relatorio inorganica experimental
71 pág.

relatorio inorganica experimental


DisciplinaQuímica Inorgânica I3.018 materiais28.068 seguidores
Pré-visualização13 páginas
\ufffd
\ufffd
EXPERIMENTO 01
PRÁTICA DO CROMO
Objetivo
Verificar experimentalmente propriedades e reações características do cromo, tendo em vista principalmente a variação de seus estados de oxidação.
Fundamento Teórico
O elemento químico cromo é um metal de transição branco, cristalino com baixa maleabilidade e ductibilidade, possui número atômico 24 e massa atômica relativa 51, 996 u está localizado no grupo VI-B da tabela, seu nome eriva da palavra \u201cChroma\u201d e traduzida do grego é cor.
É encontrado na natureza na forma de cromita (FeCr2O4), um óxido duplo de ferro e cromo de coloração amarelo ocre, de onde o cromo é extraído industrialmente por processos térmicos ou eletrolíticos. Foi descoberto pela primeira vez pelo químico Louis Nicolas em 1797 que o isolou em 1798, a partir de um mineral chamado crocoíta encontrado na Sibéria.
É resistente ao ataque de ácidos como HCl e H2SO4 á temperatura ambiente, daí vem a importância do metal para a galvanoplastia, que reveste desde maçanetas de portas, até estruturas metálicas pelo processo de eletrodeposição, além de ser usado na fabricação de ligas metálicas contendo ferro e níquel que são altamente resistentes a corrosão.
Os sais desse elemento formam soluções extremamente coloridas, os íons Cr+2, Cr+3 apresentam coloração verde e violeta, de acordo como meio reacional. Enquanto o dicromato é laranja e cromato é amarelo por apresentarem Nox +6. O cromo é um metal que tem uma forte tendência a sofrer oxi-redução podendo formar inúmeros compostos ora comportando-se como ácido ora como base. Como por exemplo:
O cromo é metal pesado que tem efeito acumulativo, e causa diversos males a saúde do ser humano e de animais quando sua presença no meio ambiente ultrapassa os limites predeterminados.
Tem ampla utilização em processos químicos principalmente em eletroquímica e síntese orgânica.
Propriedades físicas:
Ponto de fusão: 1765°C
Estados de oxidação: Cr+2, Cr+3 e Cr+6
Configuração eletrônica: 1s², 2s², 2p6, 3s², 3p6, 3d5, 4s¹
Símbolo na tabela periódica: Cr
Materiais e Reagentes
	Reagentes
	Materiais
	Balança Eletrônica
	ácido acético (CH3COOH P.A)
	Bastão de vidro
	Ácido clorídrico concentrado (HCl P.A)
	Béquer de 250mL
	Ácido sulfúrico concentrado ( H2SO4 P.A)
	Bico de Bunsen
	Água Destilada (H2O)
	Cadinho de Porcelana
	Cloreto de bário (BaCl2 1,0 M)
	Espátula
	Cloreto de cromo III (CrCl3 0,5 M)
	Estante para tubos de ensaios
	Cromato de sódio ou potássio
	Pinça de madeira
	Dicromato de amônio,(NH4)2Cr2O7 P.A
	Pipetas de 10mL e 5mL
	Dicromato de sódio (Na2Cr2O7 0,5 M)
	Pissete
	Fosfato de sódio (Na3PO4 P.A)
	Triângulo de Porcelana
	hidróxido de amônio (NH4OH 1,0 M)
	Tripé
	Hidróxido de Sódio (NaOH 1,0 M)
	Tubo de ensaio
	Peróxido de hidrogênio (H2O2 a 30%)
	Vidro de relógio
	Peróxido de hidrogênio (H2O2 a 6%)
	
