Curtimento do couro
133 pág.

Curtimento do couro


DisciplinaProcessos Industriais274 materiais1.023 seguidores
Pré-visualização5 páginas
Disciplina: Processos I
Professora: Carla Adriana Pizarro Schmidt
Introdução
Curtume é a indústria que transforma uma
pele animal, que é um material putrescível, em
couro, que é imputrescível.
Esta transformação, da pele em couro,
denomina-se curtimento.
O curtimento de uma pele varia de
acordo com:
\uf076 seu estado de conservação ao chegar ao
curtume; raça; idade; sexo do animal ao qual
pertencia; a finalidade para qual será
utilizado o couro.
A tendência dos curtumes é se
especializarem em um ou em poucos tipos
de curtimento.
A pele quando recémtirada do animal,
apresenta a constituição química mostrada na
tabela abaixo:
TABELA 1- CONSTITUIÇÃO QUÍMICA DA PELE 
COMPONENTES % 
Água 64 
Proteínas 33 
Gorduras 2 
Sais Minerais 0,5 
Outras Substâncias 0,5 
Entre os constituintes acima, destacam-se
as proteínas e, dentre as proteíras, o colágeno que
constituiu 29% da pele.
O colágeno é talvez a proteína mais abundante
do reino animal. É o principal constituinte da pele, do
tendão, do ligamento, da cartilagem e do osso.
Normalmente apresenta-se sob a forna de
feixes de fibrilas individuais, não ramificados, cujos
diâmetros variam muito de tecido para tecido. Na
pele, quando estes feixes são submetidos a um
exame com microscópio de luz comum, parecem
estar entrelaçados caoticamente, porém se observará
uma ordem bem definida, se examinarmos áreas do
tecido, como mostra a figura a seguir:
Existem mais dois tipos de proteínas
fibrosas encontradas nas peles: a reticulina e a
elastina.
As demais são não fibrosas e eliminadas
durante o processamento da pele.
\uf076 a epiderme, que é a camada superior;
\uf076 a derme, a camada intermediária, que vai
resultar na pele propriamente dita;
\uf076 a hipoderme, que é a camada inferior,
encostada na carne do animal.
A pele, assim como é recebida pelo
curtume, pode ser dividida em três camadas
principais :
A epiderme é formada basicamente
pela queratina, e nela encontramos os pêlos,
também de queratina, e que são eliminados no
processo de depilação.
A derme é a camada mais importante e que
vai resultar no couro final. Ela pode ser dividida
em duas subcamadas:
\uf0d8 a camada termostática ou camada
flor, na qual se encontra o restante do sistema
epidénnico, ou seja, o músculo eretor do pêlo, as
glândulas sebáceas e as glândulas sudoríparas;
\uf0d8 a camada reticular.
Por fim, a hipoderme ou tecido adiposo é
a camada inferior, eliminada pela operação de
descarne, durante o processamento da pele.
A textura das fibras, a espessura e
outra série de características da pele variam de
região para região.
O curtidor brasileiro, baseado nestas
características, divide a pele em três partes:
\uf0d8 o grupão,
\uf0d8 a cabeça e
\uf0d8 os flancos.
O grupão, também chamado lombo ou dono,
é a parte mais nobre, onde existe a melhor textura
das fibras. Deve ser destinado para artigos mais
nobres como jaquetas de diversos tipos, napa
vestuário, napa estofamento, etc.
A cabeça ou pescoço, normalmente de
espessura maior, deve ser destinada a um artigo que
também necessite de uma espessura maior, como
é o caso de solas, artigos para esportes, etc.
Os flancos, barrigas ou lados da pele,
têm uma textura de fibras não tão boa como as
outras partes, além de uma menor espessura.
Devem ser destinados a artigos que não exijam
muita resistência à ruptura e muita espessura,
como forro para calçados.
