A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
49 pág.
AULA 1.1_Equipamentos cirurgicos

Pré-visualização | Página 1 de 3

EQUIPAMENTOS E A MONITORIZAÇÃO DO 
PACIENTE EM CENTRO CIRURGICO 
 
 
Prof. Erika Boller 
 
SDE 0077 
ENSINO CLINICO V 
TEÓRICO-CIRÚRGICO 
 A Monitorização do paciente crítico 
serve para guiar as condutas 
terapêuticas e facilitar a interpretação do 
estado do paciente por meio de leitura 
da medidas. Utilize os recursos com 
cautela: “Trate o paciente e não o 
monitor”. 
3.0 EQUIPAMENTOS E A MONITORIZAÇÃO 
DO PACIENTE EM CENTRO CIRURGICO 
 
 
a) Monitor cardíaco 
 É um equipamento eletrônico, que 
permite visão constante do ECG do paciente, 
observando continuamente a atividade elétrica 
do coração detectando qualquer distúrbio e 
ritmo. 
 Este estimulo elétrico é conduzido até a 
superfície do corpo sendo detectado através 
de eletrodos fixados a pele. 
 Analisando-se as ondas pode-se identificar 
qualquer distúrbio na freqüência, ritmo ou 
condução cardíaca. 
Á Enfermagem cabe observar no 
Monitor cardíaco 
Possíveis arritmias que o 
paciente possa vir apresentar; 
Correta disposição dos 
eletrodos; 
Possíveis interferências que 
podem surgir; 
Manter alarmes sempre 
ligados e adequado aos 
parâmetros do paciente. 
Monitor modular máximo 
 Tela colorida de 15", com alta 
resolução; 
 8 canais de curva de onda com cor 
selecionável; 
 Unidade básica para 6 módulos; 
 Módulos Disponíveis ECG com 7 
derivações e Respiração; 
 Oxímetro de pulso (SpO2); 
 Pressão Arterial Não Invasiva 
(PANI); 
 Pressão Invasiva (1 ou 2 canais); 
 Capnografia (ETCO2, Resp., O2, 
MinCO2). 
 Débito cardíaco com 2 canais de 
temperatura; 
 
c) Oximetria de pulso 
 É a modalidade mais presente de 
monitorização não-invasiva na prática 
clínica. A saturação de oxigênio é definido 
como à porção de hemoglobina no sangue 
capaz de combinar-se reversivelmente com 
o oxigênio. A oximetria de pulso é realizada 
através de um foco de luz vermelha e 
infravermelha, que é dirigido de um diodo 
emissor de luz a um fotorreceptor, a partir 
de um leito pulsátil. A absorção da luz na 
sístole cardíaca é determinada 
preponderamente pelo sangue arterial nos 
tecidos. 
 O equipamento indica a saturação de oxigênio 
e freqüência de pulso; possui barra gráfica 
indicadora de nível de sinal; alarmes pré-
configuráveis; bateria recarregável. 
 
Situações que podem interferir no 
oxímetro de pulso 
 Posicionamento incorreto do sensor; 
 Presença de esmaltes e extremidades frias. 
Enfermagem: observar 
na Oximetria de pulso 
 
a
) 
 
Posicioname
nto correto 
do oxímetro; 
b
) 
 
 
Queda da 
saturação; 
c
) 
 
 
Locais 
indicados 
para a 
mensuração 
da 
Oximetria. 
Oximetro portátil com 
alarmes e indicador 
luminoso (LED) 
 
