ines da silva moreira
167 pág.

ines da silva moreira


DisciplinaServiço Social e Terceiro Setor76 materiais1.327 seguidores
Pré-visualização44 páginas
Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento 
Sustentável. Relatório de sustentabilidade Rio+20. Disponível em: 
<http://www.rio20.gov.br/?set_language=pt-br>. Acesso em: 31 jul. 2012. 
 
______. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de 
outubro de 1988. 30. ed. São Paulo: Saraiva, 2002. 
 
______. PAC 2- Programa de Aceleração do Crescimento. Relatório. Disponível em: 
<http://imprensaacervo.planalto.gov.br/download/pdf/pac2_relatorio_2.pdf>. Acesso 
em: 5 jun. 2013a. 
 
______. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. PAC 2: o circulo virtuoso 
do crescimento. 3º Balanço 2011/2014. Disponível em: 
<http://www.planejamento.gov.br/PAC2/3balanco/pdf/PAC2_ANO1_BALANCO_CO
MPLETO.pdf>. Acesso em: 15 set. 2012a. 
 
______. Ministério das Cidades. Instruções específicas para desenvolvimento de 
trabalho social em intervenções de urbanização de assentamentos precários. 
2007a. Disponível em: 
<http://www.sst.sc.gov.br/arquivos/id_submenu/234/instrucoes_especificas_para_de
senvolvimento_de_trabalho_social.pdf>. Acesso em: 21 jan. 2011. 
BRAZ, M. O PAC e o Serviço Social: crescimento para que e para quem? Serviço 
Social & Sociedade, São Paulo, ano 26, n. 91, p. 49-61, 2007. 
 
BRESSER-PEREIRA, L.C. Lucro, acumulação e crise. São Paulo: Brasiliense, 
1986. 
 
BUARQUE, S. C. Metodologia de planejamento do desenvolvimento 
sustentável. Recife: IICA, 1994. 
 
CADERNOS ABONG: O que esperamos dos governos municipais. São Paulo: 
ABONG, n. 16, p. 37, ago., 1996. 
 
______. O sistema descentralizado e participativo: construindo a inclusão e 
universalizando direitos. São Paulo: ABONG, n. 20, p. 23, out., 1997. 
 
139 
 
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL. Caderno de orientação técnica social (COTS). 
Programas Setor Público. 2004. Brasília, DF. Disponível em: 
<https://webp.caixa.gov.br/urbanizacao/publicacao/texto/programa/Cots_setor_public
o.pdf>. Acesso em: 10 jan. 2013. 
 
______. Caderno de orientação técnico social (COTS). 2010. Disponível em: 
<http://www1.caixa.gov.br/Download/asp/download.asp>. Acesso em: 25 fev. 2011. 
 
CAPRA, F. O ponto de mutação. São Paulo: Cultrix, 1982. 
 
CALDERÓN, A I. Participação popular: uma abordagem na lógica da função 
governativa. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 13, n. 40, p. 28-39, dez. 
1992. 
 
CAMILO, F. ONU apela para que países se esforcem para reduzir a pobreza 
extrema. 2012. Observatório de Relações Internacionais. Disponível em: 
<http://neccint.wordpress.com/2012/03/09/onu-apela-para-que-paises-se-esforcem-
para-reduzir-a-pobreza-extrema/>. Acesso em: 18 abr. 2012. 
 
CARVALHO. M.C. B. (Org). Família contemporânea em debate. São Paulo: 
Cortez, 2003. 
 
CARVALHO, R.; IAMAMOTO. M. V. Relações sociais e serviço social no Brasil: 
esboço de uma interpretação histórico metodológica. São Paulo: Cortez, 1983. 
 
CASTRO, M. H. G. Descentralização e política social no Brasil: as perspectivas dos 
anos 90. Espaço & Debate, São Paulo, n. 32, p. 98-104,1991. 
 
CFESS. Conselho Federal de Serviço Social. Serviço social e a questão urbana 
no capitalismo contemporâneo. 2010. Disponível em: 
<http://www.cfess.org.br/noticias_res.php?id=680>. Acesso em: 1 ago 2012. 
 
CHAUI, M. Cultura e democracia. São Paulo: Cortez, 1989. 
 
______. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 1984. 
 
CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez, 
1998. 
 
CMMAD. Comissão Mundial Sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Nosso 
futuro comum. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 1988. 
 
CRESS. Conselho Regional de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Coletânea de 
Leis: Código de Ética Profissional do Assistente Social. 3. ed. Belo Horizonte, 2001. 
 
COEDUCA. Relatório da Fase 1 do processo de formação do coletivo educador 
ambiental de Campinas. Relatório apresentado ao Fundo Nacional do Meio 
Ambiente. Campinas, 2008. 
 
