A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
RELATÓRIO 5 - TITULAÇÃO E PREPARO DE SOLUÇÕES

Pré-visualização | Página 3 de 4

de 100 mL e concentração 0,100 mol/L. 
 
Tabela 2 – Dados empregados no cálculo do volume de solução de HCl a ser medido 
na pipeta graduada 
Densidade da 
solução de HCl em 
estoque 
Concentração 
molar da solução 
Título da solução 
de HCl em estoque 
Massa molar do 
HCl 
1,19 0,100 mol/L 37% 36,46 g/mol 
 
A partir dos dados, apresentados na Tabela 2 acima, e dos cálculos, baseados 
nas expressões (1) e (2), determinou-se que o volume de solução aquosa de HCl, 
necessário para preparar 100 mL de uma solução a 0,100 mol/L em HCl corresponde a 
0,830 mL. Mediu-se esse volume com auxílio de uma pipeta graduada e, logo depois, 
adicionou-se essa quantidade ao béquer de 100 mL que continha 50 mL de água. 
Essa diluição prévia se faz necessária, uma vez que a reação de hidratação do 
ácido clorídrico é altamente exotérmica. Se a água for adicionada sobre o ácido 
clorídrico concentrado, poderá ferver e espirrar de forma perigosa. Sendo assim, 
verificou-se que se deve adicionar o ácido sobre a água e não o contrário. 
Depois disso, a solução foi transferida para o balão volumétrico de 100 mL e 
completou-se o volume restante com água destilada até a altura do menisco. Por fim, 
agitou-se a solução várias vezes para sua homogeneização. 
 
 
12 
4.1.3. Preparação de uma solução aquosa de um sal a partir do soluto sólido 
 A Tabela 3, apresentada adiante, fornece os dados necessários, para 
determinar a massa de cloreto de sódio necessária para o preparo de uma solução 
aquosa de 50 mL e concentração 0,100 mol/L. 
 
Tabela 3 - Dados empregados no cálculo da massa de NaCl a ser pesada 
Densidade da água 
a 25°C 
Massa molar (NaCl) Volume de solução Molalidade 
0,9975 58,44 g/mol 50 ml 0,100 mol/Kg 
 
 A partir dos dados apresentados na Tabela 3 acima, e dos cálculos envolvendo 
regras de três simples, determinou-se que a massa de NaCl, necessária para preparar 
50 mL de uma solução de NaCl a 0,100 molal corresponde a 0,291 g. Após dissolver 
essa quantidade em uma pequena quantidade de água destilada contida no béquer de 
100 mL, transferiu-se essa mistura para o balão volumétrico de 50mL e completou-se 
com água destilada até a altura do menisco. Por último inverteu-se o balão várias vezes 
para homogeneização dessa solução. 
 É necessário salientar que, utilizou-se a concentração em molalidade, visto que 
como a concentração em molaridade (mol/L) depende do volume de solução ela pode 
se alterar conforme a variação de temperatura, devido à dilatação e contração das 
substâncias na fase líquida. Nesse contexto, usar uma concentração que não dependa 
da variação da temperatura, faz-se necessário nesses casos. 
 
4.1.4. Preparo de uma solução aquosa diluída a partir da solução em estoque 
 
 A Tabela 4, apresentada em seguida, fornece os dados necessários, para 
determinar o volume da solução de NaCl, 0,100 molal, em estoque, necessário para o 
preparo de uma solução aquosa de 25 mL e concentração 0,0500 molal. 
 
 
 
13 
Tabela 4 - Dados empregados no cálculo do volume de solução de NaCl, 0,100 molal, 
a ser medido na pipeta graduada 
Molalidade da solução 
(NaOH) em estoque 
Volume de solução a ser 
preparada 
Molalidade da solução a ser 
preparada 
58,44 g/mol 25 ml 0,0500 mol/Kg 
 
