A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
LEANDRA E GABRIELA

Pré-visualização | Página 1 de 3

Ferramentas para qualidade
Leandra, Gabriela, nayane e luana.
Ciclo PDCA
DESENVOLVEDOR: PDCA tornou-se popular pelo Dr. W. Edwards Deming, que é considerado por muitos como o pai do controle de qualidade moderno, no entanto, ele sempre se refere a ele como o "ciclo de Shewhart". 
APLICAÇÕES: PLANEJAR - Consiste no estabelecimento de objetivos e de processos fundamentais para garantir os resultados, conforme o que se espera atingir em termos de metas para a organização.
DESENVOLVER - Implementar o plano, executar o processo, fazer o produto. Coletar dados para mapeamento e análise dos próximos passos "Checar" e "Ajustar". Portanto esta etapa gera muito cuidado pois pode não ser a causa raiz.
CONFERIR - Estudar o resultado (medido e coletado no passo anterior “Desenvolver”) e compará-lo em relação aos resultados esperados (objetivos estabelecidos no passo “PLANEJAR”) para determinar quaisquer diferenças. Procurar por desvios principalmente na aplicação do plano e também olhar para a adequação e abrangência do plano permite a execução do próximo passo, ou seja, "AGIR".
AGIR - Tomar ações corretivas sobre as diferenças significativas entre os resultados reais e planejados. Analisar as diferenças para determinar suas causas. Determinar onde aplicar as mudanças que incluem a melhoria do processo ou produto.
OBJETIVO: Seu principal objetivo é tornar os processos da gestão de uma empresa mais ágeis, claros e objetivos. Segundo Vieira Filho “Esse método é largamente utilizado na busca da melhoria continua tão necessária para o sucesso dos negócios.”
5W2H
DESENVOLVEDOR: Surgiu no Japão, por profissionais da industria automobilística. 
APLICAÇÃO: A técnica consiste em equacionar o problema , descrevendo-o por escrito. A descrição mostra como o problema é sentido naquele momento particular: como afeta os processos, as pessoas, que situação desagradável o problema causa. A descrição deve considerar os seguintes aspectos: o quê, quem, quando, onde, por que, como e quanto custa.
OBJETIVO: esta técnica do 5W2H também pode ser utilizada para planejamento da solução.
Diagrama de Ishikawa
DESENVOLVEDOR: Originalmente proposto pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa.
APLICAÇÃO: Essa ferramenta da ao usuário uma lista de itens para serem conferidos por meio do qual se consegue uma rápida coleta de dados para várias análises. Essas informações são utilizadas para se obter uma localização da causa dos problemas, e utilizadas muito na segurança do trabalho.
OBJETIVO: A finalidade é organizar o raciocínio em discussões de um problema prioritário, em processos diversos, especialmente na produção industrial.
Histograma
DESENVOLVEDOR: O estudioso de estatísticas francês André-Michel Guerry.
APLICAÇÃO: É por intermédio do histograma que podemos analisas as variações que ocorrem nos processos, verificar se essas variações estão dentro da anormalidade ou se existem variações causais.
OBJETIVO: Todo o controle estatístico da qualidade é baseado na analise das variações ou variabilidade, que são diferenças nas magnitudes presentes universalmente nos produtos e serviços resultantes de qualquer atividade, e são considerados inimigos da qualidade.
Gráficos de dispersão
DESENVOLVEDOR: William Playfair.
APLICAÇÃO: Utiliza coordenadas cartesianas para exibir valores de um conjunto de dados.
OBJETIVO: O gráfico de dispersão pode ser usado quando uma variável contínua depende de outra variável contínua ou quando ambas as variáveis contínuas são independentes.
Cartas de controles
 DESENVOLVEDOR: Walter Andrew Shewhart
 APLICAÇÃO: Esta ferramenta deve ser usada para monitorar o processo de produção,controlando sua capacidade de atender ás especificações. Ou seja, controlar se os produtos gerados estão dentro ou fora dos limites superior e inferior.
 OBJETIVO: Tem o objetivo de estudar melhor os produtos e ocorrências de não conformidades nos processos de fabricação.
