A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
77 pág.
Apostila Radiologia Odontológica

Pré-visualização | Página 1 de 12

Fundação Saint Pastous
 
 Apostila Radiologia Odontológica 
 TR. Sidnei Lima 
Introdução à radiologia odontológica
Esta aula pretende apresentar ao aluno de maneira sucinta um breve histórico da radiologia odontológica, focando os principais estudiosos do tema e também relacionar a radiologia com a prática odontológica na atualidade que visa à melhoria e/ou à manutenção da saúde do paciente
Dr. Edmund Kells
Americano e autor de vários artigos na área da odontologia radiológica, sua história, entretanto teve fim trágico, pois, após tomar ciência da descoberta, iniciou experimentos no campo da odontologia e construiu até um laboratório muitíssimo bem elaborado dentro de sua própria casa. Em julho de 1896, tornou-se o primeiro clínico no mundo a utilizar um aparelho de Raios X no consultório. Todavia, após administrar incontáveis radiografias sem nenhuma proteção e ainda sem saber das tamanhas possibilidades deletérias dos Raios X, começou a apresentar os efeitos colaterais de indiscriminado uso. Inicialmente um dedo da mão esquerda foi perdido, depois um segundo, um terceiro, até perder toda a mão esquerda. Posteriormente acabou tendo que amputar o braço esquerdo. Mesmo assim, continuou a praticar a odontologia e projetou instrumentos que lhe permitiam trabalhar somente com uma mão. Com o tempo a mão direita também foi afetada pela radiação. Lutou vinte anos contra tais efeitos, realizou cirurgias e enxertos de pele, mas não resistiu a tamanho sofrimento e se suicidou.
Na América Latina, o primeiro aparelho de Raios X chegou ao Brasil enviado por Röntgen ao médico José Carlos Ferreira Pires, em 1897, no estado de Minas Gerais, na cidade de Formiga.
Com o passar dos anos, novas técnicas foram surgindo e algumas se destacando, dentre elas a de Cieszynski. Essa técnica foi denominada de "regra de Cieszynski" ou "regra da bissetriz" (figura ao lado) e baseava-se em um teorema que estabelecia que dois triângulos são iguais quando têm dois ângulos iguais e um lado comum. Trazendo a teoria à prática, o ângulo formado pelo longo eixo do dente e o longo eixo do filme resultará em uma bissetriz, na qual o feixe de Raio X deverá incidir perpendicularmente.
Desenho esquemático da ?Técnica da Bissetriz?
José Carlos Ferreira Pires Nasceu em 27 de setembro de 1854, em Paracatu (MG) e aos quatro anos de idade mudou-se para Formiga (MG) com a família. Em 1873, ingressou na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Doutor em medicina, regressou à Formiga em 1879. Suas observações e pesquisas permitiram a publicação de inúmeros trabalhos em revistas científicas e congressos médicos. Os últimos anos de sua vida foram marcados por uma intensa lesão destrutiva no nariz (dermite nasal), possivelmente causada por fortes doses de radiação a que se submetia em seu consultório.
Posteriormente outras técnicas foram desenvolvidas com a mesma indicação e uma delas foi a técnica do paralelismo que, quando surgiu, apresentou certa dificuldade de execução pois exigia um tempo maior de exposição e distâncias focais diferenciadas. Atualmente trata-se de uma técnica radiográfica que emprega suportes especiais para o filme, tendo as mesmas indicações da técnica da bissetriz.
Além dessas técnicas intrabucais, a radiologia odontológica utiliza-se também de radiografias extrabucais que têm contribuído sobremaneira para o diagnóstico, o planejamento, o prognóstico, o tratamento e o estudo das alterações ósseas do complexo maxilo-facial.
Pode-se entender, então, que a odontologia apresentou grandes avanços após a utilização dos Raios X e em todas as suas grandes áreas. Sejam elas preventivas ou curativas, a documentação por esse meio é sempre utilizada.
Vale ressaltar ainda que a radiologia odontológica também pode ser utilizada como método de investigação na Odontologia Forense pois as radiografias podem fornecer subsídios importantes devido à grande quantidade de informações registradas em filme: características morfológicas, posição e forma da crista alveolar, restaurações, exodontias, tratamentos endodônticose ortodônticos dentre tantos outros.
De maneira geral, a gama de possibilidades na radiologia odontológica é imensa. Houve uma melhora gritante nos últimos anos, mas há ainda muito que trabalhar no aperfeiçoamento de técnicas e na padronização de imagens para evitar distorções e aumentar a qualidade de diagnósticos e tratamentos.
Glossário
Exodontia: exo = fora / dontia = dente. Remoção cirúrgica de um elemento dentário
Odontologia Forense: Relacionada ao exercício da Odontologia Legal e objetiva a aplicação dos conhecimentos odontológicos na identificação e pesquisa de fenômenos físicos, químicos e biológicos que podem atingir ou ter atingido o homem, vivo, morto ou ossada, e mesmo fragmentos ou vestígios, resultando lesões parciais ou totais reversíveis ou irreversíveis, tendo utilidade nas áreas de Direito Trabalhista, Civil e Penal.
Tratamento endodôntico: Conjunto de várias manobras com objetivo de restabelecer a normalidade dos tecidos dentais ou manter a estrutura dura no alvéolo livre de inflamação e/ou infecção, sendo o tratamento de canal apenas parte desse tratamento
Tratamento ortodôntico: Conjunto de várias manobras com o objetivo principal de restabelecer a normalidade da oclusão dentária, buscando o equilíbrio facial com a harmonização dos dentes, lábios e ossos maxilares.
Referências
ALVARES, Luiz Casati. Curso de radiologia em odontologia. Colaboração de Orivaldo Tavano. 4. ed. São Paulo: Santos, 2002.
CIESZYNSKI, A. Ueber die einstellung der roentgenrohre bei zahnaufnahmen. Corresp F zahnärzte, p.158, 1907. apud CIESZYNSKI, A. In defense of the rights of authorship of some fundamental rules of X-Ray technique and accessories. Dent Cosmos, v.66, n.6, p.656-664, June 1924.
FENELON, S.; ALMEIDA, S.S. Dr. José Carlos Ferreira Pires, Pioneiro da radiologia na América do Sul.Revista da imagem. 2000; 22(4):VII-X.
FREITAS, A. Radiologia Odontológica. 3. ed. São Paulo : Artes Médicas, 1994. p.125-140.
GRUBER, J.; KAMEYAMA, M. M. O papel da Radiologia em Odontologia Legal. Pesqui Odontol Bras, v. 15, n. 3, p. 263-268, jul./set. 2001.
Anatomia dentária
Está aula objetiva apresentar ao aluno os tópicos mais importantes com relação à anatomia dentária, o que inclui conceitos, classificação, morfologia e função dos dentes, tópicos imprescindíveis para o bom entendimento da radiologia odontológica como um todo.
NESTE TÓPICO
 Anatomia dentária
 Classificação e funções
 Morfologia
 Referências
 
