Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
79 pág.
Apostila Geotecnia experimental

Pré-visualização | Página 18 de 21

o 
material em contato com a parede do mesmo, com auxílio de espátula. Deve haver um excesso de. 
No máximo, 10 mm de solo compactado acima do molde que deve ser removido e rasado com o 
auxílio de régua ; 
biselada. Feito isso, remover o molde cilíndrico de sua base. 
Pesar o conjunto, com resolução de 1 g, e, por subtração do peso do molde cilíndrico, obter o peso 
úmido do solo compactado, Ph; 
Com o auxílio do extrato, retirar o corpo-de-prova do molde e do centro do mesmo, tomar uma 
amostra para determinação da umidade, h; 
As porções ensaiadas devem ser desprezadas e dos cincos pontos obtidos no final do ensaio, dois 
devem estar no ramo seco, um próximo à umidade ótima, preferencialmente no ramo seco, e dois no 
ramo úmido da curva de compactação. 
 
Cálculos: 
a) determinar a peso específico aparente seco, utilizando-se a expressão: 
807,9.)100(
100.






+
=
hV
Ph
dγ 
Onde: 
γd = peso específico aparente seco, em kN/m3; 
Ph = peso úmido do solo compactado, em g; 
V = volume útil do molde cilíndrico, em cm3; 
h = teor de umidade do solo compactado, em %. 
 
Recomenda-se determinar a curva de saturação (relação entre o peso específico aparente seco e o 
teor de umidade, para grau de saturação do solo igual a 100 %), utilizando-se a expressão: 
sa
d Sh
S
γγ
γ
+
= 
γd = peso específico aparente seco, em kN/m3; 
S = grau de saturação, igual a 100%; 
h = teor de umidade, arbitrado na faixa de interesse, em %; 
γs = peso específico dos grãos do solo, determinada de acordo com a NBR 6508 ou NBR 6458, em 
KN/m3; 
γa = peso específico da água, em kN/m3 (considerar igual a 10 kN/m3). 
Rideci Farias. Haroldo Paranhos. 
Engenheiro Civil e Geotécnico, D. Sc. Engenheiro Civil e Geotécnico, M. Sc. 
CREA/ PA 9736 – D. CREA/DF 9649 – D. 
Geotecnia Experimental - 1º semestre 2012 57 
Resultados: 
1) Curva de compactação 
Utilizando-se coordenadas cartesianas normais, traçar a curva de compactação, marcando-se em 
abscissa os teores de umidade, h, e em ordenadas os pesos específicos aparentes secos 
correspondentes, γd. A curva resultante deve ter um formato aproximadamente parabólico. 
2) Peso específico aparente seco máximo 
Valor correspondente à ordenada máxima da curva de compactação, expresso em kN/m3. 
3) Umidade ótima (wótimo) 
Valor da umidade correspondente, na curva de compactação, ao ponto de peso específico aparente 
seco máximo, expresso com aproximação de 0,1%. 
4) Curva de saturação 
Recomenda-se traçar a curva de saturação, no mesmo desenho da curva de compactação. 
5) Características do ensaio 
Indicar o processo de preparação da amostra, a energia e o cilindro de compactação utilizados e o 
processo de execução do ensaio. 
 