 Portátil, com alça de transporte; 
 Indicação de saturação de 02 e freqüência 
de pulso; 
 Barra gráfica indicadora de nível de sinal; 
 Alarmes pré-configuráveis; 
 Bateria recarregável. 
d) Capnógrafo 
 É um recurso não-invasivo, valioso 
indicador de função respiratória o qual 
registra o CO2 expirado final (ETCO2). 
Aumenta a segurança do ato cirúrgico e 
detecta problemas como intubação seletiva, 
desconexão do ventilador, embolia pulmonar, 
hipertermia, entre outros. 
Capnógrafo 
 Equipamento utilizado para captar a 
saída do gás carbônico (CO2) que ocorre a 
cada expiração do ar de nossos pulmões. 
O equipamento capta o CO2 pois é 
interposto entre o tubo ventilatório do 
paciente e o ventilador mecânico. 
e) Bombas de infusão 
 Dispositivo 
eletrônico de controle 
do fluxo de infusão 
projetados para 
exercer uma força 
para administrar 
fluídos com um fluxo 
preciso. 
Bomba de infusão 
 Quando utilizadas apropria-
damente, são consideradas 
uma tecnologia confiável e 
segura para a efetividade da 
Terapia Intra Venosa. Existem 
vários tipos de BI e estas 
oferecem vários tipos de 
programações, e dispositivos 
para a detecção de 
complicações. 
Bombas de Infusão 
 Dispositivo eletrônico para 
o controle do fluxo de infusão 
de soluções I.V. São vários os 
modelos, o enfermeiro deve 
selecionar o tipo mais adequado 
para as características de sua 
clientela. Algumas BI possuem 
programações para uso adulto e 
pediátrico, possibilitando infu-
são de microfluxo a partir de 
0,1 mL/h. 
Bomba de infusão e alarme 
Embora existam diferentes 
dispositivos de infusão, todos 
utilizam alguma forma de 
pressão para a adminis-
tração precisa de medicações 
e fluídos. Podem ser bombas 
de pressão positiva ou 
positiva variável. 
Alarme de oclusão - soa 
quando a resistência no 
sistema esta aumentada, 
deve-se investigar vários 
fatores. 
DESFIBRILADOR 
 Portátil e de fácil operação com 8 teclas sensíveis 
a toque para a seleção das 16 energias de 
desfibrilação, com indicação luminosa; 
 Escala para desfibrilação interna e externa, adulto 
e infantil; 
 Teste de funcionamento de pás, incorporado 
através de placas de contato aparente, com 
indicação luminosa; 
 Possibilidade de uso de pás internas e externas, 
adulto e infantil, com seleção automática de 
escala de energia; 
 Bateria recarregável com capacidade de 50 
disparos em 360 J. 
EQUIPAMENTOS DE 
VIDEOCIRURGIA 
 Os instrumentos 
laparoscópicos podem ser 
divididos em: trocartes e 
cânulas e agulhas, 
dissectores, pinças de 
preensão e tesouras, porta-
gulhas, grampeador e 
outros instrumentos. 
 
UNIDADE DE BISTURI ELÉTRICO 
 O bisturi elétrico é um 
aparelho eletrônico que tem a 
propriedade de transformar a 
corrente elétrica alternada 
comum em corrente elétrica 
de alta freqüência, mas que, 
apesar da intensidade, não 
ocasiona alterações orgânicas 
nem excitação nervosa. 
As Unidades Eletrocirúrgicas 
A Técnica Monopolar A Técnica Bipolar 
As Unidades Eletrocirúrgicas 
 Os Efeitos Eletrocirúrgicos 
Dissecação 
Fulguração 
Corte 
 
 
 
As Unidades Eletrocirúrgicas 
 Os efeitos 
eletrocirúrgicos depen-
dem de fatores como : 
 Tipo do eletrodo; 
 Modo de saída; 
 Técnica cirúrgica. 
 
Acessórios 
Eletrodos ativos 
 
Acessórios 
Eletrodos Passivos 
Acessórios 
Eletrodos 
Pedais 
Bisturi elétrico 
instalado no paciente 
 Este aparelho é utilizado com a finalidade 
de promover a eletrocoagulação e a 
eletrodissecção. A eletrocoagulação consiste 
na oclusão dos vasos sanguíneos e linfáticos, 
através da solidificação das substâncias ou 
retração dos tecidos. A eletrodissecção 
consiste na secção dos tecidos e isto é feito 
através da dissolução da estrutura molecular 
celular dos tecidos, havendo desidratação e 
fusão dessas células próximas ao eletrodo 
positivo. 
Cuidados quanto ao funcionamento do aparelho 
de eletrocirurgia e cuidados com o paciente 
 Os cuidados que devem ser observados pelo 
enfermeiro de SO quanto ao funcionamento do 
aparelho e cuidados com o paciente são dados a 
seguir: 
 Observar as instruções sobre o manejo do 
aparelho. 
 Conhecer os objetivos, funcionamento e manejo 
da unidade. 
 Inspecionar se todo o material está em boas 
condições, se não há partes de fio elétrico 
expostas, se as conexões e tomadas elétricas 
estão em ordem. 
 Verificar se a voltagem da corrente elétrica do 
interruptor da SO corresponde a do aparelho. 
 Selecionar o local apropriado e colocar a placa 
inativa de modo a proporcionar boa área de 
contato, antes de a equipe cirúrgica iniciar o 
preparo da área operatória. 
 Evitar o contato do paciente com outras partes 
metálicas da mesa ou de acessórios, forrando 
bem estes locais com campos ou coxins e 
revisando-os após o paciente