140 
 
COPETTI, C. A justiça ambiental e a sustentabilidade na sociedade de risco: 
desafios para o direito e para a cidadania. 2011. 107f. Dissertação (Mestrado em 
Administração) - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do 
Sul, Porto Alegre, 2011. 
 
CORDANI, U. G. Ecos da Eco 92 na reunião da SBPC. Estudos Avançados, São 
Paulo, v. 6 n. 15, p. 97-102, maio/ago. 1992. Disponível em: 
<http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-
40141992000200006&script=sci_arttext> Acesso em: 11 jun. 2013. 
 
COSTA, M. C. C. Democracia: o que todo mundo precisa saber. São Paulo: Graal, 
1989. 
 
CUNHA, B. C.; GUERRA, J. T. G. A questão ambiental: diferentes abordagens. Rio 
Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. 
 
CÚPULA DOS POVOS. Cúpula dos povos. Disponível em: 
<http://cupuladospovos.org.br/cupula-dos-povos/>. Acesso em: 12 jun. 2013. 
 
DAE. Departamento de Água e Esgoto de Sumaré-SP. Estação de Tratamento de 
Água (ETA). Disponível em: < http://www2.daesumare.com.br/index.php>. Acesso 
em: 10 jun. 2013. 
 
DALBÉRIO, O. Os desafios éticos da pesquisa social. 2008. 275 f. Tese 
(Doutorado em Serviço Social) \u2013 Faculdade de História, Direito e Serviço Social, 
Universidade Estadual Paulista \u201cJúlio de Mesquita Filho\u201d, Franca, 2008. 
 
DANIEL, C. Gestão local e participação da sociedade. São Paulo: Pólis, 1994. 
 
DAVIS, M. Planeta favela. São Paulo: Boitempo, 2006. 
 
DEMO, P. Política social, educação e cidadania: uma análise do Serviço Social no 
Brasil pós-64. São Paulo: Papirus, 1994. 
 
______. Pesquisa e construção de conhecimento: metodologia científica no 
caminho de Habermas. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1994. 
 
DIAS R. Gestão ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. São Paulo: 
Atlas, 2006. 
 
DIAS, M. R. A atuação do assistente social como educador ambiental nos 
Projetos de Trabalho Técnico Social (PTTS). 2012. 126 f. Dissertação (Mestrado 
em Serviço Social) \u2013 Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade 
Estadual Paulista \u201cJúlio de Mesquita Filho\u201d, Franca, 2012. 
 
DIEESE. Principais aspectos do Programa de aceleração do crescimento. jan. 
2007. (Nota Técnica, n. 41). Disponível em: 
<http://www.adur-rj.org.br/4poli/documentos/dieese_nota_tec_pac.pdf> Acesso em: 
16 mar. 2012. 
 
DIEGUES A. C. O mito moderno da natureza intocável. São Paulo: Hucitec, 1989. 
141 
 
D\u2019ONOFRIO, S. Metodologia do trabalho intelectual. São Paulo: Atlas, 1999. 
 
DORNELES, D. F. A prática do assistente social em uma comunidade 
sustentável: desafios para a sociedade contemporânea. Temporalis, Brasília,DF, 
ano 1, n.1, p. 123-140, jan./jun. 2000. 
 
DUPAS, G. (Org.). Meio ambiente e crescimento econômico: tensões estruturais. 
São Paulo: Ed. Unesp, 2008. 
 
ECO, U. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1983. 
 
FAGNANI, E. Avaliação de políticas sociais: uma questão em debate. São Paulo: 
Cortez, 1998. 
 
FALEIROS, V. P. A política social do estado capitalista: as funções da 
previdência e da assistência sociais. São Paulo: Cortez, 1995. 
 
______. O que é política social. São Paulo: Brasiliense, 1991. 
 
______. Política social do estado capitalista: as funções da previdência e da 
assistência social. São Paulo: Cortez, 1982. 
 
FAUNDEZ, A. O poder da participação. São Paulo: Cortez, 1993. 
 
FERRARO JÚNIOR, L. A.; SORRENTINO, M. Encontros e caminhos: formação de 
educadoras (es) ambientais e coletivos educadores. Brasília, DF: MMA, Diretoria de 
Educação Ambiental, 2005. 
 
FIORI, J. L. Ajuste, transição e governabilidade: o enigma brasileiro. In: TAVARES, 
M. C.; FIORI, J. L. Desajuste global e modernização conservadora. Rio de 
Janeiro: Paz e Terra, 1993. 
 
FOLADORI, G. Limites do desenvolvimento sustentável. Campinas: Ed.. 
Unicamp, 2006. 
 
______. Los límites del desarrollo sustentablle. Montevideo: Ediciones de La 
Banda Oriental, 1999. 
 
______. O capitalismo e a crise ambiental. Revista Outubro, São Paulo, n.