Cirrose

Cirrose


DisciplinaProcesso de Cuidar III16 materiais115 seguidores
Pré-visualização1 página
*
CIRROSE HEPÁTICA
Prof. Rosângela Symara
*
CIRROSE HEPÁTICA - ETIOLOGIA
Causas mais frequentes:
Álcool;
Hepatite crónica B ou C;
Fígado gordo não alcoólico:
Factores de risco: Obesidade, Diabetes mellitus, Hipertrigliceridemia, 
Cirrose Biliar: destruição dos canais biliares dentro do fígado. 
Hemocromatose: ocorre depósito de ferro nos tecidos.
*
Forma assintomática (40%):
Exame clínico de rotina;
Alterações persistentes da função hepática;
Biópsia hepática;
Autópsia.
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Forma sintomática:
Manifestações gerais: decorrentes de disfunção hepatocelular e disfunção parênquima hepático (hipertensão portal);
Astenia, anorexia, emagrecimento, perda massa muscular, osteoporose.
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Forma sintomática: Descompensações
Ascite e Peritonite bacteriana espontânea;
Encefalopatia;
Hemorragia GI.
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Exame Físico:
Icterícia
Ascite e edemas dos M. I. S
Circulação venosa colateral na parede abdominal (\u201ccaput medusa \u201d)
Sopro de Curveilher \u2013 Baumgarten
Hepatomegalia
Esplenomegalia
Asterixis
Faetor hepaticus
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Exame Físico:
Icterícia
Ascite e edemas dos M. I. S
Circulação venosa colateral na parede abdominal (\u201ccaput medusa \u201d)
Sopro de Curveilher \u2013 Baumgarten
Hepatomegalia
Esplenomegalia
Asterixis
Faetor hepaticus
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Exame Físico:
Icterícia
Ascite e edemas dos M. I. S
Circulação venosa colateral na parede abdominal (\u201ccaput medusa \u201d)
Sopro de Curveilher \u2013 Baumgarten
Hepatomegalia
Esplenomegalia
Asterixis
Faetor hepaticus
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Exame Físico:
Icterícia
Ascite e edemas dos M. I. S
Circulação venosa colateral na parede abdominal (\u201ccaput medusa \u201d)
Sopro de Curveilher \u2013 Baumgarten
Hepatomegalia
Esplenomegalia
Asterixis
Faetor hepaticus
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Exame Físico:
Icterícia
Ascite e edemas dos M. I. S
Circulação venosa colateral na parede abdominal (\u201ccaput medusa \u201d)
Sopro de Curveilher \u2013 Baumgarten
Hepatomegalia
Esplenomegalia
Asterixis
Faetor hepaticus
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
tremor no pulso quando estendido (dorsiflexão),
*
Exame Físico:
Aranhas vasculares e telangiectasias
Eritema palmar 
Ginecomastia, rarefação pilosa
Atrofia testicular
Virilização
Contractura de Dupuytren
Alterações ungueais (unhas de Muehrckes e unhas de Terry) 
Osteoartropatia hipertrófica
Anéis de Kayser \u2013 Fleisher
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Exame Físico:
Aranhas vasculares e telangiectasias
Eritema palmar 
Ginecomastia, rarefação pilosa
Atrofia testicular
Virilização
Contractura de Dupuytren
Alterações ungueais (unhas de Muehrckes e unhas de Terry) 
Osteoartropatia hipertrófica
Anéis de Kayser \u2013 Fleisher
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Exame Físico:
Aranhas vasculares e telangiectasias
Eritema palmar 
Ginecomastia, 
Atrofia testicular
Virilização
Contractura de Dupuytren
Alterações ungueais (unhas de Muehrckes e unhas de Terry) 
Osteoartropatia hipertrófica
Anéis de Kayser \u2013 Fleisher
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Exame Físico:
Aranhas vasculares e telangiectasias
Eritema palmar 
Ginecomastia, rarefação pilosa
Atrofia testicular
Virilização
Contractura de Dupuytren
Alterações ungueais (unhas de Muehrckes e unhas de Terry) 
Osteoartropatia hipertrófica
Anéis de Kayser \u2013 Fleisher
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
Contratura na flexão
*
Exame Físico:
Aranhas vasculares e telangiectasias
Eritema palmar 
Ginecomastia, rarefação pilosa
Atrofia testicular
Virilização
Contractura de Dupuytren
Alterações ungueais (unhas de Muehrckes e unhas de Terry) \u2013 fracas e escuras. 
Osteoartropatia hipertrófica
Anéis de Kayser \u2013 Fleisher
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Exame Físico:
Aranhas vasculares e telangiectasias
Eritema palmar 
Ginecomastia, rarefação pilosa
Atrofia testicular
Virilização
Contractura de Dupuytren
Alterações ungueais (unhas de Muehrckes e unhas de Terry) 
Osteoartropatia hipertrófica
Anéis de Kayser \u2013 Fleisher:
Iris escuras (verdes/marrom)
CIRROSE HEPÁTICA - CLÍNICA
*
Laboratório:
Hemograma com plaquetas;
Transaminases (AST e ALT);
Contagem de células total e diferencial;
Fosfatase alcalina;
Bilirrubinas total, direta e indireta;
Amónia;
Electroforese proteínas;
Tempo de protrombina.
Exame bacteriológico direto e cultura;
Pesquisa de BAAR (Tuberculose peritoneal);
CIRROSE HEPÁTICA - LABORATÓRIO
*
Ecografia abdominal com \u201cdoppler\u201d
Tomografia computadorizada (CT)
Ressonância magnética (MRI)
Angio \u2013 Ressonância magnética (MRA)
CIRROSE HEPÁTICA - IMAGIOLOGIA
*
Ecografia abdominal com \u201cdoppler\u201d
Tomografia computadorizada (CT)
Ressonância magnética (MRI)
Angio \u2013 Ressonância magnética (MRA)
CIRROSE HEPÁTICA - IMAGIOLOGIA
*
Ecografia abdominal com \u201cdoppler\u201d
Tomografia computadorizada (CT)
Ressonância magnética (MRI)
Angio \u2013 Ressonância magnética (MRA)
CIRROSE HEPÁTICA - IMAGIOLOGIA
*
Endoscopia digestiva alta
Biópsia hepática
CIRROSE HEPÁTICA \u2013 OUTROS EXAMES
*
ASCITE
Cirrose hepática (80%);
Neoplasia (10%);
Insuficiência cardíaca (3%);
Tuberculose (2%);
Pancreatite (1%);
*
Grau I (pequeno volume)
Restrição de Sódio
Grau II (volume moderado)
Repouso no leito
Restrição de sódio moderada (2g/dia)
Espironolactona (100 a 200 mg/dia)
Furosemida 20 a 40 mg/dia)
Grau III (volume grande)
Paracentese
Expansão do volume (albumina, dextranos, colóides)
Refratária \u2013 Shunt, transplante
ASCITE - TERAPÊUTICA
*
CIRROSE - PROGNÓSTICO
*
CIRROSE - TRANSPLANTE
\u2013 Indicações:
Hepatite fulminante
Cirrose descompensada
Carcinoma hepatocelular
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*
*