A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
AVALIANDO O APRENDIZADO DIREITO CIVIL III 2017.4

Pré-visualização | Página 1 de 3

DIREITO CIVIL III – CCJ 0014
AVALIANDO O APRENDIZADO
2017.4 - JAMES FÁBIO DE ARAÚJO SANTANA
	Simulado: CCJ0014_SM_201602327009 V.1  
	Aluno(a): JAMES FÁBIO DE ARAÚJO SANTANA
	Matrícula: 201602327009 
	Desempenho: 0,5 de 0,5
	Data: 23/10/2017 23:01:38 (Finalizada)
	
	 1a Questão (Ref.: 201602482550)
	Pontos: 0,1  / 0,1 
	(PGESC 2009 FEPESE) Assinale a alternativa INCORRETA. 
		
	
	A boa-fé objetiva deve ser observada pelas partes na fase de negociações preliminares e após a execução do contrato, quando tal exigência decorrer da natureza do contrato. 
	
	A cláusula geral contida no art. 422 do novo Código Civil impõe ao juiz interpretar e, quando necessário, suprir e corrigir o contrato segundo a boa-fé objetiva, entendida como a exigência de comportamento leal dos contratantes. 
	
	O instituto da onerosidade excessiva, positivado no novo Código Civil, pode ser verificado nos contratos de execução continuada ou diferida e sempre terá como consequência a revisão contratual. 
	
	A função social do contrato, prevista no art. 421 do novo Código Civil, constitui cláusula geral, a impor a revisão do princípio da relatividade dos efeitos do contrato em relação a terceiros, implicando a tutela externa do crédito. 
	
	O instituto da onerosidade excessiva está vinculado aos problemas relacionados com o sinalagma funcional do vínculo obrigacional. 
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201602501427)
	Pontos: 0,1  / 0,1 
	De acordo com o que dispõe o Código Civil a respeito dos contratos, assinale a opção CORRETA:
		
	
	A onerosidade excessiva, oriunda de acontecimento extraordinário e imprevisível, ainda que dificulte extremamente o adimplemento da obrigação de uma das partes em contrato de execução continuada, não enseja a revisão contratual, visto que as partes ficam vinculadas ao que foi originariamente pactuado.
	
	A resilição bilateral não se submete à forma exigida para o contrato.
	
	Considere que um indivíduo ofereça ao seu credor, com o consenso deste, um terreno em substituição à dívida no valor de R$ 30 mil, a título de dação em pagamento. Nessa situação, se o credor for evicto do terreno recebido, será restabelecida a obrigação primitiva com o devedor, ficando sem efeito a quitação dada, ressalvados os direitos de terceiros.
	
	O evicto pode demandar pela evicção, por meio de ação contra o transmitente, mesmo sabendo que a coisa adquirida era alheia ou litigiosa.
		
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201602434382)
	Pontos: 0,1  / 0,1 
	(Questão 14 29º Exame OAB-RJ) Quanto à classificação, o contrato de compra e venda de imóveis se apresenta da seguinte forma:
		
	
	Consensual, bilateral, oneroso e não solene;
	
	Consensual, bilateral, oneroso e solene;
	
	Bilateral, oneroso, formal e aleatório;
	
	Oneroso, bilateral, não formal e consensual.
		
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201602960826)
	Pontos: 0,1  / 0,1 
	(OAB 2009-1) De acordo com o que dispõe o Código Civil a respeito dos contratos, assinale a opção correta. 
		
	
	A resilição bilateral não se submete à forma exigida para o contrato.
	
	O evicto pode demandar pela evicção, por meio de ação contra o transmitente, mesmo sabendo que a coisa adquirida era alheia ou litigiosa.
	
	Considere que um indivíduo ofereça ao seu credor, com o consenso deste, um terreno em substituição à dívida no valor de R$ 30 mil, a título de dação em pagamento. Nessa situação, se o credor for evicto do terreno recebido, será restabelecida a obrigação primitiva com o devedor, ficando sem efeito a quitação dada, ressalvados os direitos de terceiros.
	
