Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
87 pág.
Introd Inspecao Aeronaves

Pré-visualização | Página 1 de 13

Introdução à 
Inspeção de 
Aeronaves
SEST – Serviço Social do Transporte
SENAT – Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte
ead.sestsenat.org.br 
CDU 629.73
92 p. :il. – (EaD)
Curso on-line – Introdução à Inspeção de Aeronaves – 
Brasília: SEST/SENAT, 2016.
1. Aeronave - controle. 2. Aeronave - vistoria. I. 
Serviço Social do Transporte. II. Serviço Nacional de 
Aprendizagem do Transporte. III. Título.
3
Sumário
Apresentação 7
Unidade 1 | Tipos de Inspeção 8
1 Introdução 9
2 Inspeções Obrigatórias 9
3 Inspeções Especiais 11
4 Inspeção Devido à Pouso com Impacto 11
5 Inspeção Devido à Turbulência Severa 12
6 Inspeção por Impacto de Raio 13
7 Inspeção por Partida Quente 13
8 Inspeções Preventivas 14
9 Parciais 14
10 Gerais 14
11 Inspeções Corretivas 15
12 Inspeções Qualitativas 15
13 Ensaios Não Destrutíveis 16
14 Ensaios Destrutíveis 16
Glossário 17
Atividades 18
Referências 19
Unidade 2 | Inspeções Preventivas Parciais 20
1 Introdução 21
2 Preditivas 21
3 Progressivas 21
4 Condition Monitoring (CM) 22
5 On Condition (OC) 23
4
6 Pré-Voo 23
7 Pós-Voo 23
8 Ocasionais 24
9 Estruturais 24
Glossário 25
Atividades 26
Referências 27
Unidade 3 | Inspeções por Ensaios Não Destrutíveis 28
1 Introdução 29
2 Inspeção Visual 29
3 Inspeção Dimensional 30
4 Inspeção por Líquidos Penetrantes 30
5 Inspeção por Eddy Current 33
6 Inspeção Ultrassônica 34
7 Inspeção por partículas magnéticas e líquidos penetrantes 37
8 Inspeção por Partículas Magnéticas 37
9 Indicações 38
10 Descontinuidades 40
11 Fluxo 41
12 Magnetização 43
13 Inspeção por Partículas Magnéticas Fluorescente 44
14 Inspeção por Raio-X 44
Glossário 47
Atividades 48
Referências 49
Unidade 4 | Equipamentos para Magnetização e Desmagnetização 50
5
1 Introdução 51
2 Unidade Fixa 51
3 Unidade Portátil 52
4 Materiais Indicadores 53
5 Desmagnetização 54
6 Método Padrão 54
Glossário 55
Atividades 56
Referências 57
Unidade 5 | Documentação 58
1 Introdução 59
2 Ficha de Inspeção 59
3 Documentação do Avião 60
4 Publicações 60
4.1 Manual de Manutenção 61
4.2 Manual de Revisão 61
4.3 Manual de Reparos Estruturais 61
4.4 Catálogo Ilustrado de Peças 61
4.5 Regulamentos 62
4.6 Diretrizes de Aeronavegabilidade 62
4.7 Boletins de Serviço 62
4.8 Ordens de Engenharia 64
4.9 Certificação de Aprovação de Aeronave 64
Glossário 65
Atividades 66
Referências 67
6
Unidade 6 | Sistema ATA-100 68
1 Introdução 69
2 Grupos 69
3 Numeração da Norma ATA-100 70
Glossário 74
Atividades 75
Referências 76
Unidade 7 | Diagonal de Manutenção 77
1 Introdução 78
2 Fatores da Diagonal de Manutenção 78
3 Planejamento das Inspeções 79
4 Diagonal de Célula 81
5 Diagonal de Motor 82
Glossário 83
Atividades 84
Referências 85
Gabarito 86
7
Apresentação
Prezado(a) aluno(a),
Seja bem-vindo(a) ao curso Introdução à Inspeção de Aeronaves! 
Neste curso, você encontrará conceitos, situações extraídas do cotidiano e, ao final de 
cada unidade, atividades para a fixação do conteúdo. No decorrer dos seus estudos, 
você verá ícones que tem a finalidade de orientar seus estudos, estruturar o texto e 
ajudar na compreensão do conteúdo. 
O curso possui carga horária total de 20 horas e foi organizado em 7 unidades, conforme 
a tabela a seguir.
Fique atento! Para concluir o curso, você precisa:
a) navegar por todos os conteúdos e realizar todas as atividades previstas nas 
“Aulas Interativas”;
b) responder à “Avaliação final” e obter nota mínima igual ou superior a 60; 
c) responder à “Avaliação de Reação”; e
d) acessar o “Ambiente do Aluno” e emitir o seu certificado.
Este curso é autoinstrucional, ou seja, sem acompanhamento de tutor. Em caso de 
dúvidas, entre em contato por e-mail no endereço eletrônico suporteead@sestsenat.
org.br.
Bons estudos!
Unidades Carga Horária
Unidade 1 | Tipos de Inspeção 4 h
Unidade 2 | Inspeções Preventivas Parciais 2 h
Unidade 3 | Inspeções por Ensaios Não Destrutíveis 5 h
Unidade 4 | Equipamentos para Magnetização e Desmagnetização 2 h
Unidade 5 | Documentação 3 h
Unidade 6 | Sistema ATA-100 2 h
Unidade 7 | Diagonal de Manutenção 2 h
8
UNIDADE 1 | TIPOS DE 
INSPEÇÃO
9
1 Introdução
As inspeções são exames, visuais ou por equipamentos, que determinam as condições 
das aeronaves e seus componentes, possibilitando prolongar suas vidas, mantendo a 
segurança operacional e suas condições aeronavegáveis. 
São vários os tipos de inspeções realizadas para assegurar as boas condições de voo, 
que vão desde uma simples caminhada em torno da aeronave, até uma desmontagem 
completa desta para serem observados, substituídos ou reparados todos os 
componentes que as compõem e a faz voar.
Não se pode deixar de enfatizar a importância das inspeções e da utilização correta das 
tasks e dos manuais de manutenção dos fabricantes, que são os norteadores de um 
trabalho realizado de forma correta e segura, tanto na utilização de ferramentas como 
com a utilização de produtos e métodos aplicados na manutenção.
As falhas operacionais e defeitos dos componentes são apreciavelmente reduzidos 
se o desgaste ou pequenos defeitos forem detectados ou solucionados o mais cedo 
possível. Logo, são utilizadas as inspeções preventivas e corretivas para alcançarem 
esse objetivo. 
2 Inspeções Obrigatórias
As inspeções obrigatórias são definidas pelos fabricantes das aeronaves/equipamentos 
e pelos órgãos regulamentadores do governo, que estipulam o tipo e o período que as 
inspeções devem ser realizadas, bem como definem o método de controle.
Os métodos de controle das inspeções obrigatórias poderão ser:
a) Horárias – são inspeções realizadas conforme as horas dos equipamentos, 
podendo ser divididas em horas de utilização e em horas de voo. As horas de 
utilização são as computadas desde o início do funcionamento do motor até sua 
parada total, enquanto as horas de voo são computadas quando da decolagem 
do avião e encerradas quando do pouso deste.
10
 e
Os minutos do controle horário são sempre encerrados em zero 
ou cinco, caso contrário, efetua-se o arredondamento. 
 
