A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
Miopatia de Cervideos APRESENTAÇÃO

Pré-visualização | Página 1 de 1

MIOPATIA NA CAPTURA 
DE CERVÍDEOS 
Disciplina: ANIMAIS SILVESTRES 
Profª Nathalia Philadelpho 
Universidade Anhanguera de São Paulo- Unidade Santo André 
Universidade Anhanguera de São Paulo- Unidade Santo André 
JÉSSICA ELOISA ALEXANDRE 
KELLY CRISTINA DE SIQUEIRA 
LETICIA JANAINA RODRIGUES 
RICARDO PANHAN DE LIMA 
THAÍS PRISEL MARQUES 
Disciplina: ANIMAIS SILVESTRES 
Profª Nathalia Philadelpho 
Cervo do pantanal 
(Blastocerus dichotomus) 
Veado campeiro 
(Ozotoceros bezoarticus) 
Veado galheiro 
(Odocoileus virginianus) 
Veado catingueiro 
(Mazama gouazoubira) 
 A família Cervídeos é composta de 17 gêneros e 45 
espécies, que habitam na América do Norte, América do 
Sul, Eurásia, Norte da África e na maioria das ilhas 
continentais desses países. 
. 
As espécies são conhecidas no Brasil como cervos ou 
veados e possuem entre suas 
características a timidez, por 
serem arredios e medrosos. 
O QUE SÃO CERVÍDEOS 
Veado mateiro 
(Mazama americana) 
Veado-bororó-do-
sul (Mazama nana) 
Bororó de São Paulo 
(Mazama bororo) 
São herbívoros ruminantes, de hábitos crepusculares ou 
noturnos. 
. 
Suas patas são compridas, e a cauda é curta. A pelagem é, 
normalmente, castanha ou avermelhada. 
. 
A presença de cornos no topo da cabeça, geralmente 
ramificados, encontrados em todos os machos adultos. 
. 
Se locomovem apoiando no solo somente as extremidades 
dos dedos, protegidas pelo casco sendo assim chamados de 
Ungulados. 
CARACTERÍSTICAS DOS 
CERVÍDEOS 
A síndrome “ESTRESSE” é um fenômeno que ocorre a partir 
da chamada “reação de alarme” descrita inicialmente 
pela primeira vez na década de 30 por Hans Seyle. 
 
O que é o ESTRESSE? 
ESTRESSE 
A síndrome “ESTRESSE” é um fenômeno que ocorre a partir 
da chamada “reação de alarme” descrita inicialmente 
pela primeira vez na década de 30 por Hans Seyle. 
 
O que é o ESTRESSE? 
 
É um fenômeno adaptativo que tem por objetivo aliviar 
a ameaça percebida e manter o estado de equilíbrio 
no organismo e este equilíbrio se desfaz quando o 
estimulo “estresse” é muito intenso ou prolongado. 
ESTRESSE 
Os agentes estressores são classificados de 3 formas: 
 
•SOMATICOS: atuam diretamente sobre o corpo animal; 
como o calor, frio, pressão, ruídos. 
 
•PSICOLOGICOS: como apreensão, ansiedade, medo, 
terror, fúria, frustração. 
 
•COMPORTAMENTAIS: superpopulação, hierarquia e falta 
de contato com a população. 
ESTRESSE 
É uma síndrome produzida no processo de contenção, 
manuseio e transporte de animais selvagens, em que o 
estresse envolvido é a principal causa. 
 
Altos níveis de estresse em um animal selvagem podem 
gerar uma série de alterações fisiológicas como: O uso 
do metabolismo anaeróbio produzindo grande 
quantidade de ácido lático ocasionando o seu 
acumulo, severa acidose metabólica, necrose 
muscular secundária. 
O QUE É MIOPATIA? 
• Essa doença acomete: herbívoros selvagens e em 
cativeiros. 
• Caracterizado por: dor intensa, rigidez locomotora, 
incoordenação, oligúria, depressão e morte. 
 
• Sinônimos: Miopatia do stress 
 Poliomiopatia 
 Miopatia do transporte 
 Necrose muscular idiopática 
 Rabdomiólise 
MIOPATIA 
A Miopatia é classificada de 4 formas: 
 
1. Hiperaguda: É o quadro em que a morte ocorre em 
poucos minutos devido a falha no sistema 
cardiovascular. 
 
2. Aguda: Pode haver a ruptura muscular e os animais 
permanecem parados, com quadros de ataxia, nesta 
classificação a morte ocorre em um período de 18 a 24 
horas. 
 
MIOPATIA 
A Miopatia é classificada de 4 formas: 
 
3. Subaguda: Caracterizada por um quadro de acidose 
metabólica causando lesões musculares e renais. Nesta 
fase os animais permanecem caídos em Opistótono e 
morrem dentro de dias. 
 
4. Crônica: Os animais sobrevivem por dias ou meses até 
evoluírem ao óbito subitamente por um colapso 
cardíaco. Nesta fase o animal tem seu sistema imune 
comprometido tornando-o suscetível a outras 
enfermidades. 
 
MIOPATIA 
• Sinais clínicos 
 
• Anamnese 
 
• Histórico do animal (captura) 
 
• Medição de Lactato desidrogenase (LDH) 
 
 
DIAGNÓSTICO 
TRATAMENTO 
• A utilização de antibióticos de largo espectro é 
recomendada para prevenir infecções secundárias 
devido ao estresse, que por sua vez causa depressão do 
sistema imunológico do animal. 
• Fluido terapia pode ser utilizada para repor o balanço 
eletrolítico e pressão arterial. Podem ser conjugadas 
diversas substâncias como glicose, anticoagulantes, 
cardiotônicos e estimulantes do metabolismo 
intermediário (vitaminas B, C e E). Glicocorticoides podem 
ser administrados para tentar reverter quadro de colapso 
hemostático, caso ocorra. 
PREVENÇÃO E CUIDADOS 
• A prevenção é a melhor forma de se evitar a ocorrência 
desta enfermidade 
 
• A contenção deve apenas ser feita quando necessário e 
mesmo assim deve ser rápida com a melhor técnica de 
escolha evitando que seja a perseguição. 
 
• Material necessário disponível 
 
• Pessoal Treinado e a menor equipe possível 
 
• Horário adequado/ horas mais frescas do dia 
• O jejum reduz as taxas de glicogênio na musculatura, o 
que protege contra a excessiva liberação de lactato no 
músculo 
• Evite movimentos e barulhos bruscos 
• Evite procedimentos de captura/imobilização durante os 
períodos mais quentes e úmidos do ano e/ou dia. Caso 
isso não seja possível, mantenha a cabeça, as patas e as 
orelhas do animal constantemente úmidas e providencie 
para que uma vez capturado, o animal seja prontamente 
transportado para um lugar arejado e sombreado. 
PREVENÇÃO E CUIDADOS 
• Escolha o método de captura, dando preferência a 
contenção em armadilhas em vez das técnicas que 
requeiram perseguição. Caso esta seja necessária, limite-
a ao menor tempo possível. 
 
• Após a captura muitos animais estão desidratados, neste 
caso é importante fornecer muita água e um ambiente 
ventilado. 
PREVENÇÃO E CUIDADOS 
CONCLUSÃO 
OBRIGADA!

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.