Resumo Processo Civil
10 pág.

Resumo Processo Civil


DisciplinaDireito Processual Civil I46.647 materiais824.688 seguidores
Pré-visualização3 páginas
1.Condições da ação art 17 CPC
São condições da ação os requisitos mínimos, para a legitima provocação do Estado Juiz, ou seja, são as condições de existência da própria ação.
1.1 Legitimidade \u201cad causam\u201d: estará legitimado o autor quando for o possível titular do direito pretendido, ao passo que a legitimidade do réu decorre do fato de ser ele a pessoa indicada, em sendo procedente a ação, a suportar os efeitos oriundos da sentença.
Legitimidade ordinária: a própria parte ingressa em juízo pleiteando direito próprio em nome próprio.
Legitimidade extraordinária: terceiro ingressa em juízo pleiteando direito alheio em nome próprio.
Obs: teste de paternidade, pensão alimentícia, etc., não são legitimidade extraordinária e sim representação de menor incapaz, a genitora somente ocupa o polo ativo da demanda. Exceto elementos gravídicos, nos casos de nascituro, pois ainda não nasceu.
O ministério publico em regra, nas ações envolvendo menor ou incapaz, pode configurar como extraordinário conforme artigo 177 e seguintes do NCPC. Somente quando for menos incapaz.
1.2 Interesse Processual: Para que se tenha interesse é necessário que o provimento judicial seja útil a o quem postule. É a soma de três expressões:
Necessidade: É necessário que aja um conflito;
Utilidade: Necessite do judiciário para resolver a lide; 
Adequação: Que os fatos de adeque a lei.
Se faltar qualquer uma da ação o processo terá que ser instinto, tendo que ter interesse processual e legitimidade.
2. Elementos da Ação
Os Elementos prestam-se para identificar as ações tornando possível averiguar quando elas são idênticas ou se diferenciam, bastando que um deles se altere para que se modifique a ação.
2.1 Causa de Pedir: É a essência da ação, o motivo pelo qual o autor moveu a ação;
Regra geral: a essência da ação é imutável, a essência, no entanto poderá ser complementada desde que o complemento não se revele incompatível com a causa de pedir.
Pedido: sinônimo do objeto, pretensão bem de vida (pretensão à satisfação de um direito lesado ou ameaçado). Regime jurídico do pedido artigo 324 ate o 329 do CPC.
OBS: O pedido poderá alterado até a citação do réu, após a citação do réu somente pode ser alterado com sua concordância. Pode ser alterado até a fase de saneamento do processo, conforme artigo 329 & 2º CPC (saneamento art. 357).
Partes: São as pessoas que litigam no processo o autor e o réu.
3. Litisconsórcio	
É a pluralidade de partes em um mesmo processo. O litisconsórcio ocorre quando duas ou mais pessoas podem litigar no mesmo processo em conjunto ativo ou passivo.
3.1 Espécie do Litisconsórcio
Necessário: É quando for determinada por lei ou a própria natureza da causa exigir. Ex: anulação de casamento
Facultativo: É aquele que se estabelece pela vontade das partes.
Multitudinário: É uma modalidade do litisconsórcio facultativo que o juiz visando evitar tumulto processual com um número excessivo de partes, poderá desmembrar o processo, dando origem a outros processos litisconsorciais.
3.2 Regime de tratamento
Unitário: O litisconsórcio será unitário quando o juiz tiver que decidir a lide de forma idêntica para todos os litisconsortes.
Simples: O litisconsórcio será considerado simples quando a decisão de mérito dada pelo juiz não será necessariamente idêntica para todos os litisconsortes, podendo inclusive ser procedente com relação a um e improcedente com relação ao outro. 
3.3 Quanto ao momento de sua Formação
Originário: Nasce no início do processo.
Superveniente: Se forma no decorrer do processo.
4. Intervenção de terceiros
É o ato de ingressar em processo instaurado entre outras partes quando a lei expressamente o autorize. Todos aqueles que não são partes consideram-se, em relação àquele processo, terceiros.
