A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
Resumo+de+Macroeconomia

Pré-visualização | Página 3 de 9

representam os ganhos brutos dessas instituições).
- Principais funções do Bacen: é o banco dos bancos (empresta aos bancos); é responsável pela guarda de todos os valores que o país recebe de moeda estrangeira; é o banco do governo (é depositado nele todos os recursos referentes a impostos e taxas, e também realiza empréstimos ao governo, mantém e opera títulos do governo); é emissor de moeda.
- Meios de pagamento: é a moeda, é o total de papel moeda em poder público (PMPP) mais os depósitos a vista nos bancos comerciais (DVBC).
- Base monetária: é o total de papel moeda em poder público (PMPP) mais o total de reservas mantidas pelos bancos comerciais.
- Papel moeda em poder público (PMPP): é o volume de papel moeda emitido menos as reservas dos bancos.
- Multiplicador bancário ou dos meios de pagamentos: os bancos criam meios de pagamentos adicionais, deixam uma parte como reserva e emprestam outras, que acabam se transformando em novos depósitos que, pela regra do banco, mantêm somente uma parte como reserva e gerando novos empréstimos com o restante, e assim por diante.
- Tipos de reservas (ou encaixes) dos bancos comerciais: encaixes em caixa (são os caixas das agências bancárias, que atendem quem vai sacar ou trocar cheques por papel moeda); reservas voluntárias (mantidas no Banco Central para fins de compensação de cheques); e reservas compulsórias (o Banco Central estipula obrigatoriamente a retenção de uma percentagem dos depósitos à vista como encaixes compulsórios, que devem ser recolhidos no Baco Central).
- A soma dos depósitos a vista é o resultado da criação de meios de pagamentos por intermédio dos bancos.
- O multiplicador dos depósitos será tanto maior quanto menor for a parcela dos depósitos retidos sob a forma de reservas bancárias. Quanto maiores as reservas, menos recursos o banco terá para emprestar.
- Quanto maior a razão entre depósitos a vista e meios de pagamento, maior será o multiplicador; e quanto maior a fração das reservas bancárias sobre o que se recebe de depósito a vista, menor será o multiplicador.
- Controle da oferta de moeda pelo Banco central: é feito de três modos: Mercado aberto ou operações de open market (O Bacen compra ou vende títulos do governo no mercado de títulos. Quando o governo vende um título, recebe o valor da venda do título em dinheiro, o que retira tal montante de moeda de circulação, havendo uma diminuição dos meios de pagamento, e quando compra os títulos do público, está colocando moeda na economia, aumentando a oferta monetária); Reservas compulsórias (todo banco precisa reservar uma parte dos depósitos que recebe, essa parte é definida de acordo com os interesses da política monetária do país, e por afetar a disponibilidade dos recursos para empréstimos, o valor dessas reservas influencia o multiplicador bancário; Se o Bacen pretender contrair a oferta monetária, pode elevar o recolhimento compulsório das reservas bancárias, se quiser ampliá-la, pode diminuir essa taxa); e taxa de redesconto (é a taxa de juros que os bancos têm que pagar ao Bacen quando estão sem moeda suficiente para atender aos clientes. Um aumento na taxa de redesconto tende a elevar as reservas bancárias, e assim, diminuir o multiplicador e os meios de pagamento).
- Multiplicador dos meios de pagamento = meios de pagamento dividido pela base monetária
Aula 7
- Demanda por moeda significa quanto de sua riqueza ou renda as pessoas desejam manter sobre a forma de moeda.
- A demanda por moeda se dá por motivos de transação, precaução e especulação.
- Demanda por moeda por motivo de transação: é a demanda por moeda pela facilidade que ela proporciona para efetuar transações econômicas. É o montante de moeda suposto como o suficiente para efetuar os gastos planejados por um certo período de tempo.
- Demanda por moeda por motivo de precaução: se dá pela ciência de que fatos imprevistos podem ocorrer. Quanto mais rica for a pessoa, maior será o encaixe por motivo de precaução.
