A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
151 pág.
Ítalo Romano Eduardo - Pacote de 275 Questões Comentadas

Pré-visualização | Página 27 de 46

efeito quando 
baseada em início de prova material, não sendo admitida prova exclusivamente testemunhal. 
 § 1º No caso de prova exigida pelo art. 62 é dispensado o início de prova material quando 
houver ocorrência de motivo de força maior ou caso fortuito. 
 
** Art. 62 trata de comprovação de tempo de contribuição. 
 
154. (Técnico INSS/2008) Firmino foi professor do ensino fundamental durante vinte anos e 
trabalhou mais doze anos como gerente financeiro em uma empresa de exportação. Nessa 
situação, excluindo-se as regras de transição, Firmino pode requerer o benefício integral de 
aposentadoria por tempo de contribuição, haja vista a possibilidade de computar o tempo em 
sala de aula em quantidade superior ao efetivamente trabalhado, dada a natureza especial da 
prestação de serviço. ( ) 
 
Comentário: A legislação previdenciária veda expressamente a conversão de tempo de serviço de 
magistério, exercido em qualquer época, em tempo de serviço comum, com aplicação de 
multiplicador superior a 1. Isso significa dizer que cada ano de trabalho como professor equivale a 
exatamente um ano de atividade normal quando for utilizado esse tempo para aposentadoria comum. 
Veja o art. 61, parágrafo 2° do Decreto n° 3.048/99. (Assertiva errada). 
 
155. (Técnico INSS/2008) Tomás, segurado empregado do regime geral da previdência social, 
teve sua capacidade laborativa reduzida por seqüelas decorrentes de grave acidente. Nessa 
situação, se não tiver cumprido a carência de doze meses, Tomás não poderá receber o auxílio-
acidente. ( ) 
 
Comentário: Independe de carência a concessão do auxílio-acidente de qualquer natureza. É assim 
que estabelece o art.30, inciso I do Regulamento da Previdência Social. (Assertiva errada). 
 
156. (Técnico INSS/2008) Marcela, empregada doméstica, após ter sofrido grave acidente 
enquanto limpava a vidraça da casa de sua patroa, recebeu auxílio-doença por três meses. 
Depois desse período, foi comprovadamente constatada a redução de sua capacidade 
laborativa. Nessa situação, Marcela terá direito ao auxílio-acidente correspondente a 50% do 
valor que recebia a título de auxílio-doença. 
 
Comentário: Somente os segurados, empregado, trabalhador avulso e o segurado especial têm direito 
ao benefício auxílio-acidente após restarem consolidadas as seqüelas definitivas que reduzam a 
www.concurseirosocial.com.br
 275 Questões de Concursos Anteriores - Comentadas 
Preparação Concurso INSS – Prof. Ítalo Romano Eduardo 
 
Preparação para o concurso INSS – Uso individual!!!! Página 86 
 
capacidade laborativa do segurado. O segurado doméstico, facultativo e o contribuinte individual 
não têm direito ao auxílio-acidente. (Assertiva errada). 
 
157. (Técnico INSS/2008) Helena, grávida de nove meses de seu primeiro filho, trabalha em 
duas empresas de telemarketing. Nessa situação, Helena terá direito ao salário-maternidade em 
relação a cada uma das empresas, mesmo que a soma desses valores seja superior ao teto dos 
benefícios da previdência social. ( ) 
 
Comentário: O limite máximo para o pagamento do salário-maternidade da segurada empregada 
através do RGPS é o subsídio dos ministros do STF. Esse benefício não obedece ao teto 
previdenciário instituído mediante portaria interministerial. A fundamentação legal é encontrada no 
art. 94 do Decreto n° 3.048/99 combinado com o art. 248 da Constituição Federal. No art. 98 do 
Decreto n° 3.048/99 fica estabelecido que no caso de empregos concomitantes, a segurada fará jus ao 
salário-maternidade relativo a cada emprego. (Assertiva correta). 
 
 Art. 98. No caso de empregos concomitantes, a segurada fará jus ao salário-maternidade 
relativo a cada emprego. 
 
