A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
115 pág.
Apostila salinização - Professor Nildo dias

Pré-visualização | Página 7 de 28

os solos afetados por sais e 
possíveis tratamentos na recuperação (Richards, 1954) 
A 
 A B 
A 
A 
B 
A 
AMOSTRA DO SOLO 
PASTA DE CONDUTIVIDADE 
pHPS PS 
EXTRATO 
DE 
CONDUTIVIDADE 
ELÉTRICA 
LAVAGEM 
SÓDIO TOTAL 
EXTRAÍVEL 
B 
NÃO HÁ 
PROBLEMA DE 
PERMEABILIDADEDE 
NÃO HÁ 
PROBLEMA DE 
SALINIDADE 
B 
POSSIBILIDADE 
DE ÍONS 
TÓXICOS 
POSSIBILIDADE DE 
ÍONS TÓXICOS 
DEVIDO A ALTA PST* 
A 
RAS 
GESSO 
B NÃO HÁ 
PROBLEMA 
DE SÓDIO 
POSSÍVEIS CONDIÇÕES 
FÍSICAS DESFAVORÁVEIS 
PST CTC 
SÓDIO 
A 
A 
PROBLEMA DE 
SÓDIO 
CARBONATOS 
CORRETIVO ÁCIDO OU CORRETIVO CÁLCIO 
B 
*
 Em solos arenosos e turfosos 
A= Alto: K >0,1 e I > 0,25 cm h-1 
 ou CEes > 4,0 ds m-1, 
B= Baixo: K<0,1 e I< 0,25 cm h-1 
 ou CEes < 4,0 dS m-1 
K = Condutividade hidráulica saturada 
I = Infiltração básica do solo 
 
B 
PS = pasta de saturação 
 A 
 
 
 Prevenção, Manejo e Recuperação dos Solos Afetados por Sais 
30 
A determinação da condutividade hidráulica de uma amostra de solo é uma 
indicação da capacidade de transmissão de água no solo, ou seja, se esta capacidade de 
transmissão for alta, significa que a PST do solo não é excessiva. No entanto, nos solos 
arenosos e turfosos pode conter uma alta PST tóxica para as plantas e, ao mesmo tempo, 
alta permeabilidade; se, porém, a condutividade hidráulica for baixa, deve-se determinar o 
sódio total extraível (sódio trocável + sódio solúvel) ou a RAS, como alternativa. Se 
qualquer um desses valores for baixo, associado a um baixo valor da condutividade 
hidráulica previamente obtido, pode ser resultado de uma má condição física do solo, 
relacionada à textura, ao baixo conteúdo de matéria orgânica ou pode, ainda, ser devido à 
presença de uma camada compacta ou impermeável do perfil. Neste caso, além da 
descrição morfológica do perfil, a determinação da matéria orgânica, a superfície específica 
da argila e a análise granulométrica, podem ser úteis. 
Se o conteúdo total de sódio extraível e a RAS forem baixos, deve-se determinar o 
sódio trocável ou, alternativamente, a PST, a partir do valor da RAS. No caso do sódio 
trocável e a PST serem elevados, deve-se determinar o gesso e, se o teor de gesso no solo 
for alto, é preciso apenas a lavagem para recuperar o solo; do contrário, faz-se necessário o 
uso de melhoradores químicos e, neste, é conveniente determinar a presença ou ausência de 
metais alcalinos terrosos para se escolher o tipo de melhorador químico que irá substituir o 
sódio trocável. A aplicação de melhoradores deve ser seguida de lavagem. Outras 
determinações como pH, percentagem de saturação (PS), CTC, potássio trocável, íons 
tóxicos, densidade e textura, proporcionam informações adicionais e devem ser 
determinadas, caso necessário. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Prevenção, Manejo e Recuperação dos Solos Afetados por Sais 
31 
 
EXERCÍCIO 2 
 
 
 
“IDENTIFICAÇÃO DOS SOLOS AFETADOS POR SAIS” 
 
 
 
 
a) Em que se baseia a identificação dos solos afetados por sais? 
 
b) Quais as características visuais observadas nas plantas e nos solos salinos e sódicos? 
 
c) Por que as características visuais do solo e da planta não têm caráter conclusivo para 
identificar problemas de solos afetados por sais? Cite um exemplo em que as características 
visuais observadas na planta e no solo podem induzir a uma falsa identificação. 
 
d) Descreva: 
d.1) RAS 
d.2) PST, RST e KG 
d.3) CEes 
 
e) Em que formas se expressa a concentração total de sais solúveis presentes nos solos e 
qual delas é considerada a mais adequada? 
 
