12 Prescrição e Decadência SLIDES GRANDES
17 pág.

12 Prescrição e Decadência SLIDES GRANDES


DisciplinaDireito Civil I61.297 materiais668.149 seguidores
Pré-visualização2 páginas
PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA
Prescrição e Decadência
\u2022 O decurso do tempo tem grande influência na 
aquisição e na extinção de direitos, pois 
\u201cdormientibus non succurrit jus\u201d (O Direito não 
socorre aos que dormem).
\u2022 Grande é a semelhança entre a prescrição e a 
decadência. Em ambos, há uma inação ou 
omissão (um não fazer) injustificada por certo 
lapso de tempo, que faz perecer um direito.
Direito Subjetivo e Direito Potestativo
DIREITO SUBJETIVO é um direito a uma prestação. Ao direito 
subjetivo corresponde um dever. De um lado haverá o direito e de 
outro um dever. Os direitos subjetivos podem ser violados, pois a 
prestação pode não ser cumprida. Por conseguinte, a realização, a 
concretização do direito subjetivo do credor depende da cooperação 
do devedor. Exemplo: o direito de exigir de alguém que cumpra uma 
prestação. 
DIREITO POTESTATIVO (também chamado de formativo) é um direito 
a formação de uma nova situação jurídica. A ele não corresponde um 
dever. Por consequência, não pode ser violado, pois da outra parte 
não corresponde um dever e sim uma sujeição. O que corresponde a 
esse direito de obter um pronunciamento favorável é uma sujeição. 
Exemplo: direito assegurado ao empregador de despedir um 
empregado; cabe a ele apenas aceitar esta condição; como também 
num caso de divórcio, uma das partes aceitando ou não, o divórcio 
terá desfecho positivo. 
Prescrição - Conceito
\u2022 É a perda da pretensão de reparação do direito violado, 
em virtude da inércia do seu titular, no prazo fixado em 
lei (Stolze). 
\u2022 É uma exceção que alguém tem contra aquele que não 
exerceu, durante um lapso de tempo fixado em norma, 
sua pretensão ou ação. (Pontes de Miranda)
\u2022 Pretensão é a exigência de subordinação do interesse 
alheio ao interesse próprio. O direito material violado dá 
origem à pretensão, que é deduzida em juízo por meio 
da ação.
Art. 189. Violado o direito, nasce para o titular a pretensão, a qual se 
extingue, pela prescrição, nos prazos a que aludem os arts. 205 e 206.
Prescrição - Espécies
\u2022 ESPÉCIES DE PRESCRIÇÃO
\u2013 EXTINTIVA - faz desaparecer direitos \u2013 extingue situações 
jurídicas. É a prescrição propriamente dita, que foi tratada 
na parte geral do novo Código Civil, aplicada a todos os 
direitos.
\u2013 AQUISITIVA - Corresponde ao usucapião, previsto no novo 
Código Civil, na parte relativa ao direito das coisas, mais 
precisamente no tocante aos modos originários de 
aquisição do direito de propriedade. Está prevista também 
nos arts. 183 e 191 da CF/88, continuando restrita a 
direitos reais. Nessa espécie, além do tempo e da inércia 
ou desinteresse do dono anterior, é necessária a posse do 
novo dono.
Prescrição \u2013 Causas Modificativas
\u2022 CAUSAS IMPEDITIVAS (arts. 197, I a III, e 199, I e II, do CC) -
são as circunstâncias que obstam que o curso prescricional se 
inicie. 
Art. 197. Não corre a prescrição:
I - entre os cônjuges, na constância da sociedade conjugal;
II - entre ascendentes e descendentes, durante o poder familiar;
III - entre tutelados ou curatelados e seus tutores ou curadores,
durante a tutela ou curatela.
Art. 199. Não corre igualmente a prescrição:
I - pendendo condição suspensiva;
II - não estando vencido o prazo;
Prescrição \u2013 Causas Modificativas
\u2022 CAUSAS SUSPENSIVAS (arts. 198, I, II e III, e 199, III, do CC) -
são as situações que paralisam temporariamente o curso 
prescricional já iniciado, com efeitos similares às causas 
impeditivas. Superado o fato, a prescrição continua a correr, 
computado o prazo decorrido antes do fato.
Art. 198. Também não corre a prescrição:
I - contra os incapazes de que trata o art. 3o;
II - contra os ausentes do País em serviço público da União, dos
Estados ou dos Municípios;
III - contra os que se acharem servindo nas Forças Armadas, em
tempo de guerra.
Art. 199. Não corre igualmente a prescrição:
III - pendendo ação de evicção.
