A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
04 Aeração

Pré-visualização | Página 1 de 5

Aeração
APRESENTAÇÃO
Você sabe como realizar um projeto de uma edificação, tendo a certeza de que ela será bem 
ventilada? Como se pode garantir o conforto térmico de uma edificação e o bem-estar dos 
moradores por meio da aeração? Ambientes arejados, onde é possível uma ventilação natural, 
são mais confortáveis a seus usuários. Priorizar a ventilação natural é, nos dias de hoje, ainda 
mais fundamental, porque o vento - sendo um recurso natural - quando bem utilizado, evita ou 
diminui o consumo de energia das edificações.
Nesta Unidade de Aprendizagem, você entenderá a definição de aeração, percebendo a 
importância dela e da ventilação para os ambientes e edificações. Além disso, identificará os 
tipos de ventilação natural e a aeração ideal para os ambientes.
Bons estudos.
Ao final desta Unidade de Aprendizagem, você deve apresentar os seguintes aprendizados:
Definir o significado de aeração em arquitetura.•
Reconhecer a importância da aeração em arquitetura.•
Justificar a aeração ideal em diferentes projetos.•
DESAFIO
Ventilação é o nome que se dá ao conjunto de processos que promovem, de forma controlada, os 
fluxos de ar entre o interior e o exterior. É chamado ventilação natural o sistema de aeração de 
uma edificação que não utiliza qualquer elemento mecânico, se apropriando apenas do vento 
para promover o arejamento.
O uso da ventilação natural é um dos princípios básicos da arquitetura sustentável (ou da boa 
arquitetura), pois o vento é um recurso natural, gratuito e renovável.
Imagine um loteamento, onde estão sendo projetadas diversas casas para abrigar moradores de 
uma área da cidade que será utilizada para a construção de um aeroporto. Esses moradores 
deverão sair dessa área, que será desapropriada, e ir morar nesse novo loteamento.
Para um melhor aproveitamento da área útil desse loteamento, você, arquiteto e urbanista, optou 
por locar as residências lado a lado, sem recuos. Da mesma forma, os fundos dessas residências 
não poderão ter aberturas, pois elas estarão grudadas ao fundo das unidades da outra rua. Essas 
residências serão pequenas, de apenas um pavimento e terão somente um recuo frontal.
Qual seria o tipo de ventilação natural mais apropriado para garantir a troca de ar dessas 
residências? Justifique sua escolha e faça um croqui demonstrando a técnica utilizada.
INFOGRÁFICO
A aeração é a ventilação natural das edificações, importante recurso para garantir a salubridade 
dos ambientes e o bem-estar de seus ocupantes. Ela pode ser introduzida nas edificações por 
meio de variadas técnicas.
Quer saber quais são as técnicas? Veja no Infográfico. 
CONTEÚDO DO LIVRO
Desde o movimento moderno, priorizar a ventilação das edificações e de seus ambientes é um 
aspecto fundamental para uma arquitetura de qualidade. 
No capítulo Aeração, da obra Introdução ao projeto arquitetônico, você irá aprender a 
importância da aeração e as técnicas que podem ser utilizadas para garantir um projeto - e uma 
obra - de qualidade. 
Boa leitura.
INTRODUÇÃO 
AO PROJETO 
ARQUITETÔNICO
Vanessa Scopel
 