A anatomia bucomaxilofacial em radiologia odontológica é de suma importância para a interpretação e a execução das técnicas radiográficas de maneira correta e também para a avaliação dos resultados da mesma, sendo indispensável para elaborar um correto diagnóstico e posterior tratamento. Fácil é de se compreender essa importância se pensarmos que para conhecer o patológico é necessário entender o que é normal.
Anatomia dentária
Esquema de corte longitudinal de estrutura dentária.
A anatomia dentária é a parte da anatomia humana que estuda o órgão dentário formado por dente e periodonto (gengiva, desmodonto, cemento e osso alveolar).
Do ponto de vista anatômico o dente é dividido em três partes: coroa, colo e raiz.
A coroa é a parte visível e funcional mais utilizada no processo de mastigação. Possui aspecto brilhante e localiza-se acima da gengiva e dos ossos de suporte.
O colo é o elo entre a coroa e a raiz do dente, o limite divisório. É uma linha sinuosa bastante nítida e de fácil identificação pela diferença de cor entre as estruturas.
A raiz é a parte do dente que não se vê sem ser radiograficamente. É um segmento de tom amarelo, responsável pela fixação do dente ao osso alveolar. Maior do que a coroa em comprimento e também com maiores variações morfológicas por possuir relação direta com as paredes alveolares por meio das fibras do desmodonto, é responsável por suportar as cargas impostas pela mastigação. Dependendo da localização do dente, este