A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Comunicacao_a_favor_da_vida_-_Joao_e_Ane

Pré-visualização | Página 2 de 4

- Participação constante em reuniões com órgãos públicos; Bom relacionamento com outras 
entidades, denominadas concorrentes. 
 
 
 
 
 
 
 
2.2 Pontos que poderiam ser melhorados: 
Em relação à estrutura e funcionamento: 
- Paralisação do Projeto Horta: terapia e ocupação; Não utilização da serigrafia pelo público interno 
da Entidade; 
Em relação ao Público interno: 
-Necessidade em proporcionar capacitação dos seus funcionários em relação a outros temas, além 
de drogas e HIV/Aids; Baixo índice de escolaridade entre os alunos e alguns funcionários; 
-Necessidade em fornecer cursos de capacitação aos seus alunos; A entidade não possui 
uma definição clara de sua razão de ser, suas finalidades e valores; Dificuldades em 
fornecer informações aos públicos em relação a pesquisas; Acúmulo de informações nos 
murais; Ausência de programas de recepção, integração e motivação; Falta de uniformização do seu 
público interno, principalmente seu funcionários; Ausência de um calendário de eventos na 
entidade. 
Em relação ao Público externo: 
- Desistências de doações entre a comunidade; Falta de um instrumento de apoio e divulgação 
Institucional; Ausência de relacionamentos com a imprensa. 
2.3 Prognóstico: 
- Criar novas políticas de comunicação para a entidade; Estabelecer relacionamento com os 
diferentes públicos; Elaborar estratégias de integração e motivação interna; Manter relacionamento 
com a imprensa; Promover novas formas de divulgação institucional. 
 
3. Justificativa 
As ONGs possuem como missão prestar algum tipo de trabalho social a 
comunidade, estando baseadas na filosofia dos movimentos populares, nos quais os 
cidadãos participam de modo espontâneo e voluntário. O denominador comum da ONGs é 
a sua razão social de fins não lucrativos (FERNANDES, 1994, p.54). 
Por serem um número expressivo de Organizações Não-Governamentais que 
existem atualmente no mundo e também no Brasil, torna-se difícil desenvolver ações com a 
finalidade de captar apoiadores para as suas causas, por exemplo. 
Partindo do pressuposto de que as Organizações Não-Governamentais, de maneira 
geral, estão agindo de forma diferenciada e planejada, utilizando como matéria-prima à 
informação, ressalta-se a importância em desenvolver um Plano de Comunicação para a 
Casa de Recuperação Pró-Vida. 
Por meio da realização deste Plano e do trabalho de Relações Públicas, busca-se 
possibilitar novos meios e formas de comunicação para a entidade, desenvolvendo ações 
planejadas para os seus públicos de interesse. 
 
 
4. Objetivos 
4.1 Objetivo Geral 
Possibilitar novos meios e formas de comunicação para a Casa de Recuperação 
Pró-Vida, desenvolvendo ações planejadas para os seus públicos de interesse. 
4.2 Objetivo Específico 
 Possibilitar a definição da missão, visão e valores da entidade; 
 Desenvolver ações de integração e motivação interna; 
 Agilizar a busca de dados e informações sobre a entidade; 
 Promover novas formas de comunicação externa; 
 Elaborar estratégias de divulgação institucional. 
5. Públicos do Plano de Relações Públicas 
5.1 Publico Interno 5.2 Público Externo 
 Alunos beneficiários; 
 Diretores; 
 Funcionários; 
 Estagiários; 
 Familiares; 
 Voluntários. 
 Imprensa; 
 Comunidade; 
 Empresas privadas; 
 Órgãos públicos. 
 
6. Período de realização do Plano de Relações Públicas 
 O Plano de Comunicação construído para a Casa de Recuperação Pró-Vida foi 
realizado no período de março a junho de 2003. 
7. Apresentação dos Programas e dos respectivos Projetos 
 
Programa 1 : Administrativo Institucional 
Justificativa: 
 É necessário que as Organizações saibam qual a principal razão de sua existência, quais 
suas responsabilidades perante a sociedade, bem como com seus públicos. A partir do 
desenvolvimento deste Programa, a Casa de Recuperação Pró-Vida e seus integrantes 
saberão a razão pela qual surgiu a entidade e com isso poderão informar aos seus públicos 
de interesse. 
Objetivo: 
- Definir qual a razão de ser da entidade e criar instrumentos para o repasse de informações aos 
seus públicos. 
Projetos Contemplados: 
- Criação da missão, visão e valores. 
- Banco de dados. 
- Portfólio Pró-Vida. 
Públicos: 
- Funcionários e diretoria. 
 
