A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
39 pág.
APOSTILA BIOQUÍMICA BASICA METAB. CARBOIDRATOS LIPIDEOS E PROTEINAS

Pré-visualização | Página 1 de 8

METABOLISMO DE CARBOIDRATOS
CARBOIDRATOS, HIDRATOS DE CARBONO OU GLICÍDEOS
 São provavelmente os compostos orgânicos mais abundantes nos organismos vivos; 
 Constituem mais de 90% da matéria seca dos vegetais;
 Funções:
- fornecimento de energia na dieta da maioria dos organismos,
- forma de depósito de energia no corpo;
- atuação como componentes da membrana celular;
- componente estrutural de muitos organismos, incluindo as paredes celulares das 
bactérias, o exoesqueleto de insetos e a celulose nas plantas.
 Fórmula simples dos carboidratos (CH2O)n
 Estruturalmente podem ser vistos como aldeídos ou cetonas
 Classificam-se de acordo com o número de ligações glicosídicas:
- Monossacarídeos: são os carboidratos mais simples com apenas uma unidade de açucar 
em cada molécula. Não sofrem hidrólise. Ex: glicose, frutose, galactose.
1
- Oligossacarídeos: Contém de 3 a 20 monossacarídeos, os mais comuns são os 
dissacarídeos. Estes se formam através das chamadas ligações glicosídicas. Ex: lactose 
(galactose+glicose), maltose (glicose+glicose), sacarose (glicose+frutose)
- Polissacarídeos: formados por mais de 20 monossacarídeos. São classificados como 
homopolissacarídeos (contém centenas de unidades de açúcar, mas somente uma espécie 
de monossacarídeo). Ex: glicogênio. E heteropolissacarídeo (que contém uma série de 
espécies diferentes de monossacarídeos). Ex: glicosaminoglicanos.
MONOSSACARÍDEOS
 São classificados em aldoses e cetoses
2
 Tanto as aldoses quanto as cetoses são subdividas em trioses, tetroses, pentoses, 
hexoses, etc....
3
 Os compostos que possuem a mesma fórmula estrutural são chamados isômeros
 Possuem a mesma fórmula química C6H12O6
 Se dois monossacarídeos diferem na configuração em torno de um átomo de 
carbono específico, são definidos como epímeros um do outro.
 Glicose e galactose são epímeros C-4, suas estruturas diferem apenas na posição 
do grupo OH no carbono 4
 Glicose e manonose são epímeros C-2.
 Galactose e manose não são epímeros pois diferem na posição dos grupos OH em 
dois carbonos (2 e 4).
 Enantiômeros: pares de estrutura que são imagens espelhadas uma das outras
 Os dois membros do par são designados de açucar D e açucar L. A grande 
maioria na natureza são D açúcares.
4
 Poucos monossacarídeos com cinco ou mais carbonos existe na forma de cadeia 
aberta, ao contrário são encontrados predominantemente em forma de anel.
5
Principais monossacarídeos
Glicose 
 Açúcar mais abundante na natureza e a principal forma energética para os 
organismos;
 Na forma livre, ocorre em frutos maduros, em folhas, raízes e seiva das plantas;
 Na forma combinada aparece formando vários dissacarídeos.
Galactose
 Também conhecida como “açúcar do cérebro”, pois aparece neste tecido como 
constituinte plástico;
 Não é encontrado na forma livre, mas como resíduo de vários polissacarídeos;
 Abundante no leite, formando a lactose;
 Nos vegetais aparece em vários polímeros.
Frutose
 É a única cetose que ocorre em grande quantidade na natureza; 
 Principal açúcar do mel e de vários frutos;
Xilose
 Pentose não encontrada na forma livre na natureza, mas distribuída em 
polissacarídeos existentes na madeira, palha, casca de cereais.
Principais dissacarídeos
Lactose
 Formado pela galactose e glicose unidas por uma ligação ß-1,4;
 É redutora;
 Alguns indivíduos apresentam problemas em relação à digestão da lactose
Maltose
 Formada por duas moléculas de glicose unidas em ligação α-1,4;
 É um dissacarídeo redutor;
6
 Aparece principalmente como produto da hidrólise do amido, sendo também 
produzida por fermentação na fabricação da cerveja.
