A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
APOSTILA 01

Pré-visualização | Página 2 de 3

forma, esse gestor 
terá condições de assegurar o bom andamento do projeto.
É importante lembrar que gerenciamento é uma área do 
conhecimento (por ex: gerenciamento de projetos, gerenciamento 
estratégico, gerenciamento de marketing), enquanto que gerência é 
uma função (na qual se aplicam os conhecimentos, as habilidades e 
os recursos).
1.4 Planejamento como Ação do Processo de Administração
Para que uma organização tenha êxito no seu funcionamento, é 
necessário que haja um bom planejamento. Desta forma, a organização 
poderá “prever” as suas ações de desenvolvimento, organizando e 
maximizando seus esforços e recursos.
Aliás, o planejamento é uma constante em nossas vidas, 
pois em todos os momentos estamos planejando algo ou algum 
direcionamento que pretendemos tomar. Planejamos o tempo todo. 
‘Planejamos nosso dia, nossa alimentação, nossa carreira, nossa vida. 
Sempre atentos aos objetivos que queremos alcançar.
Uma viagem, por exemplo, requer um bom planejamento 
para que se possa aproveitar todos os benefícios envolvidos, com o 
máximo de aproveitamento dos recursos aplicados. São características 
de um planejamento:
• Coleta de dados;
• Diagnóstico da situação;
• Definição de objetivos;
• Organização das metas;
20 | Gerência de Projetos em RH 
• Alocação de recursos;
• Elaboração do plano de ação;
• Desdobramento do plano de ação em programas.
Para planejar, o gestor precisa conhecer a 
organização, bem como sua área de atuação, seu 
negócio, e ainda fazer um diagnóstico da situação 
atual, identificando as características da situação, 
os problemas que poderá enfrentar e as metas e 
objetivos que pretende atingir. 
Um bom planejamento requer dados e informações confiáveis 
de modo a se traçar um diagnóstico organizacional.
O Planejamento organizacional deve se apresentar mais 
estratégico, para cumprir sua função de orientador dos processos de 
gestão levando em conta as particularidades da organização.Isso irá 
proporcionar aos gestores uma visão mais consultiva, promovendo o 
sucesso organizacional.
1.4.1 Programas e Projetos
As organizações que desejam se manter mais competitivas 
e produtivas no mercado atual estão investindo na melhoria de 
seus programas, projetos e atividades. Geralmente elas investem 
em programas como: Programa de T&D – Treinamento e 
Desenvolvimento, Programa de Remuneração Variável, Programa de 
Qualidade de Vida no Trabalho, entre outros.
Também investem em Projetos, como por exemplo um 
Projeto de Recrutamento e Seleção de Pessoal, um Projeto de 
Desenvolvimento de Liderança (Líderes, Gerentes, Supervisores), 
Projeto de Fidelização dos colaboradores (por meio de ações que 
possam reter os talentos organizacionais).
Gerência de Projetos em RH | 21
Já Atividades são as ações necessárias ou os trabalhos 
específicos para a confecção de alguma tarefa ou trabalho. 
Vejamos algumas definições estratégicas:
RH
Programas: É um grupo de projetos 
designados de forma a alcançar um 
objetivo abrangente e estratégico. 
Projeto: É um esforço temporário, cuja 
finalidade é a criação de um produ-
to ou serviço. Apresenta início e fim 
determinados, e seu resultado tende a 
ser diferenciado.
A empresa X, preocupada com a saúde de seus funcionários, 
decide criar “O programa de qualidade de vida no ambiente de 
trabalho” envolvendo vários projetos, como: 
Projeto Caminhando para a Frente envolvendo caminhada e 
corrida para os funcionários, com orientações de especialistas; 
Projeto Alimentação Saudável com orientações de nutricionistas 
e médicos sobre cardápios mais adequados aos diferentes biotipos 
dos colaboradores;
Projeto “Deixando os Vícios” que promoverá palestras sobre os 
vícios mais comuns no ambiente de trabalho, como alcolismo, 
drogas, tabagismo etc.
Projeto “Coração Amigo” com o objetivo de tornar cada 
