A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Constitucional II

Pré-visualização | Página 1 de 4

�PAGE �
�PAGE �1�
1- Direitos Políticos – artigos 14 a 16 da CF
	características gerais
Dentro de um estado de direito, todos têm assegurados pelo ordenamento jurídico, uma certa gama de interesses relativos à propriedade, liberdade, igualdade. Esses interesses são chamados negativos, uma vez que se opõe ao estado e objetivam inibir sua atuação.
	Ao lado desses direitos, existem ainda aqueles que visam assegurar a participação do indivíduo na vida política e na própria estruturação do estado.
	Esses direitos chamados políticos ou “direitos civitatis”, visam justamente permitir ao cidadão atuar na condução do destino de sua coletividade, de forma direta ou indireta, elegendo ou sendo eleito.
direito de votar, 
ser votado, prover cargo público eletivo, 
apresentar projeto de iniciativa popular, 
ingressar com ação popular.
Art. 1º, parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição.
Elementos do estado: 
povo 
território
governo
Nacional x cidadão:	ao analisarmos os direitos políticos faz-se necessária a clara distinção entre o nacional e o cidadão. O nacional é aquele que, por qualquer motivo, como p. Ex. Em razão da idade, ainda não está no gozo dos direitos políticos, atributo essencial à condição de cidadão. daí afirmar-se que todo cidadão é um nacional, mas nem todo nacional é cidadão.
Democracia representativa
	A democracia concebida em seus atributos originários, torna-se impraticável com o crescimento e desenvolvimento cada vez maiores da sociedade moderna.
	Adota-se então um sistema, que embora democrático, se faz pela forma indireta ou semi-direta, onde os cidadãos de um estado, elegem um número limitado de representantes para defender os seus interesses.
Soberania popular - art 14, CF - exercida através do:
sufrágio universal – (seleção de eleitores – direito de votar)
voto (exercício do sUFrágio) – direto, secreto, de igual valor* (vide
 sistema proporcional para eleição de deputados federais – artigo 45, § 1º,
 CF)
Artigo 14 – formas de diminuir a distância entre o eleitor e as decisões do estado (democracia direta – ou semi-direta) *vide lei 9.709/98 - regulamentar
Plebiscito – posicionamento decisório do eleitor perante uma questão de relevância, autorizando a produção legislativa posterior. **ex:- 1993 – forma e sistema de governo;
Referendo – aprovação ou rejeição de ato governamental pronto;
Iniciativa popular – projeto de lei de uma parcela da população a ser submetido a apreciação do poder legislativo (municípios – 5% eleitorado – união – 1 % eleitores de 5 UF no mínimo, e 3/10% do eleitorado de cada um).
Direitos políticos ativos e passivos 
	