Aeração
Objetivos de aprendizagem
Ao final deste texto, você deve apresentar os seguintes aprendizados:
 � Definir o significado de aeração em arquitetura.
 � Reconhecer a importância da aeração em arquitetura.
 � Justificar a aeração ideal em diferentes projetos.
Introdução
Você sabe como projetar uma edificação com a certeza de que ela será 
bem ventilada? Como garantir o conforto térmico de uma edificação e 
o bem-estar dos moradores por meio da aeração?
Neste capítulo, você entenderá a definição de aeração, bem como 
a importância da ventilação para os ambientes e as edificações. Além 
disso, identificará tipos de ventilação natural e a aeração ideal para cada 
ambiente.
O que é aeração na arquitetura?
A função essencial das habitações é proporcionar abrigo com condições favo-
ráveis para a permanência de seus usuários e para o desenvolvimento de suas 
atividades cotidianas (trabalho, lazer e repouso). O espaço projetado deve se 
adaptar ao meio em que está inserido, aos usos e aos usuários da edificação, 
oferecendo conforto ambiental, segurança e salubridade.
Em muitos imóveis brasileiros, são comuns problemas como: umidade, 
mofo, proliferação de ácaros, acúmulo de partículas de sujeira e insuficiên-
cia térmica. Isso é reflexo de construções sem planejamento que não tiram 
proveito do vento, um recurso natural e renovável, para garantir ambientes 
saudáveis. Algo muito importante na elaboração dos projetos de arquitetura 
é a preocupação em promover o conforto térmico da edificação, levando 
em conta a eficiência energética e o aproveitamento dos recursos naturais 
disponíveis no meio ambiente.
A palavra aeração significa ventilação ou renovação do ar em um ambiente 
fechado. Aeração é a ação de aerar ou arejar determinado local. Essa ação 
consiste na troca de gases entre o elemento a ser arejado e a atmosfera. Na 
arquitetura, a maioria dos autores, ao tratar dessa preocupação de renovação 
do ar dos ambientes, utiliza o termo ventilação. A ventilação é um conjunto de 
fenômenos, físicos, mecânicos e fisiológicos, que possibilita as trocas gasosas, 
no caso da arquitetura, entre o ambiente interno e o externo. 
A ventilação é um instrumento muito importante para o planejamento 
de uma edificação, porque traz higiene para o ambiente, além de promover 
conforto ambiental. O ar interno precisa sempre ser renovado, pois isso evita a 
proliferação de vírus e fungos. Quando se fala em ventilação nas edificações, 
existem dois tipos: a ventilação natural, que deve ser priorizada, e a ventilação 
mecânica, utilizada quando não há muitas alternativas. 
Segundo Toledo (1999), a ventilação natural é o fenômeno da movi-
mentação do ar no interior das edificações sem a indução de um sistema 
mecânico. Ela ocorre pela diferença da pressão do ar, que pode ocorrer por 
ação dos ventos, ou pela diferença de densidade do ar, que se dá devido à 
variação da temperatura. Em ambos os processos, é obrigatória a existência 
de aberturas nos ambientes para que o ar possa fluir pelo edifício e fazer 
essa troca com o meio exterior. 
Aerar ao máximo uma edificação, promovendo a ventilação natural, sig-
nifica projetar e executar esquadrias que tomem o maior espaço possível nos 
aposentos, ou seja, esquadrias com ampla área livre e com venezianas por 
onde o ar possa passar. Nesse sentido, a ventilação pode exercer três diferentes 
funções em relação ao ambiente construído: a renovação do ar, o resfriamento 
psicofisiológico e o resfriamento convectivo.
Os sistemas passivos de ventilação se baseiam em diferenças de pressão 
para mover o ar fresco pelos edifícios. As diferenças de pressão podem ser 
causadas pelo vento ou por diferenças de temperatura, o que configura dois 
tipos principais de ventilação passiva: a ventilação cruzada e a ventilação por 
efeito chaminé. Essas estratégias também podem ser adotadas conjuntamente 
em diferentes ambientes de uma mesma edificação.
A taxa na qual o ar flui por um ambiente retirando o calor é função das 
áreas de entrada e saída de ar, da velocidade do vento e da direção do vento em 
relação às aberturas. A quantidade de calor removido por determinada taxa de 
Aeração2
fluxo de ar depende da diferença de temperatura entre o interior e o exterior. 
Por isso, a geração interna de calor também é decisiva no desempenho do 
edifício naturalmente ventilado. Os objetivos e o projeto de sistemas passivos 
de ventilação devem variar de acordo com o padrão de uso da edificação e 
com o clima local, considerando a variação das condições de vento em função 
do relevo e de obstruções vizinhas.
A fase de elaboração do projeto da edificação é o momento mais indicado 
para prever a ventilação natural e elaborar os meios necessários para que isso 
ocorra. É sempre importante avaliar as variáveis climáticas da região onde a 
edificação será instalada, especialmente aquelas relacionadas à radiação solar 
e à

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.