Artigo sobre CMMI
11 pág.

Artigo sobre CMMI

Disciplina:Projeto Integrado I16 materiais192 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Projeto Integrado I

CMMI

Nome: Filipe Alves GTI
Marco Wanbaster GTI
Blaumer Queiroz GTI
Curso: Gestão Tecnologia da Informação

Sumário CMMI – Capability Maturity Model Integration
Introdução..............................................................................................................1.1
O Que é o CMMI....................................................................................................1.2
A Historia do Modelo..............................................................................................1.3
Objetivo do Modelo................................................................................................1.4
Estrutura do Modelo................................................................................................1.5
Áreas de processo................................................................................................1.5.1
Objetivos específicos............................................................................................1.5.2
Práticas especificas..............................................................................................1.5.3
Objetivos genéricos..............................................................................................1.5.4
Práticas genéricas................................................................................................1.5.5
Componentes informativos do suporte...................................................................1.5.6
Componentes do CMMI classificados em categorias, devem ser interpretados como ...........................................................................................................................1.5.7
Abordagem de implementação por estágio...............................................................1.6
Visão Geral do Modelo..........................................................................................1.7
Áreas de Processos...............................................................................................1.8
A abordagem contínua de implementação..............................................................1.9
A Equivalencia entre as abordagens deImplementação.........................................1.10
Aplicabilidade do Modelo...................................................................................1.11
Benefícios do modelo ........................................................................................1.12
Bibliografia ......................................................................................................1.13

1.1 Introdução

 Neste trabalho iremos mostrar como o CMMI é aplicado dentro de uma organização a sua grande importância no mercado de TI, aprender desde a aplicação de modelo, suas estruturas até aplicabilidade, como cada uma dessas partes funciona e sua tamanha importância para uma organização.

1.2 O que é o CMMI?
O CMMI nada mais é que “Capability Maturity Model Integration”(modelo de maturidade da capacidade-integração) o mesmo é um framework que ajuda a descrever praticas do processo de desenvolvimento de serviços e produtos tecnológicos. Esse modelo visa ajudar as empresas e organizações relacionadas com desenvolvimento de software, ajuda a melhorar a capacidade de seus processos.
CMMI apresenta as organizações melhores práticas para desenvolver	e fazer manutenção de serviços tecnológicos e produtos tem, usado como um guia na melhoria de processos. Quando uma organização atinge um nível de maturidade, considera-se que seus processos chegaram a uma determinada capacidade, ou seja, existem mecanismos que garantem a repetição sucessiva de ótimos resultados futuros relacionados principalmente à qualidade, custos e prazos.
Fonte:www.isdbrasil.com.br/o-que-e-cmmi.php 1*

1.3 A História do Modelo

 A pedido de uma encomenda feita pelo Dod (departamento de defesa norte americana) o SW-CMM (capatibily maturity model para software) foi criado em 1991 pelo SEI(software Engineering Institute), da CMU (Carnegie Mellon de software) O mercado de empresas de softwares havia, então encontrado nele uma de suas principais referências como modelo de qualidade. Com as diferentes necessidades de organizações originavam aplicáveis e outras disciplinas tais como engenharia de sistemas, aquisição de software, gestão e desenvolvimento de mão de obra e desenvolvimento integrado de produtos e processos envolvendo várias disciplinas. Diante deste cenário, o CMMI (capatibily maturity model) foi criado pelo SEI em 2002 como um modelo evolutivo em relação aos vários CMMs.
Fonte: Implantando a Governança de TI - 4ª Ed.: Da estratégia à Gestão de Processos ...
 Por Aguinaldo Aragon Fernandes,Vladimir Ferraz de Abreu Pag 302 e 303 2*

1.4 Objetivo do modelo

Fornecer maior praticidade para a melhoria de processos e habilidades organizacionais, suas abordagens envolvem o estabelecimento de prioridades, a capacitação das suas áreas de processo, e a implementação de ações de melhoria.
Fonte: Implantando a Governança de TI - 4ª Ed.: Da estratégia à Gestão de Processos ...
 Por Aguinaldo Aragon Fernandes,Vladimir Ferraz de Abreu Pag 304 3*

1.5 Estrutura do modelo

Os principais componentes da estrutura do cmmi, serão apresentados na figura a seguir:

Fonte da figura: SEI(2006) 4*

1.5.1 Áreas de processo
: conjunto de práticas inter-relacionadas, quando executadas coletivamente, alcançam metas consideradas importantes para realizar melhoras significativas. Existem 22 duas áreas de processos:
Análise e Resolução causal (CAR)
Gestão de Configurações (CM)
Análise das Decisões e Resolução (DAR)
Gestão de Projetos Integrados + IPPD (IPM+IPPD)
Medição e Análise (MA)
Desenvolvimento e Inovação organizacional (OID)
Definição do Processo Organizacional + IPPD (OPD+IPPD)
Ênfase no Processo Organizacional (OPF)
Desempenho do Processo Organizacional (OPP)
Formação Organizacional (OT)
Integração do Produto (PI)
Controlo e Monitorização do Projeto (PMC)
Planeamento do Projeto (PP)
Garantia da Qualidade do Processo e do Produto (PPQA)
Gestão Quantitativa de Projecto (QPM)
Desenvolvimento de Requisitos (RD)
Gestão de Requisitos (REQM)
Gestão de Risco (RSKM)
Gestão do Acordo com Fornecedores (SAM)
Solução Técnica (TS)
Validação (VAL)
Verificação (VER)
1.5.2 Objetivos específicos: objetivos relacionados a uma determinada área de processo, que descrevem o que deve ser realizado para assegurar que esteja implementada
1.5.3 Práticas especificas: podem ser detalhadas em subpraticas e possuem como saída os produtos de trabalhos. Descrição das atividades.
1.5.4 Objetivos genéricos: são chamados de genéricos porque a mesma indicação do objetivo se multiplica as múltiplas áreas de processo. Quando atingido, podem indicar se está sendo planejada e implementada de forma efetiva.
1.5.5 Práticas genéricas: as práticas genéricas podem conter derivações especificas (elaboração) relacionadas a cada área de processo em que são aplicadas, uma prática genérica é um componente esperado do modelo.
1.5.6 Componentes informativos do suporte:
 -Notas: Detalhamento e fundamentação teórica.
 -Exemplos: Texto ou lista para clarificar.
 -Amplificações: especializar a utilização de um conceito.
 -Referencias: Indicações com informações adicionais.
1.5.7 Componentes do CMMI classificados em categorias, devem ser interpretados como:
 -Requeridos: Absolutamente necessários para a implementação de uma área de processo. Exemplo: Objetivos específicos, Objetivos genéricos;
 -Esperados: Compõem uma implementação típica de uma área de processo. Exemplo: Praticas especificas e Práticas genéricas;
 -informativos: Auxiliam no entendimento. Exemplo: amplificações da disciplina, Subpraticas;

1.6 A abordagem de implementação por estágios

Pode ser considerada uma evolução direta do CMM, umas vez que é baseada em cinco níveis de maturidade: inicial (1), repetível(2), definido(3), gerenciado quantitativo(4)