colaborador amigo de seu próprio coração, buscando para si 
atividades como boa leitura, boa música, dicas de entretenimento, 
enfim, atividades que edifiquem o indivíduo.
Atividades – dicas de melhorias:
1. Considere o tempo de interrupções (reuniões e 
compromissos diversos), que podem atrasar as atividades.
Na prática
22 | Gerência de Projetos em RH 
2. Reveja o tempo gasto com e-mails, celular e telefone, 
lanches, de modo a otimizar as atividades.
3. Trabalhe com alternados tipos de estimativas de prazos, 
para facilitar a entrega de qualquer atividade.
4. Envolva a sua equipe e seus fornecedores no alcance das 
metas e objetivos organizacionais.
Fonte: Adaptado - PMI – Project Management Institute (PMBoK 3RD Ed – 2004)
Os Programas e Projetos envolvem também:
Subprojeto: projeto menor que implementa “partes completas” 
de um projeto maior. Administrado em sintonia com o “projeto pai”, o 
subprojeto não tem sentido se executado individualmente.
Portfólio: Conjunto de projetos e/ou programas de uma 
organização, entidade ou gerente.
Processos: Conjunto de ações e atividades inter-relacionadas 
realizadas para obter um conjunto pré-especificado de produtos, 
resultados ou serviços.
Os processos possuem uma organização específica de atividades, 
bem como tempo e espaço determinados, além de início e fim e 
entradas e saídas claramente identificadas. 
Geralmente o processo é compreendido como uma série de 
atividades que agregam valor a um cliente, que pode ser interno 
ou externo.
1.5 Processos Sistêmicos da Gestão de Recursos Humanos
A partir de uma abordagem mais sistêmica, a velha ideia 
cartesiana de dividir, segmentar e separar passa a ser substituída por 
uma nova forma de ver e organizar a empresa. 
Saiba mais
Gerência de Projetos em RH | 23
O foco agora está em unir as diferentes equipes de trabalho 
e não mais separá-las. A atenção não está mais nas tarefas, e, sim, 
nos processos que permeiam a organização, em uma trajetória mais 
dinâmica e objetiva, na qual se privilegiam os fins e os resultados.
Os cargos deixam de ser individualizados, separados e 
“engessados”, passando a ser considerados como trabalho conjunto, 
realizado por equipes autônomas e multidisciplinares. De uma forma 
mais holística, em que o foco está no “todo” e não nas partes.
Desta forma, todos dentro da organização saem ganhando, 
pois o resultado final passa a ser considerado como um fruto do 
trabalho em conjunto onde todos participaram.
No meio corporativo, os movimentos de reorganização 
empresarial, como a reengenharia e o downsizing, por exemplo, 
trouxeram uma abordagem mais dinâmica, em que deixamos a 
organização funcional e evoluímos para a organização em rede de 
equipes focadas em processos. Essa transição também tem sido 
frequente na Gestão de Pessoas.
O Downsizing ajuda as empresas a ficarem mais enxutas, 
eliminando os funcionários em excesso ou de qualificações 
inadequadas, adequando a estrutura organizacional as operações 
da empresa (Chiavenato, 2009).
Para as mudanças serem percebidas em toda a organização, 
existem alguns objetivos que podemos considerar como principais, pois 
auxiliam no processo de reorganização empresarial. São eles: 
• Ajudar a organização em relação ao alcance de suas metas e 
objetivos, de modo a realizar sua missão;
• Apoiar a organização para que se torne mais competitiva;
• Atrair e desenvolver os talentos organizacionais;
• Promover a motivação entre as equipes de trabalho;
Saiba mais
24 | Gerência de Projetos em RH 
• Facilitar o autodesenvolvimento, bem como a satisfação das 
pessoas no ambiente de trabalho;
• Promover a qualidade de vida no trabalho;
• Gerir os processos de mudança.
Esses objetivos envolvem os processos sistêmicos de:
• Agregar pessoas;
• Aplicar pessoas;
• Recompensar pessoas;
• Desenvolver pessoas;
• Manter pessoas;
• Monitorar pessoas.
Processo de
Agregar 
Pessoas
Recrutamento Seleção

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.