UC7   Técnicas de Produção Vegetal
151 pág.

UC7 Técnicas de Produção Vegetal


DisciplinaAgroindústria e Agronegócio80 materiais1.346 seguidores
Pré-visualização35 páginas
concentradas no centro-sul do país, onde se destacam quatro estados 
produtores: Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Paraná. A Região Nordeste também tem 
plantações na Bahia, e, na Região Norte, destaca-se Rondônia.
A produção de café arábica se concentra em São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Bahia e parte 
do Espírito Santo, enquanto o café robusta (no Brasil, conilon) é plantado principalmente no 
Espírito Santo e em Rondônia, em função de as temperaturas médias anuais oscilarem entre 
22 °C e 26 °C.
No ano de 2014, a produção de café beneficiado (arábica e conilon) no Brasil foi de 45,3 milhões 
de sacas de 60 quilos. Para 2015, a produção arábica estimada é de 32,3 milhões de sacas, ou 
o equivalente a 71,2% do volume de café produzido no país. O maior destaque é o estado de 
Minas Gerais, com o volume de 22,6 milhões de sacas. Já o conilon, que vai a 13 milhões de 
sacas, ocupa 28,5% do total nacional, com o Espírito Santo detendo a maior produção e uma 
colheita de 9,9 milhões de sacas. 
As lavouras em produção e em formação ocupam uma área total de 2,2 milhões de hectares, 
sendo 1,2 milhão apenas em Minas Gerais. O predomínio é da espécie arábica, com 98,8% da 
área total do estado e 53,2% da área cultivada no país. A segunda posição é do Espírito Santo, 
que apresenta área total de 474,6 mil hectares, sendo que 283,1 mil hectares são destinados 
ao conilon \u2013 equivalente a 64,1% da área nacional da espécie.
1. Classificação e características
Observe, a seguir, a classificação botânica do café e um quadro comparando as características 
das duas espécies mais comuns no Brasil.
\u2022 Classe: Dicotiledônea
\u2022 Família: Rubiaceae
\u2022 Tribo: Coffeaceae
\u2022 Subtribo: Coffeinae
\u2022 Seção: Eucoffea
\u2022 Subseção: Erythrocoffea
\u2022 Gênero: Coffea
\u2022 Espécies: Mais de 100 conhecidas
Técnicas de Produção Vegetal
63
Café Arábica 
Coffea arabica L. 
Café Conilon ou Robusta 
Coffea canephora Pierre
Alotetraploide: 2n=44x=44
Autógama: alogamia 7-15%
Menor teor de cafeína: 1,1%
Menor teor de sólidos solúveis
Bebida mais aromática
Unicaule
Folhas: verde mais escuro, menores, mais 
lisas
Frutos maiores, ovalados, com mais 
mucilagem, mais aderidos à planta
Temperatura entre 18 °C e 22 °C
Diploide: 2n=22x=22
Alógama: autoincompatibilidade 100%
Maior teor de cafeína (até 4%)
Maior teor de sólidos solúveis
Utilizado em blends
Multicaule
Folhas: verde mais claro, maiores, mais 
acosteladas
Frutos menores, esféricos, menos mucilagem, 
mais aderidos à planta
Temperatura entre 23 °C e 26 °C
Tópico 2: Morfologia 
Conhecer a morfologia é importante não apenas para identificar as características de uma 
planta, mas para que você possa proporcionar o melhor desenvolvimento dela. Estude com 
atenção e evite ficar com dúvidas. Seja curioso e investigue conceitos e termos desconhecidos.
`
Atenção
Este tópico traz diversos termos novos, específicos da morfologia das plantas. 
Para compreender bem o conteúdo, você conta com um Glossário Ilustrado de 
Morfologia e um Glossário de Termos usados em Atividades Agropecuárias 
disponíveis na biblioteca do AVA. Certifique-se de consultá-los enquanto estuda 
e, em caso de dúvida, procure o tutor.
Curso Técnico em Agronegócio
64
1. Ramos
A planta de café se apresenta na forma de arbusto, com altura variável e copa cilíndrica. 
A espécie C. arabica possui apenas um caule cilíndrico, enquanto a espécie C. canephora é 
multicaule. Seus ramos apresentam um dimorfismo \u2013 alteração na forma \u2013 relacionado com a 
direção do seu crescimento. Os que se desenvolvem na vertical são os ortotrópicos, e os na 
horizontal são chamados plagiotrópicos.