Fase "Ante-mortem"
a) Defeitos naturais
Os defeitos naturais são aqueles característicos
do animal, tal como a natureza os criou. São
defeitos naturais as partes esponjosas como as
virilhas, rugas, marcas de costelas e da linha
dorsal, redemoinhos, vasos sanguíneos, etc.
b) Defeitos acidentais
Os defeitos acidentais são defeitos que se
originam na pele durante a sua vida provocados por
agentes externos como o berne (tumor causado por
uma larva de mosca), carrapato (que suga o
sangue dos animais, "tinha" (causada por fungos),
bicheira (infestação de larvas de mosca), sarna
(erupção cutânea), marcas de fogo, de arame
farpado, de espinhos, de aguilhões, etc.
Marcas de Fogo:
Fase "Post-mortem"
Os defeitos da fase post-mortem são os que se
originam a partir da esfola e do processo de
conservação, como por exemplo, cortes de faca,
manchas de sangue e de urina, manchas de sal,
ataque bacteriano, manchas de ácidos graxos,
manchas de ferro, putrefação, etc.
Com exceção dos curtumes que já
compram as peles em estágios adiantados de
curtimento ou pré-curtimento (peles piqueladas,
"wet-blue"), a grande maioria as adquire em estado
"in-natura".
Neste estado, elas podem ser: verdes,
salmouradas, salgadas, soco-salgadas e secas.
1. Verdes (ou \u201cfrescas\u201d ou em
sangue\u2019):
Quando foram recém tiradas do
animal e não passaram por nenhum tratamento
de conservação preventiva. Sua utilização deve
ser feita dentro de poucas horas, para que não
sofram uma decomposição bioquímica natural;
2. Salmouradas:
Quando apenas foram colocadas
numa solução saturada de cloreto de sódio (sal
comum de cozinha) durante algumas horas,
sem nenhum outro tratamento preventivo. Com
este tipo de conservação, a pele tem vida
limitada entre 20 e 30 dias;
3. Salgadas:
Esse é o tipo mais comum de
comercialização, quando, além de sofrerem o
mesmo processo anterior, o de salmoura, são
ainda tratadas com sal médio ou grosso (salga
seca), empilhadas durante 21 dias em "cura".
Alguns frigoríficos juntam bactericidas ao sal.
Estas peles se conservam de 130 a 360 dias;
4. Seco-salgadas:
Quando as peles, depois de serem
salmouradas, são secas à sombra, espichadas
sobre quadros, sua conservação é quase
ilimitada;
5. secas:
Quando as peles são simplesmente
espichadas sobre quadros e secas à sombra,
sua conservação é quase ilimitada.
As peles têm conservação quase ilimitada,
se tratadas com produtos que evitem insetos.
Existem outros processos de conservação, mas
não são comuns no Brasil.
Ribeira:
a) Estocagem
As peles, ao chegarem ao curtume, são
estocadas, sendo classificadas por peso,
tamanho, procedência ou qualidade, de acordo
com o método de trabalho do curtume. As
peles verdes logo entram no processo normal
de curtimento, sem estocagem.
Este local de estocagem das peles "in
natura" é denominado "barraca" (ou
"trapiche" ou armazém de peles).
Alguns curtumes procedem ao recorte de
parte da cabeça, garras, rabo e nutras partes
que não interessam à industrialização, ainda
na barraca, antes de colocar as peles no
processo normal de curtimento. A grande
maioria, no entanto, prefere cortá-las em
etapas mais adiantadas do processo de
curtimento, quando estas partes já se
encontram caleadas.
b) Remolho
O primeiro processo ao qual as peles,
com exceção das verdes, são submetidas é o
remolho ou reverdecimento.
Usa-se como veículo a água com
conservantes e produtos chamados
tensoativos.
O processo de remolho tem a finalidade
de:
v eliminar os eventuais produtos utilizados
para a conservação das peles e possíveis
impurezas contraídas por ocasião do
transporte e da estocagem;
\uf076 extrair eventuais restos de sangue
coagulados nos vasos capilares e proteínas
não-fibrosas;
\uf076 hidratar (dar água) a pele, deixando-a como
se fosse verde. Modernamente, o processo é
feito em cilindros rotativos chamados \u2018\u2018Mães\u201d
ou \u201ctambores\u201d ou \u201cfulões\u201d.
Fulão
Fulões
c) Depilação e caleiro
Após o remolho ou reverdecimento, efetua-
se a eliminação dos pelos por processo químico,
utilizando-se basicamente soluções