 A partir dos dados, apresentados pela Tabela 4 acima, e do cálculo baseado na 
equação (3), determinou-se que o volume de solução aquosa de NaCl, 0,100 molal, 
necessário para preparar 25 mL de uma solução aquosa de NaCl a 0,0500 molal 
corresponde a 12,5 mL. Mediu-se o volume com auxílio de uma pipeta graduada e, logo 
depois, adicionou-se essa quantidade diretamente ao balão volumétrico de 25 mL, 
completou-se com água destilada até a altura do menisco e inverteu-se a vidraria para 
homogeneizar a nova solução. 
4.2. TITULAÇÃO 
4.2.1 Titulação de uma solução de HCl 
Para a titulação da solução aquosa de ácido clorídrico, utilizou-se como titulante, 
a solução aquosa de hidróxido de sódio a uma concentração de 0,1025 mol/L. Sendo 
assim, para realizar esse procedimento, pipetou-se 10 mL de solução de HCl para um 
erlenmeyer de 125 ml, adicionou-se 15 mL de água destilada e uma gota do indicador 
ácido/base fenolftaleína. 
Nesse sentido, verificou-se que a adição de água se dá apenas para efeito de 
observação do experimento, pois uma menor concentração facilita a identificação do 
ponto de viragem. Além disso, a adição de água não compromete o processo de 
titulação, uma vez que o número de mols de soluto permanece o mesmo. 
Ao término da titulação, notou-se que para a neutralização completa da solução 
aquosa de HCl é necessário, aproximadamente, 7 mL de solução de NaOH. De fato, no 
momento em que a solução titulada mudou de cor adquirindo coloração rosa-escuro, 
 
 
14 
fechou se a torneira da bureta, e os volumes nominais lidos nesse utensílio, nas duas 
repetições do processo se aproximavam de 7,0 mL. 
Obteve-se a concentração exata da solução de HCL partindo-se do pressuposto 
de que toda neutralização segue o princípio da equivalência. Em outras palavras, ela só 
se completa quando o número de hidrogênios ionizáveis é igual ao número de 
hidroxilas dissociáveis. Logo, como se conhecia, a partir da bureta, o volume gotejado 
de base na solução titulada até a mudança de cor, por cálculos estequiométricos 
simples, determinou-se a concentração do ácido, como verificado na Tabela 5, 
apresentada abaixo: 
 
Tabela 5 - Volume gasto da solução de NaOH para neutralização completa da solução 
de HCl. 
Execução 
Concentração 
NaOH (mol/L) 
Volume adicionado 
de NaOH (mL) 
Concentração HCl 
Obtido 
1ª 0,1025 7,0 0,071 mol/L 
2ª 0,1025 6,9 0,070 mol/L 
 
4.2.2. Determinação da acidez do vinagre 
Após pipetar 5 mL de vinagre, diluiu-se para 50 mL em um balão volumétrico. Em 
seguida, utilizou-se apenas 10 mL dessa solução para a titulação. Durante esse 
processo, verificou-se que é necessário em torno de 8 mL, de solução de NaOH a uma 
concentração de 0,1025 mol/L para atingir o ponto de viragem, conforme verificado nas 
duas repetições. 
Para determinar a acidez do vinagre em %m/v, baseando-se no volume aferido 
de solução de NaOH, calculou-se a concentração da solução de HAc, utilizando-se 
regra de três simples. Neste contexto, foi feita a análise quantitativa do valor da acidez 
do vinagre, como mostra a Tabela 6, apresentada a seguir: 
 
 
 
 
15 
Tabela 6 – Volume necessário para determinação da concentração e acidez do HAc 
Execução 
Concentração 
NaOH (mol/L) 
Volume adicionado 
de NaOH (mL) 
Concentração 
HAc 
Obtido 
Acidez 
HAc 
1ª 0,1025 8 0,82 mol/L 4,8% 
2ª 0,1025 8,2 0,84 mol/L 5,04% 
 
5. CONCLUSÕES 
Os objetivos dos experimentos foram obtidos. No primeiro experimento, 
preparou-se uma solução aquosa diluída do ácido forte HCl, empregando o método de 
diluição de soluções com concentração conhecida. Além disso, obteve-se outra solução 
aquosa diluída de uma base forte, a partir de um soluto sólido NaOH. Sendo assim, 
compreendeu-se que é possível determinar, a partir de cálculos estequiométricos 
simples, a massa de uma substância ou volume de uma solução, necessários para o 
preparo de uma solução com concentração definida. Por outro lado, na etapa de 
preparação de tais soluções, trabalhou-se com reagentes considerados perigosos, por 
isso entendeu-se que se deve ter cuidado extra ao manuseá-los, para evitar acidentes 
no laboratório. 
Já no segundo experimento, aprendeu-se que a titulação é o método mais fácil 
para padronizar uma solução desconhecida baseando-se em outra solução de 
concentração conhecida. Nesse sentido, é