I – ativos 
Referem-se à capacidade de ser eleitor, ou seja, de votar, participar de plebiscito e referendo, subscrever projeto de lei de iniciativa popular e propor ação popular (5º, IXXVIII, CF – lei 4.717/65 – regulamenta a ap) não são direitos automáticos, sendo necessário o alistamento eleitoral (artigo 14, § 1º, CF), que será:-
a-) obrigatório – 14, § 1º, I - maiores de 18 anos;
	b-) facultativo –14, § 1º, II menor 18 maior 16; maior de 70; analfabetos.
c-) proibido – 14, § 2º - estrangeiros E S.M.O. (militar conscrito)
II – passivos - possibilidade de ser votado ou elegibilidade. Está ligado diretamente ao direito de se candidatar ao provimento de cargos públicos. Todos os que estão no gozo de seus direitos políticos e alistados, podem se candidatar, exceto os analfabetos.
condições de elegibilidade – artigo 14, § 3º, CF
requisitos subjetivos e idade mínima
inelegibilidade – algumas pessoas, em virtude de certos atributos de ordem subjetiva, tornam-se inelegíveis – não terão direitos políticos ativos.
a-) pelo cargo - artigo 14, § 5º - 
Presidente, governadores e prefeitos – até 1997 (emenda 16/98) não podiam se candidatar para o mesmo cargo no período imediatamente subseqüente;
Hoje:-
 1-) mesmo cargo – não se afastam;
 2-) outro cargo – § 6º - renunciar até 6 meses antes;
b-) por parentesco - § 7º com o titular ou substituto (6 meses antes da eleição) do cargo do executivo (presidente, governador, prefeito), no território de sua jurisdição. 
Graduação parental - até 2º grau - exceção – se já é titular de cargo e candidato à reeleição
c-) militares - § 8º menos 10 anos – afastamento - mais de 10 anos – agregado e, se eleito, inatividade
(**) ( funcionário público – mesma jurisdição?
§ 9º - demais casos de inelegibilidade – lei complementar – justiça eleitoral 
§ 4º - inalistáveis e analfabetos são inelegíveis.
Desincompatibilização – a inelegibilidade é afastada quando a pessoa deixa de ter o atributo subjetivo que a impedia de se candidatar
Conclusão
Portanto o processo de aquisição é gradativo, e nos termos do artigo 14 da CF, § 3º, VI, se inicia aos 16 anos e atinge sua plenitude aos 35.
Perda e suspensão dos direitos políticos
	Artigo 15 – a constituição proibiu a cassação de direitos políticos, para salvaguardar o cidadão de eventuais perseguições por opinião político-ideológica.
	Estabeleceu, porém, casos em que esses direitos podem ser perdidos de forma definitiva ou temporária.
	a-) perda – inciso I, - cancelamento naturalização – casos (crime antes ou tráfico internacional);
					
	b-) suspensão
II – incapacidade civil
III – condenação criminal
IV – recusa de cumprir obrigação a todos imposta ou obrigação alternativa; *importante - a doutrina tem se dividido sobre esse caso, entendendo, parte dela, tratar-se de caso de perda. 
V – improbidade administrativa – ex Collor;			
�
Divisão espacial do poder - organização político -administrativa. União – estados federados – distrito federal – município e territórios
As formas de estado - a estrutura organizacional do estado moderno, impõe necessariamente a sua institucionalização política em três pontos distintos:-
a-) forma de estado – divisão a partir do critério territorial, em vista da descentralização político administrativa, podendo se dar de duas maneiras:-
		I-) unitário – centralização total do poder político – criação normativa
		II-) federal – descentralização do poder político – unidades autônomas (estados) sem soberania
b-) forma de governo – critério de distribuição e organização do poder aos governantes e a forma de participação popular no governo;
		I -) república – mandatos periódicos;
					- eletividade
					- responsabilidade
		II -) monarquia – vitaliciedade 
					- hereditariedade
					- indicação dirigentes
c-) sistema de governo (ou regime de poder) – indicam forma e conteúdo da divisão orgânica do poder:-
		I -) presidencialismo
		II-) parlamentarismo
Estado federal ( forma federativa de estado tem suas raízes na constituição norte-americana de 1787.
Confederação - como o modelo confederativo adotado inicialmente à época da independência da inglaterra, não trazia o melhor para as 13 colônias, em termos unificação nacional, e, uma defesa mais eficaz, tratou-se de implementar um novo modelo de organização político-administrativa que pudesse trazer a união de todos as colônias norte-americanas, sem porém ferir-lhes a independência e a individualidade.
	Dessa maneira, basicamente o estado federal é formado pela união de entes dotados de autonomia política e legislativa, que no entanto abdicam de sua soberania individual a favor da federação.
Pacto federativo – para a manutenção dessa união estabelece-se a necessidade da imposição de normas que vão determinar o alcance e a manutenção dessa autonomia com as seguintes características comuns:-
I) repartição constitucional de competências e rendas (estabelecidas pela constituição)
II) possibilidade de auto-organização por uma constituição própria (constituição estadual)
	III) rigidez constitucional (total quanto ao pacto)
IV) indissolubilidade do vínculo (sem secessão)
	V) participação