SIMULADO 01 (HISTÓRIA DA EDC. )
4 pág.

SIMULADO 01 (HISTÓRIA DA EDC. )


DisciplinaHistória da Educação no Brasil3.512 materiais34.926 seguidores
Pré-visualização2 páginas
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL
Simulado: CEL0242_SM_201301012319 V.1 VOLTAR
Aluno(a): JONAS SANTANA CAVALCANTI Matrícula: 201301012319
Desempenho: 8,0 de 8,0 Data: 27/09/2013 11:08:38 (Finalizada)
 1a Questão (Ref.: 201301031262) Pontos: 1,0 / 1,0
Por que devemos estudar sobre a história da educação no Brasil hoje? Pergunta um aluno ao seu professor e
este responde exemplificando com uma frase que retrata um fenômeno iniciado no século XX: "A destruição do
passado- ou melhor, dos mecanismos sociais que vinculam nossas experiência pessoais à das gerações
passadas- é um dos fenômenos mais característicos e lúgubres do final do século XX.(...) Por isso os
historiadores, cujo ofício é lembrar o que os outros esquecem, tornam-se mais importantes que nunca no fim
desse segundo milênio"
Essa frase de Eric Hobsbawn explica a importância do estudo sobre a história da educação no Brasil pois:
Cabe lembrar ao educador que a educação do presente não apresenta relação com o passado, devendo
o professor preocupar-se, sobretudo, com fenômenos cotidianos do presente.
É importante apenas para o professor, único agente responsável pelo ensino, perceber que a educação
é um fenômeno contínuo e imutável.
Buscar recuperar os conhecimentos do passado evidencia as principais necessidades econômicas de
uma sociedade.
 É fundamental que os educadores e toda a sociedade percebam que a situação na qual o trabalho
educativo se processa, suas rupturas e permanências, os problemas que os educadores enfrentam são
produtos de construções históricas.
É preciso que alunos, professores e a sociedade notem que as determinações do passado não se
relacionam com a prática do ensino aprendizado, mas apenas com a compreensão daquilo que
aconteceu no passado.
 2a Questão (Ref.: 201301031087) Pontos: 1,0 / 1,0
(IPAD / PE / 2006 - adaptada) Durante o período colonial no Brasil (1530-1822), os Jesuítas dominaram
plenamente a educação da colônia. Sobre a sua atuação na educação, é correto afirmar que:
Foram os primeiros a falar de "educação democrática" e, por isso, foram expulsos pelo Marquês de
Pombal.
Eles foram os responsáveis pela criação, ainda durante a Colônia, dos primeiros cursos jurídicos do
Brasil.
Na verdade, a presença jesuítica na Colônia foi sem importância e só depois de instaurado o Império é
que eles passaram a dominar a educação.
 Os Jesuítas seguiam o método de estudo conhecido como Ratio Studiorum, inspirado do modelo
medieval escolástico.
Instauraram uma eficiente educação pública, mas foram expulsos do Brasil e só retornaram depois da
Revolução de 1964, através da intervenção militar.
 3a Questão (Ref.: 201301031270) Pontos: 1,0 / 1,0
O predomínio da educação jesuíta no Brasil foi quase absoluto até quando o Marquês de Pombal expulsou todos
os padres da Companhia de Jesus de Portugal e de suas colônias. No lugar dos colégios da Companhia de Jesus
foram criadas as aulas régias de Latim, Grego e Retórica, cada uma delas constituindo uma unidade, autônoma
e isolada.
 
