MODELO PARA TAREFA 4
6 pág.

MODELO PARA TAREFA 4


DisciplinaContabilidade / Ciências Contábeis82.614 materiais538.016 seguidores
Pré-visualização1 página
FACULDADE 
Pregão Eletrônico
nome
 Licitações Públicas 
cidade
2017
INTRODUÇÃO
A contratação de bens e serviços, a compra de materiais, equipamentos, obras civis, alienações e locações, devem ser efetivados por um processo licitatório. 
Essa exigência imposta à Administração está na Constituição, em seu Artigo 37, inciso XXI.
Segundo Cretella Jr (apud FRANÇA, 2013, p.32), 
A finalidade do procedimento licitatório é bem clara: é o meio mais idôneo para possibilitar contratos mais vantajosos para o Estado, o que se dá conforme os princípios que regem a lei da oferta e da procura; em segundo lugar, pelo fato de colocar a salvo o prestígio administrativo, escolhendo, não o preferido, mas aquele que, objetivamente, fez a melhor proposta.
A forma como se dá o processo de contratação na Administração Pública determina o grau de eficiência dela. E para demonstrar maior eficiência, a organização pública precisa licitar e contratar dentro de uma visão sistêmica desse processo.
O processo licitatório, sob a ótica da visão sistêmica, leva em conta os diversos fatores organizacionais que contribuem para o sucesso das contratações. Os fatores que influenciam as contratações são o planejamento, o orçamento, a política de estoques adotada e os elementos constitutivos de qualquer organização (estrutura organizacional, processos de trabalho, tecnologia e pessoas) (COSTA,2003).
Essa resenha apresenta a importância da visão sistêmica no processo de contratação e os fatores que podem influenciar de forma positiva ou negativa nele, bem como cada um desses fatores influencia o processo de contratação.
DESCRIÇÃO DO ASSUNTO
Para que as contratações dentro da administração pública aconteçam a contento, trazendo maior eficiência, é necessária realizá-las numa visão sistêmica no processo de licitação. 
A visão sistêmica leva em conta os diversos fatores organizacionais que contribuem para o sucesso das contratações, que são o planejamento, o orçamento, a política de estoques adotada e os elementos constitutivos de qualquer organização (estrutura organizacional, processos de trabalho, tecnologia e pessoas).
O planejamento começa a partir da constatação de que os setores da administração pública estão necessitando de materiais, equipamentos, serviços ou obras. A partir daí, elabora-se as especificações técnicas, estima-se o valor da licitação, verifica-se a disponibilidade orçamentária, se estabelece qual modalidade de licitação atende aquela necessidade. Feito tudo isso, elabora-se a minuta do edital ou convite, o gestor autoriza o processo licitatório, indicando os recursos orçamentários disponíveis para aquele contrato.
Art. 38: o procedimento da licitação será iniciado com a abertura do processo administrativo, devidamente autuado, protocolado e numerado, contendo a autorização respectiva, a indicação sucinta de seu objeto e do recurso próprio para a despesa [\u2026]
O planejamento é essencial para o bom andamento da administração pública, caso contrário, as compras serão feitas com base na urgência, tumultuando as contratações e encarecendo as compras, correndo o risco de causar descontinuidade no oferecimento dos serviços públicos (COSTA, 2003).
O planejamento deve contemplar também o orçamento que sustentará a contratação e com a estocagem dos materiais. É importante que a organização tenha o mínimo possível de materiais estocados. Essa é uma tendência moderna, onde os materiais adquiridos ficam estocados nos fornecedores, sendo retirado conforme a necessidade da organização.
O processo de contratação dentro de uma visão sistêmica deve ser planejado, executado e avaliado por uma comissão de licitação, que assume a responsabilidade pelo processo desde a sua fase de planejamento até a efetiva contratação dos bens ou serviços pretendidos (COSTA, 2003).
Artigo 1. A habilitação preliminar, a inscrição em registro cadastral, a sua alteração ou cancelamento, as propostas serão processadas e julgadas por comissão permanente ou especial de, no mínimo três (3) membros, sendo pelo menos (2) servidores qualificados pertencentes aos quadros permanentes dos órgãos da administração responsável pela licitação.
APRECIAÇÃO CRÍTICA
A administração pública passa nos últimos anos por modernização e adaptações estabelecidos em leis que favorecem o crescimento e dá o destino adequado aos recursos públicos.
A Administração Pública sempre encontrou dificuldades em realizar um processo de compras e licitação. Isso porque a contratação na Administração Pública é um processo complexo, que se não for muito bem planejado, será prejudicado por fatores como atrasos, prazos não cumpridos, má qualidade dos produtos e serviços, empresas sem idoneidade e que não têm capacidade de executar o contrato, perda de recursos orçamentários, demandas judiciais, impugnações, etc.
Para se evitar esses transtornos, é necessário que todo o processo seja conduzido numa visão sistêmica dentro da organização, onde um conjunto de ações coordenadas contribuirão para o sucesso do contrato. Uma contratação bem-sucedida apresenta três momentos importantes: a licitação, o planejamento e o gerenciamento do contrato. 
Mas o que se vê na maioria dos órgãos públicos, é que os gestores se preocupam mais com a fase de licitação, deixando a desejar o planejamento que deveria anteceder a ação, prejudicando o andamento de todo o processo. 
Existem alguns fatores que contribuem para o sucesso ou fracasso do processo de contratação. Um dos fatores para o sucesso, está a constituição de uma comissão de licitação para conduzir o processo, o planejamento efetivo da contratação e a adoção de procedimentos necessários para um bom termo.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
A visão sistêmica é um conceito moderno que consiste em administrar as ações dentro de uma organização como elos de uma corrente, permitindo que uma equipe trabalhe de forma coordenada, aumentando a eficiência do processo, neste caso, o processo de contratação na Administração Pública.
 O processo de compras é uma ação complexa dentro da administração pública que interage com todos os setores de uma organização para atender suas necessidades. É processo de grande importância para a gestão, porque através dele a organização se abastece de bens e serviços necessários para o desenvolvimento de suas atividades.
O novo século exigiu a modernização das organizações, anteriormente organizadas de forma funcional, mas que hoje se organizam de forma horizontal, tendo por objetivo uma organização centrada em processos. 
Por serem sistemas vivos, os setores numa organização, no desenvolvimento de suas ações interagem e são dependentes. O desenvolvimento organizacional com base na visão sistêmica, traz como retorno, o aumento do desempenho e a eficácia no trabalho.
Por isso, ser tão importante que os processos de contratação de bens e serviços dentro da administração pública siga esse caminho, moderno, eficaz e transparente.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
COSTA, J. M. Dispensa de Licitação: o dever jurídico dos gestores públicos de não licitar em situações pertinentes à Polícia Militar do Maranhão/ Joselito Mendes Costa. - São Luís, 2003.
FRANÇA, M. A. de C. Comentários à Lei de Licitações e Contratos de Administração Pública. 7 ed. São Paulo: Saraiva, 2013.