Fluxogramas
DESENVOLVEDOR: O primeiro método estruturado para o fluxo de um processo, o fluxograma, foi introduzido por Frank Gilberth. No início dos anos 30, um engenheiro industrial chamado Allan H. Mogensen começou a capacitar alguns homens de negócio a utilizarem esta ferramenta.
APLICAÇÃO: As etapas do fluxograma são apresentadas utilizando-se figuras geométricas que podem ser círculos, triângulos, retângulos, linhas ou setas, sendo que cada símbolo possui um significado importante.
OBJETIVO: Mostrar de forma descomplicada o fluxo das informações e elementos evidenciando a sequência operacional que caracteriza o trabalho que está sendo executado.
Gráficos de controles
DESENVOLVEDOR: Walter Andrew Shewhart
APLICAÇÃO: Este gráfico determina estatisticamente uma faixa denominada limites de controle que é limitada pela linha superior (limite superior de controle) e uma linha inferior (limite inferior de controle), além de uma linha média.
OBJETVO: O objetivo é verificar, por meio do gráfico, se o processo está sob controle, isto é, isento de causas especiais. 
Checklists
APLICAÇÃO: Uma checklist pode ser aplicada em várias atividades, e é usada frequentemente como ferramenta de segurança no trabalho, em inspeções de segurança. Na aviação, por exemplo, consiste em uma lista essencial que deve ser cumprida antes da decolagem e aterrissagem. Neste caso concreto, deve ser verificado o correto funcionamento de todos os equipamentos, motores, sistemas de comunicação em bordo, etc.
OBJETIVO: Tem por objetivo, não deixar nada passar no esquecimento.
GTD - Getting Things Done
DESENVOLVEDOR: David Allen
APLICAÇÃO: O GTD se baseia em cinco passos para fazer as coisas acontecerem:
Capturar – Tirar da cabeça todas as ideias e lembranças de coisas a fazer e passar para algum lugar mais confiável, como um papel. É bastante comum ver usuários de GTD andando com um bloquinho e caneta por aí.
Esclarecer – Tempo do dia em que você se dedica com foco e atenção para analisar cada uma das coisas que capturou. Existe um fluxograma (que vou colocar mais adiante) que guia todo o processo.
Organizar – Organizar é apenas um dos passos do GTD. Estamos falando de uma metodologia de produtividade, não de organização.  É importante ter suas listas organizadas para que possa acessá-las na hora certa e no lugar certo.
Refletir – Este é o momento do planejamento no GTD, quando definimos prioridades. Trata-se de uma revisão que fazemos de todo o nosso sistema para não perder nada de vista.
Engajar – É executar com significado. Saber que você está fazendo, naquele momento, a coisa mais importante que deveria estar fazendo – em vez de estar preocupado ou distraído com outro assunto. É a tranquilidade de saber que o que você não está fazendo está sob controle, porque você definiu prioridades.
OBJETIVO: O objetivo principal é “esvaziar a sua mente” para aliviar todo o estresse acumulado por tanta informação.
Pomodoro
DESENVOLVEDOR: Francesco Cirillo
APLICAÇÃO: Consiste em trabalhar por blocos de tempo, chamados de pomodoro. Cada pomodoro tem 25 minutos, durante os quais você tem que trabalhar em uma única tarefa, sem interrupções. No fim de cada pomodoro, você deve fazer uma pausa de 5 minutos. A cada quatro pomodori (plural de pomodoro), você deve fazer uma pausa maior, de 30 minutos.
OBJETIVO: Os objetivos da técnica são:
1- Aumentar sua concentração
2- Aumentar sua produtividade
3- Diminuir as interrupções
4- Aprender quanto tempo você demora em cada tarefa
5- Aliviar sua ansiedade
Timebox
APLICAÇÃO: A tradução literal de “time-box” é “caixa de tempo” que deve ser entendido como um intervalo de tempo para realização de uma atividade. Neste intervalo de tempo deve-se ter disciplina e foco para fazer o trabalho determinado, sem desvios e devaneios, utilizando o tempo disponível do melhor modo possível. É uma técnica simples, porém eficaz, de assegurar que etapas importantes do projeto sejam cumpridas e com o menor desperdício possível. Por exemplo, nas reuniões diárias da equipe de desenvolvimento, Daily Scrum, o time-box é de 15 min. Mas este conceito