Exemplo: 1h03 (uma hora e três minutos), deve ser arredondado 
para 1h05 (uma hora e cinco minutos) ou 1h08 (uma hora e oito 
minutos). Logo será 1h10 (uma hora e dez minutos). 
b) Calendárias – são as inspeções realizadas por data (dias, semanas, meses ou 
anos).
c) Ciclos – são as inspeções realizadas por período determinado de utilização, como 
exemplo número de pousos, pressurizações e até mesmo por número de partidas 
no motor. 
 h
O ciclo de motor é uma porcentagem da hora voada determinada 
pelo fabricante ou o ciclo completo de uma partida com 
aceleração, decolagem, pouso e corte do motor. 
As inspeções obrigatórias são divididas em relação à aeronave em quatro grupos:
a) Grupo motor – são as inspeções relacionadas aos motores e seus componentes. 
Possuem controle horário, calendário e por ciclos.
b) Grupo célula – são as inspeções da estrutura, interior, sistemas e comandos de 
voo da aeronave (os instrumentos e os equipamentos eletrônicos de rádio e 
navegação, fazem parte deste grupo). Possuem controle horário e calendário;
c) Grupo do trem de pouso – são as inspeções relacionadas a trem de pouso, 
incluindo rodas e pneus. Possuem controle por ciclo.
d) Grupo unidade auxiliar de força (APU) – são as inspeções relacionadas ao APU e 
seus componentes. Possuem controle horário.
 e
A APU não é fornecedora de força propulsiva, apenas fornece 
energia elétrica e pneumática para a aeronave. 
11
3 Inspeções Especiais 
As inspeções especiais tornam-se
Página123456789...13