Prescrição \u2013 Causas Modificativas
\u2022 CAUSAS INTERRUPTIVAS (arts. 202 do CC) - Situações que 
liquidam com a prescrição já iniciada, de modo que o seu 
prazo recomeça a correr por inteiro da data do ato que a 
interrompeu. 
Art. 202. A interrupção da prescrição, que somente poderá ocorrer
uma vez, dar-se-á:
I - por despacho do juiz, mesmo incompetente, que ordenar a
citação, se o interessado a promover no prazo e na forma da lei
processual;
II - por protesto, nas condições do inciso antecedente;
III - por protesto cambial;
IV - pela apresentação do título de crédito em juízo de inventário ou
em concurso de credores;
V - por qualquer ato judicial que constitua em mora o devedor; [...]
Prescrição \u2013 Causas Modificativas
\u2022 CAUSAS INTERRUPTIVAS 
Art. 202. A interrupção da prescrição, que somente poderá ocorrer
uma vez, dar-se-á: [...]
VI - por qualquer ato inequívoco, ainda que extrajudicial, que
importe reconhecimento do direito pelo devedor.
Parágrafo único. A prescrição interrompida recomeça a correr da
data do ato que a interrompeu, ou do último ato do processo para a
interromper.
Prescrição - Requisitos
Requisitos da Prescrição
Violação do direito 
com o nascimento 
da pretensão
Inércia do Titular
Decurso do tempo 
fixado em lei
Prescrição \u2013 Exceções (Pretensões Imprescritíveis)
PRESCRIÇÃO DECADÊNCIA
\u2022 O que perece é a ação (pretensão) 
que protege o direito.
\u2022 É o próprio direito que perece.
\u2022 Atinge diretamente a pretensão e, por 
via oblíqua, atinge o direito.
\u2022 Atinge diretamente o direito e, por via 
oblíqua, atinge a pretensão.
\u2022 Não atinge certas pessoas. \u2022 Atinge de forma idêntica a todos.
\u2022 O seu prazo pode se suspender ou 
interromper.
\u2022 O seu prazo é fatal, não se suspende 
ou interrompe.
\u2022 Ocorre penas nos casos doas arts. 205 
e 206.
\u2022 Todos os demais prazos do Código 
Civil são decadenciais.
\u2022 Resulta somente da lei.
\u2022 Pode resultar da lei, do contrato e do 
testamento.
\u2022 Pode ser extintiva ou aquisitiva 
(usucapião).
\u2022 Só pode ser extintiva.
\u2022 O prazo fatal começa a correr depois 
de vencida a obrigação, ou seja, 
depois da data em que a prestação 
deveria ser cumprida.
\u2022 Começa com o nascimento do Direito. 
Ele só pode ser exercido no prazo 
fixado, sob pena de extinção.
Decadência - Conceito
\u2022 DECADÊNCIA (ou caducidade, ou prazo extintivo) é o direito 
outorgado para ser exercido em determinado prazo, caso não for 
exercido, extingue-se.
\u2022 \u201cA perda do direito ou a da faculdade não exercida no prazo fatal 
estabelecido em lei.\u201d (Paulo Dourado de Gusmão)
\u2022 \u201cA supressão do direito pela inatividade de seu titular que deixou 
escoar o prazo legal ou voluntariamente determinado para seu 
exercício, sendo esse seu principal efeito.\u201d (Maria Helena Diniz) 
\u2022 OBJETO DA DECADÊNCIA - é o direito que nasce, por vontade da 
lei ou do homem, subordinado à condição de seu exercício em 
limitado lapso de tempo.
Decadência - Características
\u2022 DECADÊNCIA ou CADUCIDADE, nada tem a ver com pretensão. 
A decadência refere-se à direitos potestativos.
\u2022 Direito potestativo: não tem conteúdo prestacional, se ele 
tivesse, violaria direito e nasceria a pretensão, sendo assim, seria 
prescrição e não decadência. 
\u2022 Quando se exerce um direito potestativo, não está se esperando 
uma contraprestação correspondente.
\u2022 O direito potestativo é um direito de interferência, ou seja, 
traduz uma prerrogativa ou poder que, quando exercido 
interfere na esfera jurídica de terceiro sem que este nada possa 
fazer.
\u2022 Há direitos potestativos sem prazo para o exercício (direito do 
advogado de renunciar ao mandado que lhe foi outorgado). Mas 
quando o direito potestativo tiver prazo para o exercício, este 
prazo sempre será decadencial.
Decadência - Normas Gerais
\u2022 Interrupção ou suspensão - artigo 207/CC. - A única forma hábil 
para interromper ou suspender