RAMOS 
PLAGIOTRÓPICOS
(PRODUÇÃO)
RAMOS 
ORTOTRÓPICOS
(LADRÕES)
Quando esses dois tipos de ramos crescem de modo proporcional, a C. arabica fica com formato 
cilíndrico (exceto o acaiá, que tem formato cilíndrico cônico). A parte aérea se desenvolve em 
uma única haste ortotrópica até atingir de oito a dez pares de folhas (dominância da gema 
apical sobre as axilares). As gemas axilares, também chamadas de \u201cseriadas\u201d (cinco ou seis 
gemas), podem dar origem a diferentes partes da planta, como ramos plagiotrópicos, ramos 
ortotrópicos (ramo ladrão), frutos e ramos plagiotrópicos secundários. Já a gema apical, ou 
cabeça de série, pode dar origem apenas aos ramos plagiotrópicos primários e secundários. 
A capacidade do cafeeiro de crescer novamente após uma recepa ou poda depende da 
capacidade da gema seriada dar origem a um novo ramo ortotrópico (ladrão). O corte da gema 
apical quebra a dormência das gemas laterais, originando um novo ramo ortotrópico. Se a 
planta sofrer estresses durante o seu desenvolvimento, as gemas laterais serão estimuladas e 
ela emitirá ramos ladrões \u2013 que devem ser eliminados devido ao seu grande efeito competitivo.
Observe, na figura a seguir, que, em cada nó do ramo ortotrópico, existe apenas um par de 
gemas cabeça de série, por isso existe apenas um par de ramos plagiotrópicos em cada nó. Se 
algum desses ramos for perdido, ele não se reconstruirá.
Técnicas de Produção Vegetal
65
ESTÍPULA
RAMO
ORTOTRÓPICO
GEMAS
SERIADAS
GEMA
\u201cCABEÇA DE SÉRIE\u201d
RAMIFICAÇÃO PRIMÁRIA
Originada de uma gema
\u201ccabeça-de-série\u201d
RAMIFICAÇÃO SECUNDÁRIA
Originada de uma gema
\u201ccabeça-de-série\u201d
RAMO ORTOTRÓPICO
Originado de uma gema
seriada
FRUTOS
Originados de
gemas seriadas
RAMIFICAÇÃO SECUNDÁRIA
Originada de uma
gema seriada
Se ocorrer a má condução da planta e ela tiver uma saia malformada, deverá ser feita a recepa 
para que, a partir do novo ramo ortotrópico que irá se formar, possam nascer novos ramos 
plagiotrópicos e dar formação adequada para a planta. É importante destacar que o volume 
da safra de café depende diretamente da capacidade de as gemas seriadas se diferenciarem 
vegetativa ou reprodutivamente. O ideal seria que as gemas seriadas rendessem apenas 
frutos, deixando as ramificações a cargo das demais cabeças de série. Esse fato determinante 
na produção ocorre, normalmente, entre a primeira quinzena de fevereiro e março, e é 
fortemente influenciado pela duração e pela intensidade dos principais fatores ambientais, 
como temperatura e água.
 Recepa
Poda baixa, utilizada para promover a renovação das copas das árvores.
d
Comentário do autor
A altura da copa é um dos fatores que determinam os diferentes cultivares de 
café. Acesse o AVA e saiba mais!
2. Folhas
Em plantas adultas, as folhas têm entre 12 cm e 24 cm, e são delgadas e onduladas de forma 
elíptica. Elas estão em contato direto com a luz e ficam sujeitas a mudanças estruturais \u2013 sol e 
sombra influenciam a plasticidade foliar, alterando, principalmente, a espessura e a área foliar.
Curso Técnico em Agronegócio
66
A epiderme é revestida por uma camada de cutícula que reduz a perda espontânea de água, 
protege contra danos mecânicos e, consequentemente, dificulta a penetração de produtos 
agrícolas. Na parte inferior, encontramos estômatos responsáveis por 90% da água 
transpirada pela planta, sendo que, quanto menor a exposição ao sol, maior a quantidade de 
estômatos encontrados.
 Estômatos
Estômatos são poros microscópicos que se encontram na epiderme dos vegetais, por meio dos 
quais ocorre a troca gasosa entre a atmosfera e os espaços intercelulares dentro do vegetal.
Fonte: Shutterstock
3. Flor e floração
A floração é a etapa reprodutiva da planta e compreende as seguintes fases: indução, 
diferenciação, crescimento e desenvolvimento, dormência e antese. Essas fases podem 
variar de acordo com acontecimentos exógenos e endógenos \u2013 externos e internos \u2013, 
dependendo do cultivar e das condições ambientais predominantes.
A fase de indução floral ocorre entre fevereiro e março na maioria das regiões. Para isso, o ideal 
é que não ocorra um deficit hídrico severo,