	A onerosidade excessiva, oriunda de acontecimento extraordinário e imprevisível, ainda que dificulte extremamente o adimplemento da obrigação de uma das partes em contrato de execução continuada, não enseja a revisão contratual, visto que as partes ficam vinculadas ao que foi originariamente pactuado. 
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201602434458)
	Pontos: 0,1  / 0,1 
	Com relação aos contratos e sua formação, estão correto afirmar que:
		
	
	a aceitação da proposta de contrato com adições, não importará nova proposta.
	
	o contrato não se aperfeiçoa, se a retratação do aceitante chegar antes da aceitação ou com esta.
	
	o contrato é formado, mesmo se a resposta do policitado chegar após o prazo estabelecido pelo policitante, que o dispôs expressamente como condição para o negócio jurídico.
	
	os contratos entre ausentes aperfeiçoam-se desde a expedição da aceitação, sem exceção.
	
	considera-se celebrado o contrato no domicílio do policitado.
		
	
	
	 1a Questão (Ref.: 201602434163)
	Pontos: 0,1  / 0,1 
	(Questão 17 27º Exame OAB-RJ) Com relação ao contrato de compra e venda, NÃO É CORRETO afirmar: 
		
	
	É válida a venda de ascendente solteiro a descendente, que obtém o consentimento dos demais descendentes, quando da realização de avença 
	
	O condômino em coisa indivisível, ao desejar vender a sua parte no bem, deve, antes de vendê-la a um estranho, dar direito de preferência na aquisição, tanto por tanto, aos demais condôminos 
	
	Na venda ad mensuram as referências às dimensões do imóvel são meramente enunciativas, não cabendo demanda quanto a uma eventual diferença nas medições 
	
	É nula a pactuação firmada que deixa ao exclusivo arbítrio de uma das partes a fixação do preço 
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201602434377)
	Pontos: 0,1  / 0,1 
	(Questão 28 117º Exame OAB-SP) O comodato é classificado entre os contratos reais porque
		
	
	não se resolve em perdas e danos, no caso de inadimplemento.
	
	se perfaz no momento em que o bem é entregue.
	
	é cômodo.
	
	seu objeto compreende a entrega de determinado bem.
	
	implica a transferência de direitos reais sobre determinado bem.
		
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201602551528)
	Pontos: 0,1  / 0,1 
	No contrato de compra e venda, 
		
	
	será ele anulável, quando se deixa ao arbítrio exclusivo de uma das partes a fixação do preço.
	
	até o momento da tradição, os riscos da coisa correm por conta do comprador, e os do preço por conta do vendedor.
	
	seu objeto pode ser coisa atual ou futura, ficando sem efeito o contrato se esta não vier a existir, salvo se a intenção das partes era de concluir contrato aleatório. 
	
	será nula a venda de ascendente a descendente, salvo consentimento expresso do cônjuge do alienante e dos demais descendentes.
	
	não podem as partes fixar o preço em função de índices ou parâmetros, em razão do curso forçado da moeda.
		
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201603040479)
	Pontos: 0,1  / 0,1 
	48. Considere as afirmativas relativas à compra e venda: I. Nulo é o contrato de compra e venda, quando se deixa ao arbítrio exclusivo de uma das partes, a fixação do preço. II. Salvo cláusula em contrário, ficarão as despesas de escritura e registro a cargo do vendedor, e a cargo do comprador as da tradição. III. Até o momento da tradição, os riscos da coisa correm por conta do comprador, e os do preço por conta do vendedor. IV. Não sendo a venda a crédito, o vendedor não é obrigado a entregar a coisa antes de receber o preço. Está correto o que consta em:
		
	
	I e IV, apenas.
	
	I, II, III e IV. 
	
	III e IV, apenas.
	
	I e II, apenas.
	
	II e III, apenas. 
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201602501414)
	Pontos: 0,1  / 0,1 
	Quanto aos contratos de compra e venda, analise as afirmativas e identifique a CORRETA:
		
	
	Até a tradição da coisa, os riscos do preço correm por conta do vendendor
	
	É nula a cláusula que deixar a fixação do preço ao arbítrio de terceiro
	
	A fixação do preço pode ser deixada