A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
DAS_PENAS_RESTRITIVAS_DE_DIREITOS

Pré-visualização | Página 2 de 8

das infrações penais segundo o grau de lesividade[10: Conforme CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. Vol. 1. 16ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 436-7.]
 Infrações de lesividade insignificante – geram atipicidade da conduta. Ex.: furtar pequeno objeto em grande loja de departamentos pode acarretar na absolvição do sujeito.
Infrações de menor potencial ofensivo – punidos com pena de até dois anos de prisão e todas as contravenções penais. Recebem medidas alternativas como a transação penal (art. 76 da Lei n. 9.099/95.) ou a renúncia ao direito de representação prevista no Código Penal. Podem receber penas alternativas consensuais como na aceitação por parte do autor do fato da transação penal.
Infrações de médio potencial ofensivo – punidas com pena mínima não superior a um ano, admitem a suspensão condicional do processo (art. 89 da Lei 9.099/95). Inserem-se, ainda, os crimes punidos com pena máxima de até 4 anos - não superior a 4 anos - e desde que não cometidos com violência ou grave ameaça à pessoa permitindo-se a substituição da pena privativa de liberdade pela restritiva de direitos.
Infrações de grande potencial ofensivo – crimes graves mas não definidos como hediondos. Ex.: homicídio simples. Excepcionalmente admitem-se penas restritivas de direito nestes casos.
Infrações hediondas – aplica-se a lei. n. 8.072/1990. Excepcionalmente admitem-se penas restritivas de direito nestes casos.
As penas restritivas de direitos classificam-se:[11: CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. Vol. 1. 16ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 437.]
restritivas de direitos em sentido estrito;
restritivas de direitos pecuniárias.
As Penas Restritivas de Direitos em Sentido Estrito – “consistem em uma restrição qualquer ao exercício de uma prerrogativa ou direito”. São:[12: CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. Vol. 1. 16ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 437.]
a) prestação de serviço à comunidade ou a entidades; 
b) interdição temporária de direitos; 
c) limitação de fim de semana
As Penas Restritivas de Direitos Pecuniárias – “implicam uma diminuição do patrimônio do agente ou uma prestação inominada em favor da vítima ou seus herdeiros”. São:[13: CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. Vol. 1. 16ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 437.]
prestação pecuniária em favor da vítima; 
prestação inominada;
perda de bens e valores.
Penas Restritivas de Direitos Pecuniárias é Diferente da Pena de Multa (art. 49 do CP)
A pena de multa prevista no art. 49 do CP não pode ser convertida em prisão enquanto que a pena restritiva de direitos pecuniária sim.[14: CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. Vol. 1. 16ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 438.]
Requisitos para substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos
Requisitos objetivos
Quantidade da pena privativa de liberdade aplicada - art. 44, I do CPB - pena privativa de liberdade não superior a quatro anos. No concurso material (art. 69 do CP) as penas devem ser somadas e não consideradas isoladamente. Ex.: um furto à pena de 3 anos e um estelionato à pena de 3 anos. Neste caso, considerando as penas isoladamente, seria possível substituir por restritiva de direitos a pena de cada um dos delitos (3 anos cada). Como devem ser somadas (6 anos) não cabe a substituição. O mesmo deve ocorrer nos casos de crime continuado e de concurso formal. Assim, após aplicada a pena com a causa de aumento (art. 70 e 71 do CPB) o juiz deve verificar se a mesma ultrapassa 4 anos e se isso ocorrer não poderá substituir a pena privativa de liberdade.
 
Crime não for cometido com violência ou grave ameaça à pessoa - art. 44, I do CPB. Violência - agressões de um modo geral. Grave ameaça - arma de fogo. Exceções : a) crimes de lesão corporal dolosa leve – art. 129, caput; b) ameaça – art. 147 do CP; c) constrangimento ilegal – art. 146; d) contravenção penal de vias de fato - art. 21 LCP. Parcela da doutrina, segundo Capez, admite a substituição da pena privativa de liberdade pela restritiva de direitos nestes casos retro mencionados pois tais infrações são consideradas de menor potencial ofensivo. A violência pode ocorrer ainda através de meio que impossibilite a vítima de resistir. Embora não caracteriza a violência ou a grave ameaça, Nucci entende ser incabível a aplicação de pena restritiva de direitos para quem drogue a vítima dificultando-lhe a capacidade de resistir. No mesmo sentido Capez.[15:   “Art.129. Ofender a integridade corporal ou a saúde de outrem: Pena - detenção, de três meses a um ano”.][16: “Art. 147 - Ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave: Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa. Parágrafo único - Somente se procede mediante representação”.][17: Conforme CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. Vol. 1. 16ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 439.][18:  “Art. 61.  Consideram-se infrações penais de menor potencial ofensivo, para os efeitos desta Lei, as contravenções penais e os crimes a que a lei comine pena máxima não superior a 2 (dois) anos, cumulada ou não com multa”.][19: NUCCI, Guilherme de Souza. Manual de direito penal. 8ª. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: RT, 2012, p.4386.][20: CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. Vol. 1. 16ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 442.]
c)Qualquer que seja a pena aplicada, se o crime for culposo - art. 44, I do CPB – nos crimes culposos o resultado é involuntário. Mesmo se houver violência, como no homicídio culposo, admite-se a substituição das penas privativas de liberdade pelas restritivas de direitos. Portanto, a violência culposa é admitida e não a violência dolosa.
Requisitos Subjetivos 
art. 44, II do CPB - réu não reincidente em crime doloso. Mesmo que a condenação anterior seja à pena pecuniária não cabe a pena restritiva de direito segundo a opinião de Capez. Para o autor a Lei 9.714/1998 que alterou as penas restritivas de direitos não excepcionou a hipótese como ocorre com o sursis no art. 77, parág. 1º. Capez lembra ainda que se entre a extinção da pena anterior e a prática de novo delito decorrer mais de 5 anos o réu pode ser beneficiado pois deixa de ser reincidente. Exceção em caso de reincidência: art. 44. “§ 3o Se o condenado for reincidente, o juiz poderá aplicar a substituição, desde que, em face de condenação anterior, a medida seja socialmente recomendável e a reincidência não se tenha operado em virtude da prática do mesmo crime (furtos, estelionatos etc.)”. A tipificação não precisa ser na forma simples. Pode ser na forma privilegiada, qualificada, consumada ou tentada desde que seja previsto no mesmo tipo legal, segundo Capez. Além disso, cabe ao juiz decidir. Não se trata de direito subjetivo do réu, segundo o autor referido. A exceção de permitir que o reincidente doloso possa receber a pena restritiva de direito é contestada por Capez. Este autor não admite que reincidente doloso e o doloso específico recebam pena restritiva de direitos. Luiz Flávio Gomes, por sua vez, admite.[21: Conforme CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. Vol. 1. 16ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 442.][22: CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. Vol. 1. 16ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 443.][23: Ver: CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. Vol. 1. 16ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 444.]
art. 44, III do CPB - a culpabilidade, os antecedentes, a conduta social e a personalidade do condenado, bem como os motivos e as circunstâncias indicarem que essa substituição seja suficiente.
Violência doméstica restringe a aplicação de determinadas modalidades de penas restritivas de direitos
O conceito de violência doméstica ou familiar está prevista no art. 5º da Lei Maria da Penha. Nestes casos a Lei Maria da Penha restringe a aplicação de algumas espécies de penas restritivas de direitos em seu art. 17: