A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Pequeno Manual do Projeto Sustentável

Pré-visualização | Página 1 de 2

Pequeno Manual do Projeto Sustentável
O terreno escolhido acarreta a densificação da cidade? 
A necessidade de deslocamento e a impermeabilização do solo são grandes fatores do aumento dos gases de efeito estufa.
As infraestruturas existentes ou projetadas são suficientes e satisfatórias? 
Se já houver uma infraestrutura que seja qualificada e atenda às necessidades de energia elétrica, rede de água e de esgoto, pode ser feita uma reforma, assim materiais e energia são economizados.
O lugar é atendido por meios de transporte público e acessível a pedestres e a usuários de meios de transporte alternativos? 
É de suma importância a acessibilidade de transportes públicos (são considerados acessíveis caso seus pontos estejam situados a menos de 400m) e meios de transporte alternativos (como bicicletas), pois assim carros deixam de ser a única maneira de acesso ao local. Além disso o transporte público garante fácil acesso a pontos e serviços da cidade.
Há serviços no entorno do imediato? 
Um local que forneça oportunidades iguais a diversas gerações e classes sociais, garante valo a sustentabilidade do projeto. Dentre essas oportunidades destacam-se: escolas, serviços públicos, comércio, esporte, cultura, lazer, etc. A junção desses fatores garante a qualidade de vida e igualdade de oportunidades, assim gerando a paz social.
Uma nova construção é indispensável para atender as necessidades? 
Para a demolição, descarte ou reciclagem de um edifício já existente, haverá um gasto de energia, geração de ruído e poeira, sem contar o impacto social e/ou cultural. Portanto é indispensável a avaliação da real necessidade da demolição, podendo optar pela reforme e/ou expansão, sendo estas opções ecologicamente corretas.
O lugar possui boa insolação? 
A insolação no terreno também é importante, pois permite a obtenção de energia solar passiva, o que garante uma aproveitamento maior da luz do Sol, economizando energia e garantindo conforto aos moradores. Também deve ser estudado a angulação da incidência solar ao longo do ano, para um aproveitamento maior ainda.
O solo é contaminado? 
Construir em solo contaminado também é uma boa opção, pois descontamina o terreno e evita a passagem de poluentes para os lençóis freáticos .
O lugar conta com vegetação de qualidade? 
A vegetação danificada durante uma construção deve ser compensada em outro lugar, porém próximo, ou ainda, no terreno.
O lugar é afetado por fatores de desconforto ambiental? 
Deve-se fazer um estudo de emissões sonoras e eletromagnéticas, qualidade do ar no entorno, pois são os principais fatores de desconforto ambiental. 
A construção proposta contribui para a diversidade funcional? 
É importante saber se a função do edifício se adapta ao bairro e à cidade, pois em um bairro onde encontramos diversas funcionalidades como comércio, empresas, moradia, ensino e lazer, garante que o morador não tenha que se deslocar até esses pontos, diminuindo o consumo de combustível e consequentemente, a emissão de gases de efeito estufa.
O empreendimento promove a diversidade social? 
A disponibilidade dessas funções garante interação e participação de todas as esferas, garantindo um bom convívio social e evitando conflitos.
O programa de necessidades promove a densidade adequada? 
O programa e a área devem se adaptar ao lugar. Maximizando a densidade da infraestrutura, evita-se expansão urbana.
Qual o impacto do edifício no âmbito social? 
A necessidade do local deve ser levada em conta para não gerar um impacto negativo no bairro, pois cada nova infraestrutura e os programas e moradores que trazem, afeta de uma forma, trazendo melhorias para as necessidades ou acaba por piorar.
Qual o impacto do edifício sobre o entorno imediato? 
Devido aos impactos gerados (olfativo, acústicos, visuais, luminosos, etc.), o programa de necessidades deve desenvolver soluções e melhorias (arborização, afastamento de outros edifícios, áreas externas, etc.).
O programa permite certa flexibilidade? 
O edifício deve ser durável, para isso, seu programa deve permitir a compatibilidade de usos futuros, como reformas e ampliações. Espaços muito especializados não permitem isso. 
Quais espaços podem ser compartilhados? 
Através de um estudo do programa de necessidades, podemos tornar um mesmo espaço disponível para diferentes atividades, o que garante uma economia de espaço, material, além de ser uma forma de convívio de diferentes usuários. Como exemplo temos lavanderias comunitárias, depósitos, área de atividades coletivas, etc.
O edifício cria um microclima urbano? 
A altura e largura de um edifício, bem como o espaço que ocupa na implantação, acaba por influenciar no clima no seu entorno, seja de maneira positiva ou negativa. Através de sua altura, posicionamento, localização e fachada, podemos ter uma obtenção melhor da luz solar, dos ventos (não só no edifício, mas também sua passagem entre as outras construções), criando um ambiente melhor.
O projeto gera desconfortos eventuais no entorno? 
Os desconfortos podem ser sonoros, olfativos, visuais ou lumínicos. É importante o estudo das necessidades e do que o local do edifício comporta, para que a funcionalidade não gere desconforto e impactos negativos no ambiente.
O que acontece com as águas pluviais e residuais? 
A água da chuva pode ser coletada para fins de reuso, e as residuais¹ podem ser coletadas 
O edifício projetará sombras na área vizinha? 
Devido a sua altura e orientação solar, o edifício poderá projetar sombras na área vizinha. Em alguns casos, o Código de Obras abordará esse ponto, especificando a altura permitida em cada região do município. Mas quando não é o caso, será necessário desenvolver um estudo de insolação e das sombras projetadas, para assegurar que a mova construção não prejudique o conforto das já existentes. 
A orientação solar do edifício é otimizada? 
Cada zona climática possui sua orientação solar. Por isso cada área deve ser estudada de acordo com sua orientação ideal. Porém isso não significa que deva haver apenas uma orientação. Pois espaços sombreados também são necessários, assim como a ventilação cruzada. A fachada Norte fornece uma quantidade maior de iluminação, por receber a iluminação da tarde. Já a leste, recebe a iluminação da manhã, o que a torna melhor para os dormitórios. Ambientes bem iluminados naturalmente ajudam a combater a depressão.
Os espaços externos favorecem um microclima protegido? 
Deve-se pensar na implantação o bloqueio de ventos, o nível de insolação, proteção solar ou acústica, revestimentos que protejam de sol e chuva, etc. O conforto para o convívio nessas áreas externas também deve ser pensado.
A vegetação existente está preservada? 
O desenvolvimento de uma árvore demora anos para se completar e assim beneficiar seu entorno. Por isso, a vegetação existente deve ser preservada, caso as plantas estejam em bom estado e saudáveis. Em terrenos degradados, as espécies nativas devem ser preservadas pois permitem a reconstituição do húmus necessário para o desenvolvimento da vegetação.
O projeto fornecerá o surgimento de um novo biótopo²? 
Com um projeto que permita a instalação de biótopos, a fauna e a flora podem se desenvolver e se adaptar ao clima e ao solo, protegidas dos desconfortos ambientais e da poluição.
O edifício e seus espaços externos minimizam a impermeabilização do solo? 
Ao reduzir a impermeabilização, incentivamos um possível processo de repovoamento vegetal e a drenagem natural da água da chuva, alimentando o lençol freático. Há muitas variedades de materiais que aguentam uma grande carga e que permitem a drenagem das águas. A única exceção é caso o solo for poluído, pois assim, os lençóis freáticos são poluídos pela drenagem.
O projeto minimiza operações de terraplanagem? O entulho é reutilizado no terreno? 
A modificação na topografia do terreno pode alterar o equilíbrio hídrico e ecológico da área. A criação de platôs e subsolos gera uma grande quantidade de entulho, e seu transporte gera um desconforto

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.