A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Avaliação LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA

Pré-visualização | Página 1 de 1

Avaliação: GST0611_AV_201403332762 » LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA
	Tipo de Avaliação: AV
	Aluno:  ELAINE 
	Professor:
	MANOEL VITORIO AZEREDO ROCHA
	Turma: 9001/AA
	Nota da Prova: 7,0        Nota de Partic.: 2        Data: 19/11/2015 09:59:03
	
	 1a Questão (Ref.: 201403427300)
	Pontos: 1,5  / 1,5
	ZULMIRA e ADELAIDA optaram em 2008 por participar da sociedade constituída por ASSAD e ASSAF, destinada à venda de iguarias árabes. Os sócios iniciais contribuíram para a formação do capital social na ordem de R$ 80.000,00 (oitenta mil reais) e as novas sócias aumentaram o capital social da sociedade em 45% com a transferência de um bem imóvel. À época do registro da transferência do referido imóvel não houve incidência do ITBI, considerando os termos da Constituição Federal. Questiona-se: se acaso a redação da Carta Constitucional for alterada, passando a exigir a incidência do ITBI nos casos de transferência de bens imóveis para a formação e ampliação do capital social, poderiam as referidas sócias ser cobradas pelo ente federativo credor? Qual seria o ente federativo responsável pelo referido recolhimento tributário? [SBM/UNESA/10.02]
		
	
Resposta: Se á epoca já fosse válida a nova redação elas teriam que pagar o ITBI . E seria pago ao município correspondente.
	
Gabarito: Observando o Princípio da Irretroatividade Tributária, determinao pelo Art. 150, III, a, CRFB/88, percebe-se que há conectividade com o Principio da Irretroatividade da Lei, determinado no Art. 5º, XXXVI, CRFB/88, segundo o qual a lei não pode prejudicar o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada, ou seja, aquilo que já faz parte de seu patrimônio ou rol de bens e direitos não pode ser exigido pela mudança estrutural da lei, bem como não pode alterar cláusulas contratuais e condições por alterações posteriores da lei, e não pode modificar decisões judiciais prolatadas e exigíveis; com uma única exceção nos casos de materiais de cunho penal (criminal), conforme Art. 5º, XL, CRFB/88. Assim, a imposição dos tributos só se faz a atos posteriores a sua criação legal, sendo impossível o retrocesso.
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201403413787)
	Pontos: 1,0  / 1,5
	Considerando as regras atinentes à exclusão do crédito tributário, disserte acerca da distinção entre imunidade e isenção tributária. [SBM/UNESA/11.01]
		
	
Resposta: Imunidade são os casos resguardados na constituição federal no qual exclui a obrigação de pagamento por alguns contribuintes e isenção é a exclusão atribuída por uma lei isentiva que dá isençaõ de pagamento em determinada situação ou momento.
	
Gabarito: Sujeito passivo pode praticar o fato gerador, mas por um benefício (favor) legal a cobrança não lhe será efetuada, conforme Arts. 175 a 182, CTN, que tratam respectivamente da isenção e da anistia, conforme se passa a verificar. Ao contrário da imunidade que é garantida por força do Art. 150, VI, CRFB/88
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201403604279)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	Previsão, lançamento e arrecadação e recolhimento são estágios:
		
	
	do orçamento público
	 
	da receita pública
	
	das aplicações do Tesouro Nacional
	
	da dívida pública
	
	da despesa pública
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201403409847)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	O município mantém serviço regular de coleta de lixo domiciliar, exigindo das pessoas lá domiciliadas por esse serviço:
		
	 
	taxa de serviço.
	
	imposto sobre serviços de qualquer natureza.
	
	contribuição de melhoria, uma vez que irá valorizar os imóveis.
	
	taxa ou imposto, conforme a caso.
	
	imposto predial e territorial urbano.
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201403540846)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	É sujeito passivo da relação tributária:
		
	
	Contribuinte e poder público;
	
	Contribuinte e maiores de 18 anos de idade;
	
	Todas as opções estão incorretas.
	
	Devedor e contribuinte;
	 
	Contribuinte e o responsável;
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201403541100)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	A natureza jurídica específica do Tributo é determinado pelo (a):
		
	 
	Fato Gerador.
	
	Decreto.
	
	Base de Cálculos.
	
	Portaria.
	
	Lei.
	
	
	 7a Questão (Ref.: 201403995379)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	O critério de aplicação da lei tributária em que prevalece a lei mais nova editada sobre um determinado tema denomina-se critério:
		
	
	histórico
	
	da especialidade
	
	epistemológico
	
	transcendental
	 
	cronológico
	
	
	 8a Questão (Ref.: 201403933573)
	Pontos: 0,0  / 0,5
	Direcionando-nos ao conteúdo da aula 06, podemos afirmar, exceto:
		
	
	A expressão hipótese de incidência designa com maior propriedade a descrição, contida na lei, da situação necessária e suficiente ao nascimento da obrigação tributária.
	
	O fato gerador diz da ocorrência, no mundo dos fatos, daquilo que está na Lei. A hipótese é simples descrição, é simples previsão, enquanto o fato é a concretização da hipótese, é o acontecimento do que fora previsto.
	 
	A obrigação de tributária, que é a obrigação de pagar um tributo, só ocorre quando realizado o Fato Gerador.
	
	A Hipótese de Incidência é a previsão legal e através dessa hipótese não nasce à obrigação tributária.
	 
	A obrigação tributária já nasce no momento que o Cidadão pretende se tornar proprietário de um veículo automotor, que é quando ocorre a Hipótese de Incidência.
	
	
	 9a Questão (Ref.: 201403602604)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	O funcionário que expedir certidão negativa com dolo ou fraude, contendo erro contra a Fazenda Pública, será pessoalmente responsável:
		
	
	pelo crédito tributário, excluídos os juros demora.
	
	funcional e criminalmente, excluída a responsabilidade pelo crédito tributário.
	
	pelo crédito tributário e juros de mora, excluindo-se possível responsabilidade criminal e funcional.
	 
	pelo crédito tributário e juros de mora, não se excluindo a responsabilidade criminal e funcional que no caso couber.
	
	pelos juros de mora, não pelo tributo devido,podendo ainda ser responsabilizado funcional e criminalmente.
	
	
	 10a Questão (Ref.: 201403630744)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Quando a anistia for concedida em caráter individual, o interessado deverá requerer junto ao Fisco seus benefícios. Todavia o fisco exclui pelos art. 175, II e arts. 180 1 182 do CTN da anistia o lançamento e o:
		
	
	tributo
	 
	crédito tributário
	
	imposto
	
	direito
	
	fato gerador