Radiobiologia 2º prova resumo
11 pág.

Radiobiologia 2º prova resumo


DisciplinaRadiobiologia69 materiais807 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Radiobiologia resumo
- Efeitos biológicos da radiação	
Efeitos diretos: radiação é absorvida por moléculas importantes no metabolismo.
Efeitos indiretos: formação de radicais livres por modificações da molécula de água. (Reduzem pH do meio, desnaturam proteínas, alterações enzimáticas).
O processo de ionização ao alterar átomos, po- Efeitos estocásticos:
 de alterar a estrutura das moléculas que os con- São efeitos que independente
 tém. Efeitos de radiação dependem da dose, ta- da dose, causam efeito. E ao 
 xa de dose, tempo de aparecimento, fracionamen- aumentar a dose, a probabili-
 to de de ocorrência aumenta.
 Um exemplo desse efeito é o câncer (leucemia).
Efeitos determinísticos
São efeitos causados por irradiação total ou localizada de um tecido, causando grau de morte celular não compensado por reparo. Possui limiar de dose. São produzidos por doses elevadas. Ex: eritema, descamação seca etc.
 Efeitos somáticos
Do ponto de vista biológico 
 Efeitos genéticos (hereditário) 
Efeitos somáticos
 Surgem do dano nas células do corpo e o efeito aparece na própria pessoa irradiada.
Efeitos hereditários
 Efeitos que surgem no descendente da pessoa irradiada, por conta de radiação nos órgãos reprodutores. De caráter acumulativo e independe da taxa de absorção da dose.
Efeitos imediatos e tardios
 Os primeiros efeitos que ocorrem em poucas horas após a radiação são denominados efeitos imediatos. Se doses forem muito altas, haverá prevalência dos efeitos imediatos. Efeitos que aparecem anos depois são chamados efeitos tardios (câncer). 
Quando uma pessoa é exposta a radiação ionizante, nos locais atingidos surgem muitos elétrons e íons livres. Uma grande parte dessa energia produz excitação de átomos e moléculas, que pode ser dissipada no processo de deexcitação sob forma de prótons. 
A reação de um indivíduo à exposição de radiação depende de diversos fatores:
 
 Quantidade total de radiação recebida.
 Textura orgânica individual.
 Intervalo de tempo durante o qual a quantidade total de radiação foi recebida.
 Quando ocorre lesão do DNA, ele possui mecanismos de reparo para que esse DNA seja restaurado. Se não ocorrer reparo ou um reparo errôneo, o DNA é mutado e pode sofrer apoptose ou se transformar em uma célula mutada viável. 
 A célula mutada viável então pode ser uma célula somática ou célula germinativa. A célula somática causará então problemas no indivíduo afetado (catarata, malformações, indução ao câncer) enquanto que as células germinativas transmitem para os descendentes.
 MECANISMOS DE REPARO DO DNA
 Mecanismo de fotorreativação enzimática
 Quando o DNA é exposto à radiação ultravioleta, ele forma dímeros de pirimidina. Existem mecanismos em que esses dímeros são desfeitos. Um deles é o mecanismo da fotorreativação em que enzimas, principalmente a fotoliase, quebram esses anéis e refazem as bases pirimídicas individuais. Enzima ativada pela luz azul.
 Enzima reconhece e se liga ao dímero
 Absorção de luz fornece energia para converter o dímero de pirimidina em monômero
 A enzima se dissocia do DNA
 Reparo de bases alquiladas
 A principal base afetada pelos agentes alquilantes é a guanina. Na E. coli, uma enzima que tem o papel de remover o grupamento metila que causa a mutação é a O6-metilguanina-metiltransferase.
 Reparo por excisão de bases
 Ocorre quando a base defeituosa é clivada e removida, e então ocorre uma nova reposição da base correta pela DNA polimerase. Normalmente, endonucleases clivam e exonucleases removem. O dímero de pirimidina também pode ser quebrado nesse reparo.
 Reparo por excisão de nucleotídeos
 Reconhecimento da lesão por complexo multienzimático
 Incisão da fita normal em ambos os lados da lesão
 Excisão do segmento contendo lesão
 
 Síntese de um novo segmento de DNA, através da DNA polimerase
 Ligação da molécula de DNA pela DNA ligase
 Reparo de bases malpareadas
 Sistema de correção de erro, em que esse sistema percorre o DNA à procura de erros (bases malpareadas).
 Recombinação homóloga
 É uma restauração pós replicativa, ou seja, lesões que não foram reparadas pela excisão. Existe uma série de enzimas de recombinação. Essas enzimas vão trocar fitas. Ela copia a área que está faltando da fita com GAP. Há uma permutação de fita, e essas então vão servir de molde.
 
 Sistema SOS
 Se a recombinação não funcionar, há o sistema SOS. Ele conta com um conjunto de genes que mandam informações para células. Ele bloqueia informação até que haja reparação. Se o sistema SOS não funcionar, ocorre apoptose celular.
 ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS
 Podem ser analisados os níveis de radiação por meio de cromossomos dicêntricos, anéis, fragmentos, micronúcleos, deleção, ensaio do cometa. O cromossomo dicêntrico é o padrão ouro da dosimetria biológica pode-se dizer precisamente qual a dose que o indivíduo levou.
Cromossomo dicêntrico cromossomo que possui 2 centrômeros.
 Normalmente, um cromossomo possui apenas 1 centrômero. Com a absorção da radiação, ocorrem quebras na extremidade, e essa quebra faz com que haja uma ligação entre esses cromossomos, formando um único cromossomo com 2 centrômeros. Fragmentos normalmente são encontrados próximo aos cromossomos dicêntricos. Esses fragmentos podem formar anéis.
Micronúcleos são vistos em alterações causadas por radiação, mas não é encontrado somente em processos por radiação.
 Deleção, teste do cometa não são específicos para analisar a radiação. Por que são utilizados?
 Porque é necessário fazer triagem. No caso de um acidente, precisa-se de testes mais rápidos. Se teste do cometa deu alteração, já encaminha a pessoa para contagem de dicêntrico.
 Quando o DNA é exposto à radiação, pode haver letalidade celular, envelhecimento celular, malformação ou até mesmo surgimento do câncer.
+ RADIOSENSÍVEIS \u2013 Linfócitos Em uma cultura celular, se estimula os linfócitos através de divisão celular. Fitohemaglutinina estimula divisão celular dos linfócitos. Esse estímulo dura até 48 horas. Após 48 horas se utiliza uma substância para bloquear a divisão celular. Goteja-se a lâmina para análise dos cromossomos a 1 metro de distância, para que os cromossomos se espalhem. Normalmente se contam 1000 metáfases.
 Linfócitos possuem condições in vitro semelhantes a in vivo. São considerados dosímetros biológicos. São facilmente coletados.
 LET - quantidade de energia depositada na matéria por comprimento de trajeto.
 Micronúcleo é semelhante ao núcleo principal, sendo menor. Pode se separar do núcleo e a origem do micronúcleo se dá pela perda de vários fragmentos, quebra e troca de cromossomos e perda de cromossomos. Bons indicadores desde que já saiba qual a exposição.
 O ensaio do cometa é extremamente eficiente, servindo para detectar lesões do DNA e, além disso, pode detectar o reparo. Após irradiação de uma amostra, se faz um ensaio do cometa e analisa quanto de dano foi feito. Após 24 horas, faz uma análise para ver se o dano continua ou não, analisando dessa forma se o mecanismo de reforma deu certo ou não. 
 O ensaio do cometa é uma eletroforese (micro eletroforese). Utiliza-se lâmina microscópica: se