Celobiose
 Duas moléculas de glicose unidas em ß-1,4.
 É um dissacarídeo redutor, não encontrado livre na natureza, mas como unidade 
estrutural da celulose, da qual é obtida por hidrólise enzimática.
Sacarose
 Açúcar da cana e da beterraba;
 Apesar de estas serem suas principais fontes, a sacarose é encontrada em todas 
as plantas que sofrem o processo de fotossíntese;
 É um dissacarídeo não redutor, formado por glicose e frutose;
 Quando aquecida em meio muito ácido, a altas temperaturas ou em 
concentrações muito elevadas, pode-se inverter formando o açúcar invertido.
Polissacarídeos 
 São moléculas de alto peso molecular, formados por polímeros de 
monossacarídeos unidos pela ligação glicosídica;
 Fazem parte da estrutura das paredes celulares das plantas superiores ou 
algas marinhas (celulose, hemicelulose, pectina) ou de animais (quitina), são 
reservas metabólicas de plantas (amido, dextranas, frutanas) e de animais 
(glicogênio), agem como substâncias protetoras de plantas, devido à sua 
capacidade de reter grandes quantidades de água.
Amido
 Constitui a mais importante reserva de nutrição de todas as plantas 
superiores, ocorrendo principalmente em sementes, tubérculos e raízes;
7
 Encontra-se presente nos tecidos vegetais sob a fórmula de grânulos 
intracelulares;
 É um homopolissacarídeo formado por duas frações: amilose e amilopectina
Amilose: polímero linear de resíduos de glicose unidos por ligações do tipo α-1,4.
 A proporção que aparecem as moléculas de amilose e amilopectina varia 
entre os amidos procedentes de diferentes vegetais, entre variedades de 
uma mesma espécie;
Celulose
 Principal componente de sustentação das estruturas vegetais;
 É um polímero linear de moléculas de glicose unidas em ligações β-1,4, 
não sendo digerida no trato gastrintestinal humano;
 A ausência de substituintes nas longas cadeias permite sua associação por 
grande número de ligações de hidrogênio, levando à formação estruturas 
cristalinas;
 Estas estruturas, juntamente com o tipo de ligações glicosídicas, tornam a 
celulose mais resistente à hidrólise em meio ácido, ao mesmo tempo em 
que dificultam a penetração da água e reduzem a elasticidade das fibras.
8
Amilopectina: 
polímero ramificado 
também de moléculas 
de glicose com 
ligações do tipo α-1,6
Hemiceluloses
 Correspondem a um grupo de polissacarídeos que se encontra, junto 
com a celulose, lignina e pectina, formando as paredes celulares dos 
vegetais;
 As unidades de monossacarídeos componentes podem incluir xilose, 
arabinose, galactose, manose, glicose;
 Apresentam peso molecular inferior ao da celulose.
Glicogênio
 Polissacarídeo de reserva típico dos animais;
 É uma reserva de glicose de utilização rápida, pois é mobilizado 
facilmente;
9
METABOLISMO DE CARBOIDRATOS EM MONOGÁSTRICOS
Os glicídeos ou carboidratos constituem uma importante fonte energética para os 
animais, pois eles servem de substrato para produzir ATP. Além disso, fazem parte das células 
vegetais e bacterianas. As principais fontes de glicídeos na dieta dos animais monogástricos 
são polissacarídeos, como o amido, glicogênio e dextrinas, também alguns dissacarídeos como 
a sacarose, lactose e maltose.
Entre os polissacarídeos que constituem reservas energéticas estão o amido e o 
glicogênio, ambos formados por unidades de glicose, unidas entre si pelas ligações 
glicosídicas. O amido é encontrado nos vegetais, principalmente nas sementes e tuberosos 
como batata, mandioca. O glicogênio é próprio dos animais. Ambos os polissacarídeos são 
armazenados em grânulos citoplasmáticos. O amido está organizado na forma de dois 
polímeros: amilose e amilopectina. A amilose está composta por milhares de unidades de 
glicose unidas por ligações α 1-4, sem ramificações (molécula linear). A amilopectina possui 
glicoses unidas linearmente