	Dicromato de potássio (K2CR2O7 0,5M)
Procedimento Experimental
ESTADO DE OXIDAÇÃO 6+
Em um tubo de ensaio colocar cerca de 4,0 mL de Cromato de sódio ou potássio colocar gotas de ácido sulfúrico e 5 ,0 mL de peróxido de hidrogênio (H2O2) P.A . Observar.
Em outro tubo de ensaio colocar cerca de 4,0 mL de dicromato de sódio e sobre este com cuidado colocar 3,0 mL de ácido sulfúrico concentrado (tomar cuidado quando adicionar o ácido ( reação violenta). Observar.
Colocar cerca de 5,0 mL de dicromato de potássio em um tubo de ensaio e sobre este colocar cerca de 2,0 mL de ácido sulfúrico concentrado(cuidado)e 5,0 mL de ácido clorídrico concentrado. Observar:
ESTADO DE OXIDAÇÃO 5+
Em um tubo de ensaio colocar cerca de 4,0 mL de cromato de sódio e 0,5 ml de soluçâo de NaOH. Adicionar pequena quantidade de peróxido de hidrogênio(H2O2) P.A. Deve ser formado um composto de cor vemelho-acastanhado.
ESTADO DE OXIDAÇÃO 3+
Em um cadinho colocar cerca de 2,0g dicromato de amônio, (NH4)2Cr2O7 levar ao aquecimento , tomar cuidado Pois o aquecimento leva ao desprendimento de nitrogênio e poeira, pode causar irritação.
REATIVIDADE
Colocar dentro de um tubo de ensaio cerca de 5,0 mL de Cloreto de cromo III aquecer próximo a fervura e após um ligeiro resfriamento colocar ainda quente solução de hidróxido de amônio, até formação de um precipitado ,um excesso de hidróxido amônio solubiliza parte do precipitado.
Colocar dentro de um tubo de ensaio cerca de 5,0 mL de cloreto de cromo III e sobre este acrescentar 4,0 mL de Hidróxido de sódio. Observar o que acontece.
Aproveitar o precipitado formado no item \u201cB\u201de acrescente excesso de hidróxido de sódio . Observar a mudança de cor .
Usando o item \u201cC\u201d acidificar com HCl . Observar.
Em um tubo de ensaio colocar cerca de 1,0 g de Fosfato de sódio (dibásico) e solubilizar em água em seguida, colocar 5,0 mL de cloreto de cromo III dividir em duas partes Ä\u201d e \u201cB
Parte Ä\u201d acrescentar ácido clorídrico concentrado.
Parte \u201cB\u201dacrescentar ácido acético.
Em um tubo de ensaio colocar cerca de 3,0 mL de cloreto de cromo III acrescentar hidróxido de sódio até total precipitação. Em seguida coloque Peróxido de hidrogênio (H2O2) a 6%. Observar o que acontece com a coloração.
Identificação de Cromo- Colocar em um tubo de ensaio cerca de 5,0 mL de cloreto de bário e sobre este colocar 4,0 mL de cromato de potássio. Observar.
Resultados e Discussão
Oobjetivoda aula foi alcançado. Foipossívela observação da destilação 
fracionada do etanol em seus diferentes estágios, possibilitando as análises necessárias e 
aplanando os conhecimentos a cerca das técnicas e teorias utilizadas
ESTADO DE OXIDAÇÃO 6+
Obtivemos uma coloração alaranjado e com aparecimento de bolhas subia rapidamente com uma reação endotérmico.
Obtivemos nessa reação muito violenta fumaça e com uma coloração vermelho e uma reação endotérmico. 
Obtivemos uma coloração alaranjado e com uma reação endotérmico.
ESTADO DE OXIDAÇÃO 5+
Obtivemos na reação a liberação de um gás, uma reação exotérmico com a coloração vermelho-acastanhado.
ESTADO DE OXIDAÇÃO 3+
Obtivemos um aquecimento e no cadinho a colocação da reação marrom e na borda um negro.
REATIVIDADE
Obtivemos um precipitado branco e com uma coloração verde .
Obtivemos que formação de um rápido precipitado verde.
Observamos que não voltou a se formar nem um precipitado.
Obteve-se uma solução de cor verde-azulada
Obteve \u2013se uma cor verde intensa
Obteve \u2013se um cor azulada 
Obteve-se uma coloração amarelo-esverdeada
O precipitado nessa reação é o cromato de bário, de coloração amarela.
6)Questionário
Descrever a solubilidade do Cromo metálico frente ao ácido clorídrico diluído ou concentrado e o ácido sulfúrico concentrado.
O ácido sulfúrico e solúvel em gua, não chega a se dissolver completamente devido à quantidade de água disponível.
O ácido clorídrico e uma reação exotérmica e solúvel em água e tem uma liberação de um gás.
Por que não foi realizado nenhum ensaio para o Cromo IV (Cr4+ ) e o Cromo II(Cr2+ ) ?
O Cr (II) apresenta caráter básico devido seu baixo estado de oxidação. O Cr (V) e Cr (VI) apresentam comportamento ácido nos estados de oxidação mais alto. E dependendo da substância com que reajam, o Cr (III) e Cr (IV) são anfóteros.
O Cr (II) e Cr (III) são os mais estáveis. Enquanto o Cr (IV) e Cr (V) são raros de se encontrar. 
Qual o estado de Oxidação mais estável para os compostos do Cromo?
A configuração eletrônica do Cr no estado fundamental é de d5s1, com orbitais semi preenchidos estáveis. 
Analisando essa configuração eletrônica pressupõe que formem compostos onde o metal se encontra nos estados de oxidação entre (+I) e (+VI).
Os íons nos estados (+II), (+III) e (+VI) são os metais importantes. O Cr (+II) é redutor, o (+III) é o mais estável e importante e o Cr(+VI) é fortemente oxidante.
Para cada estado de oxidação o cromo apresenta uma cor característica, qual