- Demanda por moeda pro motivo de especulação ou portfólio: é reter moeda para aproveitar uma oportunidade de ganhar dinheiro a partir das circunstâncias do momento ou do futuro. É a parcela da demanda por moeda que o indivíduo guarda com objetivo de ser beneficiado por algum ganho futuro.
- As pessoas retêm moeda não pelo seu valor nominal. O que importa é a demanda real, ou seja, o poder de compra da quantidade de moeda de que se precisa para fazer frente aos gastos. Levando em conta o valor nominal, pode-se cair na famosa ilusão monetária.
- A teoria quantitativa da moeda estabelece uma relação entre a quantidade de moeda e os valores que terão as transações (ou os produtos) que são trocados por elas em uma economia. Estabelece também que a velocidade de circulação da moeda é constante.
- Equação: Md = 0,6Y – 2i informa que a demanda por moeda depende da renda e da taxa de juros.
- O número de vezes que uma moeda passa de mão em mão nos negócios em que é utilizada recebe o nome de Velocidade de circulação ou velocidade-renda da moeda.
- Cálculo da circulação da moeda: dividir o PIB nominal pela quantidade de moeda (meios de pagamento).
- Quando a moeda está com alta velocidade de circulação (quando todos tentam se livrar da moeda) é porque as pessoas estão retendo pouca quantidade de moeda em razão da renda. Quando a inflação está muito elevada, ninguém quer ficar com dinheiro nas mãos, já que a perda de seu poder aquisitivo é grande. 
- Teoria monetária da inflação: emissão de moeda causa tão somente mais inflação.
- Pela Teoria quantitativa da moeda, a economia (pessoas, empresas, governo) com mais dinheiro na mão desejará comprar mais, e como já se está no nível máximo de produção, a pressão da demanda apenas elevaria os preços.
- A taxa de juros tem relação inversa com a demanda por moeda.
- O rendimento real de uma aplicação é o que se ganha em termos de poder de compra com o resultado da aplicação. Então a taxa real de juros não é a componente que afeta a demanda por moeda, e sim a taxa nominal, ou seja, o custo de reter moeda é dado pela taxa nominal de juros..
- A perda que representa o ato de manter moeda é composta pro duas parcelas: a taxa real de juros (o que se deixou de ganhar por não ter aplicado) e a desvalorização da moeda no período (a taxa de inflação).
- Custo de demandar moeda: C=r+II onde C é o custo de manter moeda, r é a taxa real de juros, e II é a taxa de inflação.
- A taxa real de juros é a taxa nominal descontada a inflação.
- Na taxa nominal de juros, quanto maior a taxa de juros menor deverá ser a demanda por moeda, e quanto menor a taxa de juros, maior a demanda por moeda.
- A taxa nominal de juros e a taxa de inflação são importantes elementos na determinação de quanto da riqueza de um indivíduo será mantido em moeda. 
Aula 8
- As funções da moeda: meio de troca, unidade de conta e reserva de valor.
- As instituições que oferecem empréstimos são incluídas no sistema financeiro.
- Relação financeira: é o processo de transferência de renda de um agente para outro. Ocorre toda vez que um agente econômico transfere poder de compra para outro agente econômico, tendo em contrapartida a promessa de pagamento futuro.
- Agentes financeiros existentes dentro da economia: agente superavitário e agente deficitário. Eles podem realizar relações financeira, que podem ser ou não intermediadas por uma instituição financeira.
- Agente deficitário: é todo agente econômico que gasta comprando bens e serviços mais do que recebe como renda.
- Agente superavitário: é todo agente econômico que gasta menos do que recebe como renda.
- Poupança de um agente econômico: é toda a renda disponível que este recebeu subtraindo-se o que ele gastou comprando bens e serviços de consumo no mesmo período.
- Intermediação financeira: é o ato de captar recursos do agente superavitário e transferir para o agente deficitário.
- Instituição financeira: empresa

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.