Rideci Farias. Haroldo Paranhos. 
Engenheiro Civil e Geotécnico, D. Sc. Engenheiro Civil e Geotécnico, M. Sc. 
CREA/ PA 9736 – D. CREA/DF 9649 – D. 
Geotecnia Experimental - 1º semestre 2012 58 
Amostra: Local: 
Furo: Cota: Operador: Data: 
Molde N° Altura (cm) Diâmetro (cm) Vol. (cm3) Peso (g) Cilindro
Energia de Compactação: Golpes por camada:
Material retido na # 4,8 mm (%): Material retido na # 19,1 mm (%):
 Ensaio realizado com reuso de material Ensaio realizado sem reuso de material
Umidade higroscópica
Capsula N°
Capsula (g)
Capsula + Solo Umido (g)
Capsula + Solo Seco (g)
Massa de água (g)
Massa de solo (g)
Umidade (%)
w (%) =
Amostra Solo Umido Solo Seco Massa de Massa de 
compactada Capsula N° Capsula + Capsula + Capsula água (g) solo (g) w w média γd
e molde (g) (g) (g) (g) (%) (%) (kN/m3)
6 18,82 91,72
3702,3 526 24,44 88,51
104 30,82 97,55
102 30,67 93,79
3811,7 517 30,35 111,48
300 14,43 83,07
128 24,80 139,71
3899,4 508 24,24 125,62
10 22,02 116,89
5 21,07 92,68
3847,3 3042 13,60 59,44
3025 13,71 63,20
53 42,55 109,35
3786,1 515 26,20 114,86
138 30,67 116,88
(ABNT / NBR 7182 - Solo - Ensaio de Compactação)
SEPS AV. W5 SUL – EQ 708/907 – Brasília - DF – CEP: 70390-070 - Fone: 443-2769 – Fax: 443-2933
Departamento de Engenharia Civil - Laboratório de Geotecnia
EXPERIMENTO 08 - ENSAIO DE COMPACTAÇÃO 
Curva de Compactação 
w (%)
γ d
 
(kN
/m
3 )
 
 IESPlan 
FacPlan 
Instituto de Ensino Superior Planalto 
Faculdades Planalto 
 
Rideci Farias. Haroldo Paranhos. 
Engenheiro Civil e Geotécnico, D. Sc. Engenheiro Civil e Geotécnico, M. Sc. 
CREA/ PA 9736 – D. CREA/DF 9649 – D. 
Geotecnia Experimental - 1º semestre 2012 59 
ÍNDICE DE SUPORTE CALIFÓRNIA
Amostra: Local: 
Furo: - Cota: - Operador: 
Processo de preparação da amostra: Data: 
Dados para moldagem do corpo de prova
Molde N° Altura (cm) Diâmetro (cm) Volume ( cm3) Peso (g) Umidade ótima (%) γd (kN/m3)
0,00
Dados da compactação do corpo de prova
Amostra 
compactada cap. n° T Ph + T Ps + T Umidade Umidade γd
e molde (g) (g) (g) (g) (%) Média (%) (kN/m3)
ENSAIO DE EXPANSÃO
Tempo Leitura Extens. EXPANSÃO
Data Hora decorrido (h) Div. Diferença (mm) (%)
0
24
48
72
96
ENSAIO DE PENETRAÇÃO
Diâmetro do pistão de penetração (cm)= Velocidade da prensa (mm/min):1,17
Anel( 500Kg) - Constante do anel ( Kgf/div.) = 
Penetração Leitura do Força Pressão ( Mpa ) ISC
mm extens. ( Kgf ) Calculada Corrigida Padrão ( % )
0
0,63
1,27
1,90
2,54
3,17
3,81
4,44
5,08
6,35
7,62
8,89
10,16
11,43
12,70
SEPS AV. W5 SUL – EQ 708/907 – Brasília - DF – CEP: 70390-070 - Fone: 443-2769 – Fax: 443-2933
ISC
0,0
0,1
0,2
0,3
0,4
0,5
0,6
0,7
0,8
0,9
1,0
1,1
0,00 1,00 2,00 3,00 4,00 5,00 6,00 7,00 8,00 9,00 10,00 11,00 12,00 13,00
Penetração ( mm )
Pr
es
sã
o
 
( M
pa
 
)
 
 IESPlan 
FacPlan 
Instituto de Ensino Superior Planalto 
Faculdades Planalto 
 
Rideci Farias. Haroldo Paranhos. 
Engenheiro Civil e Geotécnico, D. Sc. Engenheiro Civil e Geotécnico, M. Sc. 
CREA/ PA 9736 – D. CREA/DF 9649 – D. 
Geotecnia Experimental - 1º semestre 2012 60 
12.0. AULA 12 
12.1. EXPERIMENTO 09: EQUIVALENTE DE AREIA 
 
 
Rideci Farias. Haroldo Paranhos. 
Engenheiro Civil e Geotécnico, D. Sc.
Página1...1415161718192021