A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
AV3 EPIDEMIOLOGIA

Pré-visualização | Página 1 de 2

Fechar
Avaliação: SDE0245_AV3_201101063441 » FUNDAMENTOS DA EPIDEMIOLOGIA
Tipo de Avaliação: AV3
Aluno: 201101063441 - MARIA SIMONE DA CONCEIÇÃO SILVA
Professor:
ERVYLENE TREVENZOLI DE SOUSA
TERESA CRISTINA CIAVAGLIA V OLIVEIRA
Turma: 9017/A
Nota da Prova: 7,0 de 10,0 Nota do Trab.: 0 Nota de Partic.: 0 Data: 05/07/2014 13:30:41
 1a Questão (Ref.: 201101180000) Pontos: 1,0 / 1,0
No tratado de Ares, Águas e Lugares, Hipócrates discutiu os fatores ambientais ligados às doenças, surgindo,
então, a Teoria Miasmática, que sustentava a ideia de que regiões insalubres eram capazes de provocar
doenças. Através da Teoria Miasmática, Hipócrates defendia um:
Conceito social do processo saúde/doença.
Conceito metodológico do processo saúde/doença.
Conceito ideológico do processo saúde/doença.
Conceito filosófico do processo saúde/doença.
 Conceito ecológico do processo saúde/doença.
 2a Questão (Ref.: 201101195917) Pontos: 1,0 / 1,0
As Leis Orgânicas da Saúde (Leis 8.080/90 e 8.142/90) definem as atribuições da União, do Distrito Federal, dos
Estados e dos Municípios, tanto as que são comuns às três esferas do governo, quanto às específicas de cada
esfera. Com o avanço na descentralização surgiram novos desafios, principalmente relacionados à distribuição
das responsabilidades entre as três esferas da gestão, em particular entre estados e municípios. Para enfrentar
esse desafio, em janeiro de 2001, o Ministério da Saúde, apoiado pela Comissão Intergestores Tripartite, tomou
a decisão de instituir a Norma Operacional à Saúde (NOAS-SUS). A publicação da NOAS-SUS 01/2001 foi
instituída pela Portaria MS/GM número 95, de 26 de janeiro de 2001 e reeditada em 2002. De uma forma geral,
as NOAS 01/2001 e 01/2002 objetivaram:
 Orientar o processo de regionalização e hierarquização dos serviços de saúde, de modo a não apenas
ampliar o acesso da população às ações e serviços de saúde em todos os níveis de atenção
assegurando, dessa forma, a equidade, mas também definir as responsabilidades operacionais de cada
esfera.
Orientar o processo de regionalização e hierarquização dos serviços de saúde basicamente através da
ampliação do acesso da população às ações e serviços de saúde em todos os níveis de atenção.
Orientar o processo de regionalização e hierarquização dos serviços de saúde resolvendo todos os
problemas de saúde de abrangência nacional.
Orientar o processo de regionalização e hierarquização dos serviços de saúde com foco único em uma
assistência qualificada e de melhor resolutividade na atenção básica.
Orientar o processo de regionalização e hierarquização dos serviços de saúde apenas definindo as
responsabilidades operacionais de cada esfera.
 3a Questão (Ref.: 201101180575) Pontos: 1,0 / 1,0
Vários fatores de ordem individual e coletiva interferem e são determinantes no processo saúde-doença,
podendo levar à doença ou contribuir para o risco de adoecimento e manutenção dos agravos de saúde. Os
fatores etiológicos podem ser de origem:
Animal ou Vegetal
Viral ou Bacteriana
Natural ou Artificial
 Endógena ou Exógena
Específica ou Inespecífica
 4a Questão (Ref.: 201101178677) Pontos: 0,0 / 1,0
A promoção da saúde está relacionada a medidas que não se dirigem a doenças específicas, mas que visam
aumentar a saúde e o bem estar dos indivíduos e da coletividade. O fortalecimento da capacidade individual e
coletiva para o confronto com uma imensa variedade de determinantes sociais e condicionantes da saúde é o
aspecto principal. Sobre os objetivos da promoção da saúde são feitas as seguintes afirmações: I Valorizar o
caráter coletivo e as políticas públicas intersetoriais voltadas à melhoria da qualidade de vida das populações. II
Reforçar a tendência de aumentar as responsabilidades do Estado quanto à saúde dos indivíduos. III Abordar
de forma ampla os problemas de saúde focando os determinantes sociais. IV Capacitar os indivíduos ao
autocuidado. Assinale a alternativa correta:
 Todas as afirmações são verdadeiras.