4.1 Intervenção Voluntária
Assistência (locator vs locatario): Na assistência o terceiro que possua interesse jurídico na causa, ingressa em juízo objetivando auxiliar a parte escolhida a um resultado positivo na demanda. A assistência tem cabimento em qualquer juízo instancia ou tribunal bem como em qualquer rito processual, exceto no juizado especial civil.
Haverá interesse jurídico sempre que o terceiro mantiver relação jurídica com alguma das partes. Sendo imprescindível que o resultado da demanda tenha a potencialidade de irradiar consequências sobre referida relação jurídica.
Uma vez habilitado o assistente a parte contraria terá o prazo de 15 dias para manifestar a sua discordância com essa habilitação. E havendo discordância o juiz decidirá esse incidente processual sem suspender o processo. A assistência se divide em:
Simples: O assistente pode suprir a vontade do assistido, mas jamais poderá contrariar sua vontade.
Litisconsorcial: Não há subordinação tendo assistente e o assistido a mesma atividade processual. O assistente vira parte.
Em suma, o assistente litisconsorcial é aquele que poderia ter sido parte desde o início do processo, mas ingressa quando este já se encontra em andamento, dando azo à formação de um litisconsórcio ulterior.
\u201cAmicus Curie\u201d (especialista): Art. 138 CPC, O \u201cAmicus Curie\u201d pode ser ou uma pessoa natural ou uma pessoa jurídica ou órgão ou entidade especializada o qual, devido à relevância da matéria há especificidade do tema ou a repercussão social da controvérsia poderá se manifestar.
Nessa modalidade de intervenção de terceiros o \u201cAmicus Curie\u201d não poderá interpor qualquer recurso salvo embargos e declaração ou na hipótese de o magistrado contrariar o incidente de resolução de demandas repetitivas, vide Art. 138 parágrafo 3° combinado com o Art. 976 Ambos do CPC.
4.2 Intervenção Provocada 
Denunciação a LIDE (seguro): Tratada nos Art. 125 ao 129 do NCPC, a Denunciação da Lide é a modalidade de intervenção provocada onde o Autor e Réu pretendem resolver demanda regressiva contra um terceiro, onde aquele que eventualmente perder a demanda já aciona um terceiro para que este o indenize em ação de regresso. Simplificadamente pode-se dizer que a Denunciação da Lide nada mais é do que uma ação de regresso incidente a um processo já existente. Tem como finalidade reservar a economia processual.
O CPC/2015 inova nesta modalidade ao deixar de torna-la obrigatória, e sendo cabível apenas em duas hipóteses:
Ao alienante imediato, no processo relativo à coisa cujo domínio foi transferido ao denunciante, a fim de que possa exercer os direitos que da evicção lhe resultam, sendo permitida, neste caso, uma única denunciação sucessiva, promovida pelo denunciado, contra seu antecessor imediato da cadeia dominial ou quem seja responsável por indenizá-lo, não podendo o denunciado sucessivo promover nova denunciação;
Àquele que estiver obrigado, por lei ou pelo contrato, a indenizar, em ação regressiva, o prejuízo de quem for vencido no processo.
Chamamento ao processo (devedor chama outro devedor): Trata-se de direito do réu de chamar, para ingressar no polo passivo da demanda, os corresponsáveis por determinada obrigação. Não é uma modalidade de intervenção obrigatória, podendo ser feito apenas pelo Réu, tendo por fim a economia processual.
Incidente Desconsideração da personalidade jurídica (atingir patrimônio do sócio para sanar dívida da empresa): A desconsideração da personalidade jurídica autoriza o Poder Judiciário a ignorar a autonomia patrimonial entre a empresa e seus sócios ou administradores, sempre que for manipulada para prejudicar os credores. Desta forma, o patrimônio dos sócios é alcançado na reparação de danos provocados pela empresa a terceiros, quando houver desvio de finalidade ou confusão patrimonial, para os quais os gestores tenham concorrido.
Desconsideração em sentido estrito: ocorre quando se atinge o patrimônio do sócio a parti da desconsideração da pessoa jurídica. Então eu desconsidero a existência da pessoa jurídica e entro no patrimônio do sócio afim de reparar o dano.
Desconsideração inversa da personalidade Jurídica: Se dá quando atinge o patrimônio da sociedade para responder da dividas do sócio pessoa