Marque dentre as alternativas abaixo aquela que melhor se relaciona com as características da educação no
Brasil na época pombalina.
 No período pombalino não havia, propositalmente, escolas técnicas nem superiores no Brasil e a
imprensa era proibida.
Os professores eram geralmente de alto nível e bem preparados, embora mal pagos, característica
muito semelhante ao magistério dos jesuítas, cujo preparo chegava ao requinte.
Embora não fosse permitida a impressão de livros no Brasil, devido a sua condição de colônia era fácil
obter livros vindos do estrangeiro o que facilitava o ensino nas escolas secundárias.
Havia a existência de um currículo, no sentido de um conjunto de estudos ordenados e hierarquizados
que tinha como finalidade atender a diversos níveis de especialização.
Este momento caracteriza-se pelo aumento das escolas técnicas e superiores no Brasil a fim de atender
a deficiência deixada pela educação jesuítica.
 4a Questão (Ref.: 201301031264) Pontos: 1,0 / 1,0
As instituições escolares se desenvolveram e se consolidaram na época moderna inaugurando o ensino coletivo
que, gradativamente, acabou substituindo o ensino individual e foi esse tipo de ensino que foi implantado nas
colônias.
Baseando-se nessa afirmação é correto afirmar que:
Na antiguidade havia a predominância do ensino coletivo, enquanto que na época moderna do ensino
individual.
A maioria das colônias, diferentemente do que acontecia na Europa, optou por um método de educação
individual.
Não havia contraposição entre o ensino individual e o ensino coletivo ministrado nas escolas. Eles eram
praticamente iguais.
O ensino coletivo foi instituído apenas nas escolas das metrópoles, pólos difusores do sistema
educacional a partir do século XVI.
 Os jesuítas tiveram a percepção da praticidade do modus parisiensis, que inaugura o ensino coletivo,
sobre o modus italicus, centrado no ensino individual.
 5a Questão (Ref.: 201301031260) Pontos: 1,0 / 1,0
As origens das instituições escolares no Brasil podem ser localizadas no século XVI com a chegada dos:
Missionários presbiterianos
Carmelitas
Beneditinos
Invasores franceses
 Jesuítas
 6a Questão (Ref.: 201301031263) Pontos: 1,0 / 1,0
A construção da memória histórica da educação brasileira é importante uma vez que:
Toda a produção historiográfica depende de sua compreensão.
É matéria presente nos currículos de ensino fundamental I e II das escolas do Brasil.
Relaciona-se apenas ao ensino da história no cotidiano de sala de aula.
 Está ligada à preservação da memória da educação brasileira.
É fundamental para a elaboração de manuais didáticos para universitários.
 7a Questão (Ref.: 201301031271) Pontos: 1,0 / 1,0
 Leia o texto a seguir:
 
A situação da educação na colônia começou a mudar com a vinda forçada de Dom João VI para o Brasil em
A situação da educação na colônia começou a mudar com a vinda forçada de Dom João VI para o Brasil em
1808, fugindo das tropas de Napoleão que haviam invadido Portugal por esta época. Dom João sabia que sua
estadia forçada em terras brasileiras não seria curta e, portanto, além de abrir os portos do Brasil às nações
amigas, resolveu permitir a imprensa, facilitar a entrada de livros e fundar cerca de uma dezena de instituições
de ensino técnico ou superior em nosso território, no Rio de Janeiro e na Bahia. Estas instituições visavam
apenas a formação de profissionais de nível superior nas áreas de Engenharia, Medicina, Química e Agricultura.
Dom João VI não fundou nenhuma escola de Direito no Brasil, não tomou iniciativa alguma quanto à
organização do ensino primário nem do secundário, que continuaram existindo sob a forma das aulas régias
instituídas pelo Marquês de Pombal. Tampouco fundou institutos de pesquisa ou de ensino de disciplinas de
interesse, nem tentou organizar uma Universidade no Brasil, embora estas instituições fossem já comuns na
Europa e mesmo nas demais colônias da América Espanhola.
 
(http://www.cristianismo.org.br/his-br01.htm - adaptado)
 
 
Marque a alternativa que melhor interpreta o texto acima:
 
 
 
 Dom João quis resolver apenas um problema mais imediato:a falta de um certo número de engenheiros,
médicos e agrônomos no Brasil, e não o problema da educação de forma geral do povo brasileiro.
D. João VI sancionou a primeira lei que garantia que a instrução primária seria gratuita a todos os
cidadãos o que atenderia a carência de mão de obra deixada pelo período jesuítico.
O Brasil, assim como as colônias espanholas foi um dos pioneiros a estabelecer o sistema de aulas
régias após a transferência da família Real. A criação dessas aulas tinha como objetivo adaptar a
educação aos moldes do sistema educacional europeu.
D. João contribuiu sobretudo com o desenvolvimento da pesquisa, sobretudo nas áreas de engenharia,
medicina, química e agricultura.