A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Avaliação Parcial HISTÓRIA DO BRASIL REPUBLICANO

Pré-visualização | Página 1 de 4

HISTÓRIA DO BRASIL REPUBLICANO
	
	Simulado: CEL0518_SM_201402518404 V.1 
	Fechar 
	Aluno(a): LUIZ FELIPE DE SOUZA SAMPAIO DA SILVA
	Matrícula: 201402518404 
	Desempenho: 9,0 de 10,0
	Data: 17/05/2016 20:56:43 (Finalizada)
	
	 1a Questão (Ref.: 201402797875)
	sem. N/A: Crise da Monarquia
	Pontos: 1,0  / 1,0 
	Sobre a crise da monarquia no Brasil, leia o seguinte trecho: "A monarquia foi condenada pela sua própria índole, tal é em síntese a observação resultante dos escritos de Suetônio numa obra sobre o Império editada em 1896 e que reúne artigos publicados no periódico O Paiz. O autor procura mostrar que os males do Império advinham menos do Imperador do que da instituição de que ele foi ao mesmo tempo ¿o representante conspícuo e a vítima ilustre". (COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos. São Paulo: Brasiliense, 1987, pp. 268.) Segundo o texto destacado, a monarquia entrou em crise em finais do século XIX por causa das suas instituições, que não mais atendiam os interesses de vários grupos da sociedade brasileira. Sendo assim, assinale a alternativa que relaciona corretamente uma reivindicação de modernização do Brasil em fins do século XIX: 
		
	
	as classes médias urbanas lutavam pela democratização da política, sobretudo através da instituição do voto feminino.
	
	grupos religiosos ligados a Igreja Católica queriam o retorno do Padroado, e a reaproximação entre a Igreja e a monarquia.
	
	após a Guerra do Paraguai, o Exército brasileiro retornou à pátria exigindo maior participação política e fim do voto censitário.
	
	o movimento abolicionista teve vitórias contundentes ao longo da década de 1870 e, por isso, não contribuiu para a queda da monarquia em 1889.
	
	o movimento republicano representava os interesses da elite industrial, que pretendia industrializar a economia brasileira imediatamente.
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201402699588)
	sem. N/A: Política
	Pontos: 1,0  / 1,0 
	Sobre a participação dos militares na Proclamação da República é CORRETO a que:
		
	
	O Partido Republicano foi influenciado pelos imigrantes anarquistas a desenvolver a consciência política no seio do Exército.
	
	O descaso de membros do Partido Republicano, como Sena Madureira e Cunha Matos, em relação ao exército, expresso através da imprensa, levou os "casacas" a proclamar a República.
	
	A proibição de debates políticos e militares pela imprensa, a influência das idéias de Augusto Comte e o descaso do Imperador para com o exército favoreceram a derrubada do Império.
	
	A aliança dos militares com a lgreja acirrou as divergências entre militares e republicanos, culminando na Questão Militar.
	
	O Gabinete do Visconde de Ouro Preto formalizou uma aliança pró-republicana com os militares positivistas no Baile da Ilha Fiscal.
		
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201402695387)
	sem. N/A: Os primeiros anos da República Brasileira
	Pontos: 1,0  / 1,0 
	Leia com atenção o trecho abaixo: 
"Não espanta, portanto, que os aliados de Floriano dotados de recursos políticos mais estáveis - os republicanos paulistas - tivessem sido os beneficiários com a sucessão. Bastavam-lhe duas condições: que o marechal ganhasse as lutas contra os revoltosos (para garantir a 'situação' para ambos os lados da aliança) e que sua ascensão não se fizesse como um desafio ao César vitorioso." (CARDOSO, Fernando Henrique. Dos governos militares a Prudente-Campos Sales. In: FAUSTO, Boris. História Geral da Civilização Brasileira. Tomo III, vol. 2. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006. pp.17-57.p. 49) 
Após o fim da República das Espadas teve início a: 
		
	
	República Naval, caracterizada pela hegemonia política da Marinha.
	
