A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
252 pág.
Direito Processual Civil

Pré-visualização | Página 5 de 50

A ação em sentido estrito é 
o Aquela que recebe resposta de mérito 
o Na ação de conhecimento deve-se provar o mérito para alcançar o 
convencimento do juiz e julgamento procedente. 
o Deste modo, na ação de conhecimento haverá sentença de mérito, 
enquanto que na ação de execução se dará a prática dos atos 
satisfativos. 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
14 
 
 
DESTE MODO, A AÇÃO: 
 Trata-se do núcleo do processo civil; 
 A palavra ação é equívoca e têm mais de um sentido; 
o Sendo amplo no nível constitucional, enquanto que estrito no nível 
processual. 
 A doutrina civilística, ou clássica, encontrou seu desenvolvimento e consolidação 
em SAVIGNY; 
 Para a Moacyr Amaral Santos, ação era o próprio direito subjetivo material a 
reagir contra a ameaça ou violação. 
 A ação não é outra coisa senão o próprio direito subjetivo material; 
 Daí, 03 conseqüências inaceitáveis: 
o Não há ação sem direito; 
o Não há direito sem ação; 
o A ação segue a natureza do direito. 
 Vicente Greco Filho, aduz que o direito de ação é o direito subjetivo público de 
pleitear ao Poder Judiciário uma decisão sobre uma pretensão. 
 
 
Condições da Ação: 
 
 Com base na teoria eclética de Liebman: 
o Deverão ser observadas no exercício do direito de ação em sentido estrito, 
 Legitimidade, interesse processual e possibilidade jurídica do 
pedido. 
o Na falta de qualquer delas, fica bloqueado o caminho para integral 
prestação da tutela, 
 O que levará o juiz a decretar a carência de ação, 
 Extinguindo o processo sem julgamento do mérito, 
 Sem conhecer da pretensão do titular da ação. 
 
a) Legitimidade “ad causam” ou “legitimatio ad causam” 
 
CPC, art. 3° e 6° 
 
 Para que autor tenha legitimidade deverá ter uma ligação entre ele e o objeto do 
direito afirmado, 
 Em princípio deverá ser o titular da situação jurídica afirmada. 
 Enquanto que ao réu exige-se a relação de sujeição diante da pretensão do autor. 
o Excepcionalmente admite-se a substituição processual, tratando-se de 
alguém pleitear em nome próprio direito alheio, desde que autorizado por 
lei, conforme previsão do artigo 6º do CPC. 
 
 Ninguém poderá corresponder à ação sem a legitimidade, conforme artigo 6º do 
CPC. 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
15 
 
 a.1 - Legitimação ordinária: regra 
o Está autorizado a demandar quem for o titular da relação jurídica, 
o Postular em nome próprio, a coisa julgada atingirá às partes. 
 
 a.2 - Legitimação extraordinária: 
o Denominada por CHIOVENDA como substituição processual, 
o Em nome próprio, mas interesse alheio, 
o A pessoa que é parte não é titular do direito e quem é titular do direito não 
é parte. 
 
 a.2.1 - Substituto Processual: 
o A quem é parte mas não é titular do direito pretendido 
o Dá-se à nominação de substituto processual, 
o Sendo que o titular que não é parte será o substituído. 
o A coisa julgada atingirá o titular que não é parte. 
 Ex.: marido que demanda na defesa dos direitos relativos aos bens 
da mulher do regime dotal (CC, 289, III), que inexiste no CC 2002, 
mas permanece nos casos passados; 
 Ex.: Gestor de negócio (CC, 861) que age na defesa dos interesses do 
gerido. 
 
 É possível alguém que não é parte ser atingido diretamente pela coisa julgada? 
o Sim, no caso de legitimidade extraordinária, 
o Quando houver substituto processual. 
 
