A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Distribuiçao fisica parte II

Pré-visualização | Página 1 de 3

Professor Flávio Isidoro.
Terceirização logística no Brasil.
1
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
Terceirização logística no Brasil.
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
2
Forte crescimento nos últimos anos, acompanhando a evolução do comercio eletrônico , da industria e do agronegócio.
Mais de 60% das atividades logísticas são terceirizadas nas empresas.
O mercado de terceirização movimenta perto de R$10 bilhões.
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
3
	A terceirização da logística se tornou uma necessidade para a maioria das empresas devido à acirrada concorrência entre as mesmas, porque as empresas possuem consciência que a qualidade nos processos logísticos representa um considerável fator de sucesso para os negócios.
Grupos de atividades logísticas e sua representatividade na terceirização.
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
4
Atividades básica 92% ( transporte de suprimentos, transferência de produtos, distribuição e desembaraço alfandegário).
Atividades intermediarias 45% (armazenagem,milk run e gerenciamento de transporte multimodal).
Atividades sofisticadas 32% (gestão de estoques, montagem de kits e projetos logísticos).
Motivos para terceirizar I
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
5
Reduzir custos,.
Focar no negocio.
Aumentar a flexibilidade.
Reduzir investimento em ativos (desmobilizar capital).
Aumentar nível de serviço.
Expandir mercado.
Gerar novas soluções logísticas.
Melhorar a eficiência operacional.
Motivos para terceirizar II
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
6
	De acordo com Soares e Abrahão (2007) a elevada participação dos custos logísticos no faturamento fez com que muitas empresas buscassem, na terceirização dos serviços dessa área, oportunidades de redução de custos. No Brasil acompanha-se a tendência tanto dos EUA como da Europa.
Vantagens da terceirização
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
7
	Segundo Giosa, (1994), as vantagens que a terceirização logística traz a uma empresa é a focalização dos negócios da empresa na sua área de atuação; diminuição dos desperdícios, redução das atividades – meio, aumento da qualidade,ganhos de flexibilidade, aumento da especialização do serviço, aprimoramento do sistema de custeio, maior esforço de treinamento e desenvolvimento profissional; maior agilidade nas decisões, menor custo, maior lucratividade e crescimento, favorecimento da economia de mercado, otimização dos serviços, redução dos níveis hierárquicos, aumento da produtividade e competitividade, redução do quadro direto de empregados e diminuição da ociosidade das máquinas, maior poder de negociação, ampliação do mercado para as pequenas e médias empresas, possibilidade de crescimento sem grandes investimentos, economia de escala, diminuição do risco de obsolência das máquinas, durante a recessão.
Desvantagens da terceirização
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
8
	Giosa (1994), destaca algumas desvantagens com o conservadorismo; risco de coordenação dos contratos; falta de parâmetros de custos internos; demissões na fase inicial; custo de demissões; dificuldade de encontrar a parceria ideal; falta de cuidado na escolha dos fornecedores; aumento do risco a ser administrado; conflito com os sindicatos; mudanças na estrutura do poder; aumento da dependência de terceiros; perda da identidade cultural da empresa e a longo prazo queda no nível de serviço.
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
9
	No Brasil apenas 25 % das empresas enxergam o prestador de serviço logístico como fator chave na promoção da satisfação do cliente.
Deficiências dos Provedores Logísticos e Transportadoras
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
10
Informações de desempenho
 visibilidade
Projetos de melhoria contínua
Nível de serviço
Comunicação
Ferramentas tecnológicas
Padronização dos processos
Gestão de pessoal
Pós-venda.
Adaptação à cultura do clientes.
Definição de prioridades.
Operador Logístico (OPL).
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
11
	Operador logístico é o fornecedor de serviços especializado em gerenciar e executar todas as atividades logísticas nas várias fases na cadeia de abastecimento de seus clientes, e deve ter competência para, no mínimo, prestar simultaneamente serviços nas três atividades básicas: controle de estoque, armazenagem e gestão de transporte. Os demais serviços que porventura sejam oferecidos funcionam como diferenciais de cada operador; pode-se citar como exemplo, gerenciamento, análise e projeto de administração de estoques e de informação e rastreamento de pedidos, que podem se estender até ao gerenciamento da cadeia logística (FLEURY; WANKE; FIGUEIREDO, 2006).
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
12
Operador logístico único.
Expansão da economia e a globalização eliminou as fronteiras de atuação das grandes empresas. Ex. as empresas passaram a adquirir insumos nos mais distantes locais do planeta, instalaram plantas produtivas em diversos países.
Rede de suprimentos mais complexas.
Gerenciar diversos operadores e selecioná-los exige muito esforço e conhecimento. 
Exigência de recursos humanos e tecnológico de alta capacidade para gerenciar o processo logístico. A tecnologia da informação disponibiliza informações cada vez mais rápido e para tirar proveito delas os gerentes precisam modelar sistemas capazes de tratar o processo eficientemente e agir na mesma proporção de eficiência e agilidade.
Uso racional do recurso logístico.
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
13
1 +2+3+4+5 >> 3PL : relacionamento direto com a contratante (terceirização).
1 +2+3+4+5 >> 4PL :entre pares e a contratante surge o 4PL que atua como o estrategista e gestor do modelo.
 Transporte
 insumos
 Armazenagem
 de insumos
Fornecedores
insumos
 Manufatura.
Transporte p/
 Cd varejista ou
almoxarifado
1
2
3
Armazenagem
 de produtos 
 finais e ou
Intermediários.
4
 Reembalar e
 transportar p/
mercado.
5
Varejo
Cliente
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
14
Modelo de negocio para o 4PL,
componentes básicos.
Liderança para a mudança.
Acesso aos melhores provedores de ativos. 
Capacidade de captar e utilizar informação e conhecimento em toda rede.
Capacidade de atrair bons parceiros.
Necessidade física de um ambiente para instalar uma central de gestão da cadeia de suprimentos.
Uma arquitetura de sistema eficiente.
Habilidade de gerar soluções integradas.
Inovação.
Contratos de longo prazo ou joint venture.
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
15
Características de uma organização 4PL.
Fluxo contínuo de informações entre parceiros e a organização 4PL.
Partilha do Lucro e comprometimento com o risco.
Relação estabelecida por contratos de longo prazo ou formação de joint venture. Organização híbrida.
Potencial para geração de receita.
Alinhamento de metas.
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
16
Função do modelo 4PL: arquiteto; integrador.
Liderar o processo de mudança.
Compreensão da cadeia de suprimentos.
Articular novos negócios.
Gerenciar projetos.
Repensar a cadeia de suprimentos.
Relacionar com clientes.
Modelar e integrar serviços, sistemas e informações.
Inovar de forma continua. Criar e gerar “soluções logísticas inteligentes”.
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
17
Função do modelo 4PL: gestor do processo.
“palavra mágica; processo.”
Gerenciar múltiplos 3PL.
Aprimorar de forma continua processos.
Experiência em logística.
Posicionamento neutro.
Domínio da informação e foco em otimização de processos.
Ter agilidade e flexibilidade ao definir uma solução logística.
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
18
Função do modelo 4PL: o intermediário da cadeia.
Suporte técnico.
Integrar sistema de TI.
Prover de infra-estrutura de TI.
Captar dados e transformar em informações.
Disponibilizar informações necessárias nos pontos de demanda.
Gerenciar o sistema nervoso do sistema. 
Professor Flávio Isidoro - UNISUAM
19
Função do modelo 4PL: provedor de recursos.
Identificar e disponibilizar para o sistema ativos