
fitopatogênicos. 
11. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
 
• Revista Cultivar Grandes Culturas, Abril de 2000, Ed. 03. Disponível em: < 
https://www.grupocultivar.com.br/artigos/os-fungos-no-controle-de-insetos >. 
Acesso em: 13 de Maio de 2018. 
• GOMES, R. CONTROLE BIOLÓGICO DE PRAGAS NA AGRICULTURA: COMO 
GARANTIR A SAÚDE DAS PLANTAÇÕES. 2017. Disponível em: < 
https://pixforce.com.br/controle-biologico-de-pragas-na-agricultura/ >. Acesso em: 
13 de Maio de 2018. 
• BARBOSA, B. C. CONTROLE BIOLÓGICO. Disponível em: < 
https://www.infoescola.com/ecologia/controle-biologico/ >. Acesso em 13 de Maio 
de 2018. 
• CARVALHO, F. D. O QUE É O CONTROLE BIOLÓGICO? Disponível em: < 
https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/biologia/o-que-e-controle-
biologico/12480 >. Acesso em: 14 de Junho de 2018. 
 
 
 
https://www.grupocultivar.com.br/artigos/os-fungos-no-controle-de-insetos
https://pixforce.com.br/controle-biologico-de-pragas-na-agricultura/
https://www.infoescola.com/ecologia/controle-biologico/
https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/biologia/o-que-e-controle-biologico/12480
https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/biologia/o-que-e-controle-biologico/12480

Continue navegando