	República Açucareira, caracterizada pela hegemonia política dos latifundiários do Nordeste.
	
	República Oligárquica, caracterizada pela hegemonia política da oligarquia cafeicultora paulista.
	
	República Jacobina, caracterizada pela hegemonia política dos alunos da Escola Militar da Praia Vermelha.
	
	República Estudantil, caracterizada pela hegemonia dos alunos da Faculdade de Direito de São Paulo.
		
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201402697205)
	sem. N/A: A proclamação da República
	Pontos: 0,0  / 1,0 
	A partir do dia 15 de novembro o Brasil deixou de ser um Império. Um novo tipo de regime foi estabelecido e, assim, surgiu um novo período da história brasileira. Sobre a proclamação, marque a alternativa correta: 
		
	
	Ocorreu em função da vitória Brasileira na Província da Cisplatina. 
	
	Representou uma revolução, pois modificou as bases econômicas do País. 
	
	Foi um movimento sem grande participação popular. 
	
	Foi um levante de ampla participação popular. 
	
	Aconteceu em função da instalação do parlamentarismo, decretado por D. Pedro II. 
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201402695398)
	sem. N/A: Os primeiros anos da República Brasileira
	Pontos: 1,0  / 1,0 
	Leia com atenção o trecho a seguir: 
"Até Campos Sales as dissidências estaduais e a divisão entre executivo e legislativo ganhavam contornos ásperos graças às repercussões que encontravam na tropa e o fato de que o florianismo e demais tendências militares mesclavam-se com as oposições civis. Sujeitadas estas ao poder presidencial, a grande querela política limitar-se-ia às alianças e diferenças entre Governo Federal e Governos Estaduais ou suas oposições. Noutros tempos, voltar-se-ia formalmente aos períodos em que as oposições locais poderiam transformar-se em governo graças às derrubadas promovidas pelo Moderador. Campos Sales, consciente de que assim seria na falta de partidos e convicto de que a direção ou a orientação de um processo político "é uma função que pertence aos poucos e não à coletividade", propôs um "pacto oligárquico", capaz de dar cabida a um sistema baseado numa liderança que mais do que pessoal (como no moderador) seria "institucional". (CARDOSO, Fernando Henrique. Dos governos militares a Prudente-Campos Sales. In: FAUSTO, Boris. História Geral da Civilização Brasileira. Tomo III, vol. 2. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006. pp.17-57.p. 64) 
O autor está se referindo ao seguinte arranjo político: 
		
	
	A política dos Governadores.
	
	O militarismo.
	
	O civilismo.
	
	O encilhamento.
	
	O jacobinismo.
		
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201402672038)
	sem. N/A: Política dos Governadores
	Pontos: 1,0  / 1,0 
	Estudos mais recentes a respeito da Primeira República propõem uma analise ampliada da Política dos Governadores. De acordo com Marieta de Moraes Ferreira a Política dos Governadores aliada ao coronelismo não eliminou os conflitos, mas os minimizaram, desta forma as eleições presidenciais foram marcadas por disputas controladas. De acordo com esta interpretação:
		
	
	Ao longo da Primeira República se formou um eixo alternativo de poder que se contrapunha à aliança entre São Paulo e Minas Gerais, concentrava as oligarquias da região sudeste. 
	
	Durante a República Federalista houve predominância das oligarquias de Minas Gerais e São Paulo, submetendo os demais estados aos interesses econômicos da produção cafeeira e de gado.
	
	Houve a predominância da oligarquia de São Paulo, subestimando os demais Estados. Esse fenômeno político tendeu a se fortalecer ao longo da Primeira República.
	
	Foi formado um federalismo desigual marcado pela preponderância de SP, MG e RS sobre as demais unidades da federação. No início da década de 1920 este sistema apresentaria esgotamento.
	
	As oligarquias rurais paulista e mineira impediam qualquer processo de industrialização, pois, controlavam o governo Executivo e Legislativo. Durante a década de 1920 este arranjo seria questionado pelas demais oligarquias. 
		Gabarito Comentado.