A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Gasometria arterial

Pré-visualização | Página 1 de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS 
COLÉGIO TÉCNICO 
ANÁLISES CLÍNICAS 
BIOQUIMICA CLINICA 
PROFA. MARIANA COSTA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
GASOMETRIA 
 
 
 
 
 
 
Cristina Santos 
Esther Iolanda 
Julia Alvarenga 
Nayara Rufino 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
BELO HORIZONTE, 2014 
Cristina Santos 
Esther Iolanda 
Julia Alvarenga 
Nayara Rufino 
 
 
Profa. Mariana Costa 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
GASOMETRIA 
 
 
 
 
 
 
 
Trabalho realizado para a disciplina 
Bioquímica clínica, a pedido da professora 
Mariana Costa, professora do curso de Analises clínicas 
do COLTEC-UFMG; ao qual foi feita uma 
pesquisa a respeito da Gasometria, 
um exame laboratorial que consiste na 
medição da concentração dos 
gases presentes no sangue. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Belo Horizonte, 2013 
SUMÁRIO 
 
1. INTRODUÇÃO ........................................................................................................... 4 
2. OBJETIVO DA GASOMETRIA ................................................................................ 5 
3. ESCOLHA DAS AMOSTRAS E COLETA ............................................................... 6 
4. TIPOS DE GASOMETRIA ......................................................................................... 8 
5. CONSERVAÇÃO DA AMOSTRA ............................................................................ 9 
6. VALORES DE REFERÊNCIA ................................................................................. 10 
7. APLICAÇÕES DA GASOMETRIA ......................................................................... 11 
8. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ........................................................................... 12 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1. INTRODUÇÃO 
 
O equilíbrio ácido-básico refere-se aos mecanismos fisiológicos que mantêm a 
concetração dos líquidos corpóreos numa faixa compatível com a vida, pois esses 
íons reagem com determinadas moléculas proteícas (enzimas celulares) gerando 
alterações na composição de proteínas estruturais e funcionais, nas funções 
enzimáticas, excitabilidade das membranas, dissocição e movimento iônico e 
reações químicas. 
Para que os líquidos fiquem na faixa de referência desejada têm-se então um 
sistema tampão, no qual a adição de H
+ 
ou OH
-
 não altera o pH, principalmente do 
sangue que é em torno de 7,4. O sistema tampão consiste na mistura de 
componentes ácidos e básicos que permite que o equilíbrio seja deslocado para a 
formação de reagentes ou produtos, conforme se faz necessário.Os principais 
tampões do espaço extracelular são o bicarbonato e as proteínas plasmáticas. No 
espaço intracelular destacam-se a hemoglobina e os fosfatos. Esse equilíbrio 
depende basicamente da função renal e da função respiratória. 
A gasometria consite em um exame invasivo fundamental e básico na Unidade 
Terapia Intensiva (UTI) que revela os valores de pH sanguíneo, pressão parcial de 
gás carbônico (PaCO2) e oxigênio (PaO2), íon bicarbonato (HCO3
-
) , saturação da 
oxi-hemoglobina (SaO2), excesso de base (BE) entre outros que visam avaliar o 
equilíbrio ácido-básico orgânico. 
Os ditúrbios relacionados com o equilibrio ácido-básicos estão associados ao 
maior risco de disfunção de órgãos e sistemas e óbitos em pacientes internados em 
terapia intensiva, por isso a importância tão grande desse exame em uma UTI, visto 
que pacientes desse setor apresentam problemas nas funções renais e/ou respiratória. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2. OBJETIVO DA GASOMETRIA 
 
Os valores gasométricos são pedidos quando apresenta-se um quadro de 
anormalidede na ventilação, oxigenação e estado ácido-básico, pois o objetivo 
da gasometria consiste em dosar os níveis de gases- O2 e CO2, o pH e equilíbrio 
ácido-base do sangue avaliado. Dependendo do gasômetro, pode avaliar também 
os níveis de eletrólitos do sangue, como sódio, potássio, cálcio iônico e cloreto. 
A leitura é obtida pela comparação desses parâmetros na amostra com os 
padrões internos do gasômetro. 
Podem ser pedidos outros exames ao mesmo tempo, como eletrólitos, para avaliar o 
equilíbrio eletrolítico, glicose, para pesquisar diabetes, e ureia e creatinina, para avaliar 
a função renal. Em pessoas recebendo oxigenioterapia, a gasometria é usada para 
monitorar a eficácia do tratamento. 
 É importante ressaltar que o valor de bicarbonato expresso na gasometria não é 
medido diretamente e sim calculado através da equação de Henderson-Hasselbach, 
usando os valores de pH e pressão parcial de gás carbônico (PaCO2) medidos, onde: 
 
 
 S= Base conjugada 
 A= Ácido conjugado 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
3. ESCOLHA DAS AMOSTRAS E COLETA 
 
Quando se está interessado em uma avaliação da performance pulmonar, deve ser 
sempre obtido sangue arterial, pois esta amostra informará a respeito da hematose e 
permitirá o cálculo do conteúdo de oxigênio que está sendo oferecido aos tecidos. No 
entanto, se o objetivo for avaliar apenas a parte metabólica, isso pode ser feito através 
de uma gasometria venosa. 
 
Gasometria Venosa: 
Realizar a coleta de sangue venoso. 
CONDIÇÕES: Sangue total heparinizado. Volume recomendável de 5,0 mL. 
Fazer 15 minutos de repouso antes da coleta- se cliente tiver feito algum tipo de 
esforço físico, por exemplo, ter andado muito, prolongar o repouso para 30 
minutos. Deve-se tomar todo o cuidado necessário para eliminar resíduos de ar 
dentro do material colhido, toda e qualquer bolha deve ser removida da amostra 
imediatamente alem de vedar a agulha com uma rolha de borracha. No caso de 
transporte do material até o local de leitura, o mesmo deve ser transportado a 2-8ºC, 
realizando-se a leitura dentro de – no máximo – 15 minutos. 
 
Gasometria Arterial: 
São necessários 2,0 mL de sangue arterial em seringa heparinizada. A 
colheita é feita com uma agulha pequena geralmente da artéria radial do punho, 
da artéria femoral na virilha ou da artéria braquial no braço. Antes de realizar a 
colheita deve-se passar o anti-séptico. 
Antes da amostra ser colhida é realizada a “Prova de Allen” que visa 
verificar a permeabilidade do arco palmar e seu enchimento pela artéria ulnar. 
Para realizar a prova Allen deve-se comprimir as artérias radial e ulnar junto ao 
punho, orientando o paciente para abrir e fechar a mão por cerca de cinco 
vezes,observando a mudança de coloração para palidez. 
A técnica consiste em fazer a palpação e localização do pulso radial junto 
ao punho e próximo ao processo estilóide do rádio, fazer a anti-sepsia do local, 
introduzir o bisel voltado para cima, em um ângulo de 60
o
 a 90
o 
em relação á 
artéria radial, aprofundando a agulha até que haja fluxo de sangue na seringa e 
finalmente fazer compressão no local por 5 a 10 minutos, até que o sangramento 
estanque. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Teste de Allen: teste usado para avaliar o 
suprimento sanguíneo da mão através da avaliação das 
artérias ulnar e radial. O teste avalia as mãos que teriam 
maior risco de sofrer isquemia com procedimentos. 
 
 
 
 
Obs.: A colheita de sangue arterial em geral é mais dolorosa que a de 
sangue venoso. A pessoa sente um desconforto moderado e há necessidade de 
compressão do local durante algum tempo para evitar sangramento.