A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
APOSTILA DE CIENCIAS SOCIAIS

Pré-visualização | Página 6 de 6

das áreas urbanas. Assaltos e crimes, que apontam para condições degradantes da vida urbana matando ou mutilando, têm sido freqüentes em muitas cidades. Esta situação provoca insegurança social, destruição ou depredação física e profundos abalos morais, além dos custos elevados com serviços policiais e equipamentos de segurança.
[1] “População das cidades se iguala à rural no planeta. Folha de São Paulo, 28 de Junho de 2007 pag. A14
* É usual encontrar na cidade de São Paulo, pessoas que gastam em média 6 hs por dia em locomoção para o trabalho.
UNIDADE 9: MOVIMENTOS SOCIAIS
O objetivo deste conteúdo é:
 
1- Definir e identificar os novos movimentos sociais;
2- Discutir o papel dos movimentos sociais nos processos de mudança e conservação social;
3- Refletir sobre as novas formas de associação estimuladas pelas novas tecnologias;
 
 
4. A sociedade em movimento.
5. Movimentos da sociedade em rede
 
Bibliografia:
VIEIRA, Liszt. op cit. (p. 110 a 126) 
FERREIRA, Delson. Manual de Sociologia. São Paulo: Atlas, 2001
TOMAZZI, Nelson (org.) Iniciação à Sociologia. São Paulo: Atual, 1993
Por movimentos sociais entendem-se as “ações de grupos sociais organizados que buscam determinados fins estabelecidos coletivamente e tem como objetivo mudar ou manter as relações sociais. (FERREIRA, 2001, p146). 
Há uma tendência em nossa sociedade de criminalizar em termos éticos, ou em termos políticos, os grupos de se organizam em defesa de seus interesses. Porém é preciso considerar que os movimentos sociais procuram interferir na elaboração das políticas públicas econômicas, sociais etc, algo que o indivíduo isoladamente não conseguiria.
Há uma diversidade de movimentos que atuam na sociedade, como ecológicos, feministas, pacifistas, anti-racistas, que surgiram na Europa, e ganham cada vez mais espaço na América Latina.
Os movimentos sociais podem ser divididos em dois tipos: os movimentos que buscam a emancipação e os movimentos que buscam a manutenção da ordem existente.
Exercem maior influência na sociedade os movimentos que se organizam em busca da emancipação. Como exemplo citamos o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, Comitê em Defesa dos Direitos Humanos, o Fórum Social Mundial, o movimento hippie, o movimento estudantil. 
SANTOS (2001) chama atenção para o que denomina “os novos movimentos sociais” que identificam novas formas de opressão que não estão baseadas exclusivamente nas relações econômicas, como os movimentos contra o machismo, o racismo, pacifismo. Desde modo, a atuação dos movimentos não está pautada exclusivamente na luta econômica, na busca do bem-estar material.
Os movimentos sociais contemporâneo podem ser divididos em movimentos de interesses específicos de um grupo social, como o de mulheres, negros etc. Há também os movimentos de interesses difusos, como a ecologia e o pacifismo. Lutando por causas subjetivas, buscam emancipação pessoal e não social, por isso um certo distanciamento do Estado, partidos e sindicatos. 
            SANTOS (2001) analisa que os novos movimentos sociais atuam em estruturas descentralizadas, não hierárquicas e fluídas. Daí uma preferência pela ação política não institucional, dirigida a opinião pública com vigorosa utilização dos meios de comunicação de massa.