158. (Técnico INSS/2008) Há oito meses, Edna, profissional liberal, fez sua inscrição na 
previdência social, na qualidade de contribuinte individual, passando a recolher regularmente 
as suas contribuições mensais. Dois meses depois da inscrição, descobriu que estava grávida de 
1 mês, vindo seu filho a nascer, prematuramente, com sete meses. Nessa situação, não há nada 
que impeça Edna de receber o salário-maternidade, pois a carência do benefício será reduzida 
na quantidade de meses em que o parto foi antecipado. ( ) 
 
Comentário: A concessão do benefício salário-maternidade pelo Regime Geral de Previdência 
Social, depende do cumprimento de uma carência de dez contribuições mensais, no caso da segurada 
contribuinte individual. Na situação em análise, Edna, contribuinte individual, tinha apenas oito 
contribuições mensais antes do parto, entretanto, como seu parto foi antecipado em dois meses, o 
período de carência foi reduzido também em dois meses, assim a segurada faz jus ao salário-
maternidade, pois a carência de dez meses foi reduzida para oito meses. É dessa forma que ordena o 
art. 29, inciso III e parágrafo único do Regulamento da Previdência Social. (Assertiva correta). 
 Art. 29. A concessão das prestações pecuniárias do Regime Geral de Previdência Social, 
ressalvado o disposto no art. 30, depende dos seguintes períodos de carência: 
............................. 
www.concurseirosocial.com.br
 275 Questões de Concursos Anteriores - Comentadas 
Preparação Concurso INSS – Prof. Ítalo Romano Eduardo 
 
Preparação para o concurso INSS – Uso individual!!!! Página 87 
 
 III - dez contribuições mensais, no caso de salário-maternidade, para as seguradas 
contribuinte individual, especial e facultativa, respeitado o disposto no § 2º do art. 93 e no inciso II 
do art. 101. 
 Parágrafo único. Em caso de parto antecipado, o período de carência a que se refere o inciso 
III será reduzido em número de contribuições equivalente ao número de meses em que o parto foi 
antecipado. 
159. (Técnico INSS/2008) Cláudia está grávida e exerce atividade rural, sendo segurada 
especial da previdência. Nessa situação, ela tem direito ao salário-maternidade desde que 
comprove o exercício da atividade rural nos últimos dez meses imediatamente anteriores à 
data do parto ou do requerimento do benefício, quando solicitado antes do parto, mesmo que a 
atividade tenha sido realizada de forma descontínua. ( ) 
 
Comentário: Será devido o salário-maternidade à segurada especial, desde que comprove o exercício 
de atividade rural nos últimos dez meses imediatamente anteriores à data do parto ou do 
requerimento do benefício, quando requerido antes do parto, mesmo que de forma descontínua. A 
fundamentação legal para o assunto é encontrada no art. 93, parágrafo 2° do Decreto n° 3.048/99. 
(Assertiva correta). 
 
160. (Técnico INSS/2008) Adriana, segurada da previdência, adotou Paula, uma menina de 9 
anos de idade. Nessa situação, Adriana não tem direito ao salário-maternidade. ( ) 
 
Comentário: Adriana não faz mais jus ao salário-maternidade, ela teria direito a receber este 
benefício se tivesse adotado uma criança de no máximo 8 anos de idade. Veja quais os períodos para 
recebimento do salário maternidade em caso de adoção na tabela a seguir: 
 
CASOS DE ADOÇÃO (ART. 93-A DO RPS) 
IDADE 
DA CRIANÇA 
PERÍODO 
SALÁRIO-MATERNIDADE 
ATÉ 1 ANO COMPLETO 120 DIAS 
A PARTIR DE 1 ANO ATÉ 4 ANOS 
COMPLETOS 
60 DIAS 
A PARTIR DE 4 ANOS ATÉ 8 ANOS 
COMPLETOS 
30 DIAS 
 
(Assertiva correta). 
 
www.concurseirosocial.com.br
 275 Questões de Concursos Anteriores - Comentadas 
Preparação Concurso INSS – Prof. Ítalo Romano Eduardo 
 
Preparação para o concurso INSS – Uso individual!!!! Página 88 
 
161. (Técnico INSS/2008) Rute, professora em uma escola particular, impossibilitada de ter 
filhos, adotou gêmeas recém-nascidas cuja mãe falecera logo após o parto e que não tinham 
parentes que pudessem cuidar delas. Nessa situação, Rute terá direito a dois salários-
maternidade. ( ) 
 
Comentário: É devido apenas um único salário-maternidade.