As afirmações III e IV são verdadeiras.
As afirmações I e IV são verdadeiras.
 Apenas a afirmação II é falsa.
Todas as afirmações são falsas.
 5a Questão (Ref.: 201101195950) Pontos: 0,0 / 1,0
O ano de 1990 constituiu um marco para a epidemiologia brasileira devido à realização, em Campinas, do I
Congresso Brasileiro de Epidemiologia e a criação do Centro Nacional de Epidemiologia (CENEPI). O tema do
congresso foi Epidemiologia e Desigualdade Social: os desafios do final do século. Em 2011, em São Paulo,
ocorreu o VIII Congresso Brasileiro de Epidemiologia, que trouxe como tema central a Epidemiologia e seu
papel na definição de políticas públicas articulado ao conjunto das demais disciplinas do campo da Saúde
Coletiva. Sobre os Congressos Brasileiros de Epidemiologia são feitas as seguintes afirmações: I Os congressos
oferecem a oportunidade para atualizar e rever as contribuições da epidemiologia para os diversos temas em
saúde que interessam à sociedade brasileira. II Os congressos promovem a interação entre a pesquisa
realizada tanto no meio universitário quanto nos serviços de saúde. III Os congressos realizados de 1990 até
2011 não ofereceram contribuições para o desenvolvimento da Epidemiologia no Brasil. IV Os congressos
promovem a interação das instituições acadêmicas e serviços de saúde tanto nas áreas de ensino de
graduação, pós-graduação e pesquisa, quanto nas ações dos serviços de saúde. Agora, assinale a alternativa
correta:
As afirmativas I, II e III são verdadeiras.
 Todas as afirmativas são verdadeiras.
Apenas as afirmativas I e II são verdadeiras.
 Apenas a afirmativa III é falsa.
Todas as afirmativas são falsas.
 6a Questão (Ref.: 201101195938) Pontos: 1,0 / 1,0
Jairnilson Silva Paim e Eduardo Mota (2011) relataram que a partir do final da década de 1990, os desafios da
implantação do SUS no Brasil motivaram a reflexão sobre as relações entre Epidemiologia e Planejamento em
Saúde. Teixeira (1999) enfatizou o grande dinamismo da produção científica no Brasil e a contribuição da
epidemiologia ao desenvolvimento teórico/metodológico do planejamento em saúde. Sobre a contribuição da
epidemiologia no planejamento em saúde destacados os seguintes usos: I No processo de formulação de
políticas. II Na definição de critérios para a repartição de recursos. III Na realização de diagnósticos e análises
de situações de saúde. IV Na elaboração de planos, programas e projetos. V Na avaliação de sistemas,
políticas, programas e serviços de saúde. Agora, assinale a alternativa correta.
Todas as afirmativas são falsas.
Apenas as afirmativas I e II são verdadeiras.
 Todas as afirmativas são verdadeiras.
Apenas a afirmativa III está correta.
As afirmativas I, II e III estão corretas.
 7a Questão (Ref.: 201101178522) Pontos: 1,0 / 1,0
A qualidade dos indicadores básicos para a saúde no Brasil não depende das propriedades dos componentes
utilizados em sua formulação como a frequência de casos e o tamanho da população em risco. PORQUE: É
desejável que os indicadores possam ser analisados e interpretados com facilidade, e que sejam
compreensíveis pelos usuários da informação, especialmente gerentes, gestores e os que atuam no controle
social do sistema de saúde. Analisando as duas afirmações conclui-se que:
As duas afirmações são verdadeiras e a segunda é uma justificativa correta da primeira.
A primeira afirmação é verdadeira e a segunda é falsa.
 A primeira afirmação é falsa e a segunda é verdadeira.
As duas afirmações são verdadeiras, mas a segunda não é uma justificativa correta da primeira.
As duas afirmações são falsas.
 8a Questão (Ref.: 201101179401) Pontos: 1,0 / 1,0
Estudos que abordam áreas geográficas bem delimitadas, realizam correlações entre indicadores de condição
de vida e situação de saúde, podendo utilizar uma referência