f) Que unidades de medidas da condutividade elétrica são adotadas atualmente? 
 
g) Quais os fatores que afetam a CE? Uma amostra de solo no laboratório apresentou uma 
CE igual a 2,8 dS m-1, a uma temperatura de 23 ºC. Ajuste o valor da condutividade elétrica 
para a temperatura padrão, multiplicando-o pelo fator de correção encontrado na Figura 9. 
 
h) Uma análise de água de irrigação apresentou o valor da RAS = 12 (mmol L-1)0,5 e 
concentração de Na+ igual a 25 mmolc L-1. Qual a concentração de Ca + Mg e a CE da 
água? 
 
 
 Prevenção, Manejo e Recuperação dos Solos Afetados por Sais 
32 
i) Sabe-se que, na ausência dos resultados de análise do complexo sortivo, a PST pode ser 
estimada mediante uma relação empírica preestabelecida entre a RST e a RAS. Para solos 
do município de Catolé do Rocha, PB, Santos (1997) encontrou a seguinte relação: 
RASRST ×= 01882,0 . Demonstre que 100
1
×
+
=
RST
RSTPST e calcule o valor estimado 
da PST deste solo, considerando que o mesmo apresenta RAS de 10 (mmol L-1)0,5. 
 
j) Um solo irrigado com água de RAS de 12 (mmol L-1)0,5 encontra-se em condições de 
equilíbrio. Se a constante de Gapon (KG) for 0,015, qual será a alteração no valor da RST 
do solo se a água no solo ficar concentrada 3 vezes? 
 
 
k) Um solo apresenta a seguinte análise: pHps= 9,2; CEes= 2,8 dS m-1; Ca, Mg, Na e K 
solúvel igual a 2,3; 0,6; 24,5 e 0,1 mmolc L-1, respectivamente e CO3, HCO3, Cl e SO4 igual 
a 3,8; 5,2; 17,2 e 1,8 mmolc L-1; Ca, Mg, Na e K trocável igual a 3,2; 2,3; 7,1 e 0,3 cmolc kg 
–1
. Calcule: 
k.1) O valor da RAS 
k.2) O valor da PST e RST no complexo sortivo do solo 
k.3) A concentração de sais totais dissolvidos em base de CEes 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Prevenção, Manejo e Recuperação dos Solos Afetados por Sais 
33 
5 VERIFICAÇÃO DOS RESULTADOS DE ANÁLISE QUÍMICA DOS SOLOS 
AFETADOS POR SAIS 
 
5.1 Coerência dos resultados 
 
Uma forma de se estabelecer erros nas análises químicas de solo e água, é utilizar 
a interpretação das relações que existem entre os valores que se obtém com diversas 
determinações. Portanto, a compreensão dos princípios que estas relações envolvem, 
facilita a interpretação das análises. 
 
5.1.1 Condutividade elétrica e concentração total de cátions 
 
A CE em dS m-1, a 25 ºC, quando multiplicada por 10 é aproximadamente igual à 
concentração total de cátions ou ânions solúveis expressos em mmolc L-1, de acordo com a 
expressão: 
 
∑∑ −−− ≅≅× )()(10)( 111 LmmolânionsLmmolcátionsdSmCE cc (16) 
 
5.1.2 Concentração de cátions e ânions 
 
A concentração total de ânions solúveis e a concentração total de cátions solúveis 
são aproximadamente iguais quando se expressam em forma equivalente, em mmolc L-1, ou 
seja: 
 
 ∑∑ ≅ cátionsânions (17) 
 
Considerando-se: 
 100×
+
−
=
∑ ∑
∑ ∑
ânionscátions
ânionscátions
R (18) 
 
Se, 
R < 5 % (Resultado Excelente) 
5 % < R < 10 % (Resultado Aceitável) 
R > 10 % (Resultado Duvidoso) 
 
 Prevenção, Manejo e Recuperação dos Solos Afetados por Sais 
34 
5.1.3 pH e concentração de carbonato e bicarbonato 
 
Em um extrato de saturação ou água, a presença de quantidades tituláveis de 
carbonato indica que o pH do extrato deverá ser maior que 8,5. A concentração de 
bicarbonato raramente excede 10 mmolc L-1 na ausência de carbonato e, se o pH é menor ou 
igual a 7,0, quase nunca passará de 3 a 4 mmolc L-1. 
 
5.1.4 pH e concentração de cálcio e magnésio 
 
Para leitura de pH maiores que 8,5, a concentração de cálcio e magnésio, no 
extrato

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.