 Assistência (CPC, 50, 52, 54) poderá ser simples ou litisconsorcial (aquele que não 
é parte mas será atingido pela coisa julgada) 
o Exemplo: condomínio, venda de coisa litigiosa. 
 
 
b) Possibilidade Jurídica do pedido 
 
 Não é possível ajuizar ação contra a regulação do sistema jurídico brasileiro. 
 Deve-se questionar se a pretensão encontra respaldo na lei. 
 Se o pedido tem condição de ser apreciado pelo Poder Judiciário 
o Sem nenhuma consideração das peculiaridades do caso em concreto 
(mérito) 
o Ex. pacta corvina, cobrança de dívida de jogo. 
 Verifica-se a possibilidade se não viola a lei, nem a moral e os bons costumes. 
 
 
c) Interesse de agir 
 
 Composto pelo binômio necessidade (abrange a utilidade) e adequação. 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
16 
o Há alguns autores que dizem ser um trinômio necessidade, adequação e a 
utilidade. 
 
 Somente existirá interesse se a propositura da ação for indispensável, bem como 
se a ação for apropriada. 
 
 Controvérsias: 
 Existem duas teorias sobre se estão ou não preenchidas as condições da 
ação: 
 
a) Teoria da asserção – Direito Italiano – "Teoria prosptarcione". O 
magistrado ao examinar as condições da ação deverá verificar a 
tudo o que foi provado ao longo do processo. 
b) Teoria exame in concreto – extinção da ação sem julgamento do 
mérito 
 
 
II.3 – CLASSIFICAÇÃO DAS AÇÕES 
 
 As ações podem ser classificadas de várias formas, 
 A doutrina majoritária costuma classificar as ações pelo critério de provimento 
jurisdicional pedido pelo autor. 
o Classificando em ação de conhecimento, ação de execução e ação cautelar. 
 
 Ação de conhecimento: 
o Visa levar ao conhecimento do Judiciário os fatos constitutivos do direito 
alegado pelo autor 
o Visa obter uma declaração sobre qual das partes tem razão, 
o Mediante a aplicação da subsunção da norma ao caso concreto. 
o Subdivide-se em: 
 
1) Meramente declaratória. 
 A pretensão do autor limita-se a declaração da existência ou inexistência de 
relação jurídica ou da autenticidade ou falsidade de documento. 
 Resta satisfeita a pretensão do autor com a mera declaração judicial, 
prescindindo de execução da decisão. 
o Exs.: investigação de paternidade, nulidade de casamento e usucapião, 
nestes casos o reconhecimento da situação fática pretérita terá como 
efeito a retroatividade até a data do fato (ex tunc). 
 
2) Constitutiva ou desconstitutiva. 
 O autor busca a declaração de seu direito violado 
 Também visa à modificação, criação ou extinção de uma relação jurídica 
material preexistente. 
o Exs.: anulação de ato jurídico, despejo por falta de pagamento e 
reintegração de posse. 
 
APOSTILA DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 
Professor Heitor Miranda Guimarães 
17 
o Seus efeitos serão ex nunc, 
 Visto visarem alteração da situação jurídica preestabelecida, 
 Seja modificando ou extinguindo a antiga. 
 
3) Condenatória. 
 A pretensão do autor consiste na declaração de que possui o direito material, 
 Na fixação de uma obrigação de dar, fazer, não fazer ou pagar quantia em 
dinheiro a ser imposta ao réu, 
o Se não cumprida, caberá ao autor o direito de exigir do Estado-juiz que 
faça valer coativamente sua decisão (execução). 
o Exs.: cobrança, nunciação de obra nova e petição de herança. 
o Seu efeito é ex tunc, ou seja, à data da constituição em mora do devedor 
 
 
4 - Ação de Execução: 
 O provimento jurisdicional será eminentemente a satisfação do direito do 
credor, 
 Decorre da inevitabilidade da jurisdição. 
 Têm cabimento sempre que o credor estiver munido de um título executivo, 
o Poderá ser de uma sentença de cunho condenatório (judicial) 
o Ou documentos que tragam em si a presunção legal de liquidez e 
certeza da obrigação inadimplida (extrajudicial). 
 
 
5 - Ação Cautelar: 
 Tem como finalidade: 
o Uma garantia processual que assegure a eficácia da ação de 
conhecimento ou de execução. 
o Visa garantir que as demais modalidades de ação sejam eficazes. 
 
 
II.4 - COMPOSIÇÃO DE LITÍGIOS 
- LIDE - 
 
 A idéia de conflitos de interesses traz em si a de contenda 
 Contestação 
 Litígio 
 Conflito de interesses homogêneos ou antagônicos 
 Perturbação da paz social