 
 
Projeto: Criação da missão, visão e valores. 
Metas: 
-Obter a participação de 100% dos funcionários 
e diretores na construção da missão, visão e 
valores. 
- Desenvolver o projeto de março a abril de 
2003. 
Estratégia: 
- Realizar reuniões de forma participativa entre 
os públicos envolvidos na definição da missão, 
valores e visão. 
Pontos Positivos: 
- Projeto realizado de forma participativa entre 
os funcionários e membros da diretoria. 
- Houve reflexões entre todos a respeito da 
definição destes termos. 
 
Pontos Negativos: 
- Em função de os membros da diretoria não 
estarem diariamente na entidade, prejudicou a 
participação dos mesmos no projeto. 
- Atraso em duas semanas para a definição dos 
termos. 
 
Projeto: Banco de dados 
Metas: 
Criar pastas para armazenamento dos dados até 
o dia 05 de abril de 2003. 
Estratégia: 
Criar um instrumento de apoio e pesquisa sobre 
a entidade. 
Pontos Positivos: 
- Utilização do Banco de Dados como apoio e 
pesquisa em visitas realizadas pelo público 
externo na entidade. 
- Proporcionou mais agilidade no processo de 
busca de informações sobre a entidade. 
Pontos Negativos: 
- Demora em reunir documentos, atas, resumos e 
seleção de fotos. 
 
 
Projeto: Portfólio Pró-Vida 
Metas: 
-Utilizar o Portfólio Pró-Vida como material de 
apoio em 100% das ações de divulgação 
institucional desenvolvidas pela entidade. 
Estratégia: 
- Utilizar o Portfólio em reuniões com os Órgãos 
Públicos e financiadores, além de utilizá-lo para 
a captação de recursos na comunidade, onde são 
realizadas visitas nas residências, pelos 
supervisores da entidade. 
Pontos Positivos: 
-Utilização do Portfólio Pró-Vida em reuniões 
importantes, onde serviu como material de 
divulgação e apoio; diferenciando das outras 
entidades. 
Pontos Negativos: 
- Esquecimento em utilizar o Portfólio Pró-Vida 
em algumas visitas realizadas na comunidade. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Programa 2 : Comunicação Dirigida 
Justificativa: 
 Os públicos da Casa de Recuperação Pró-Vida possuem características diferenciadas, que 
podem ser relevantes na hora de aplicar determinadas ações de comunicação. 
Para obter resultados positivos, em relação à participação dos mesmos em determinados projetos, 
buscaremos desenvolver ações de comunicação dirigidas para cada segmento de público da 
entidade. Com o desenvolvimento destas ações, buscaremos integrar e motivar os públicos 
envolvidos. 
Objetivo: 
- Integrar e motivar os públicos envolvidos. 
Projetos Contemplados: 
- Bem-vindo a nossa casa. 
- Manual de Integração. 
- Murais. 
Públicos: 
- Alunos beneficiários, Funcionários, Estagiários 
e Diretoria da entidade. 
 
 
Projeto: Bem-vindo a nossa casa 
Metas: 
- Realizar este projeto na última sexta-feira de 
cada mês e atingir 100% dos novos alunos 
beneficiários. 
Estratégia: 
- Promover um encontro para a recepcionar os 
novos alunos beneficiários. 
Pontos Positivos: 
- Participação e interesse de todos os novos 
alunos beneficiários no projeto; 
- Esclarecimento de dúvidas existentes sobre o 
tratamento, normas etc; 
- Entrega de todos os exercícios elaborados 
pelos alunos para serem expostos na entidade. 
Pontos Negativos: 
-Houve, no primeiro encontro, um problema 
com o áudio do vídeo institucional da entidade, 
o que ocasionou atraso na execução do projeto. 
 
Projeto: Manual de Integração 
Metas: 
- Entregar o Manual de Integração a 100% dos 
novos funcionários e estagiários, juntamente na 
execução do Projeto Bem-vindo