A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
55 pág.
TCC versão final

Pré-visualização | Página 1 de 12

centro universitário salesiano de são paulo
UNIDADE SANTA TERESINHA
Angélica Alves de Nobrega
Fernanda Vitor de Sousa
Isabel Albuquerque Nonato
PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE STARTUP
são Paulo
2017
	Angélica Alves de Nobrega
Fernanda Vitor de Sousa
Isabel Albuquerque Nonato
	PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO De STARTUP
	
Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como exigência parcial para a obtenção do grau de Bacharel em Administração no Centro Universitário Salesiano de São Paulo. Orientador: Prof. Luciano Roberto de Castro Munari
	sÃO pAULO
2017
ANGELICA ALVES DE NOBREGA FERNANDA VITOR DE SOUZA ISABEL ALBUQUERQUE NONATO
PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO De STARTUP
	
Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como exigência parcial para a obtenção do grau de Bacharel em Administração no Centro Universitário Salesiano de São Paulo. Orientador: Prof. Luciano Roberto de Castro Munari
Trabalho de Conclusão de Curso defendido e aprovado em __. ___. ____, pela comissão julgadora:
 ___________________________________________________________
Prof. Esp., Luciano Roberto de Castro Munari, Centro Universitário Salesiano de São Paulo. 
 ___________________________________________________________
 
 ___________________________________________________________
resumo
O presente trabalho apresenta um estudo dos processos de desenvolvimentos de Startups, os jovens negócios inovadores que frequentemente ainda se encontram na fase de ideação de produto e serviços. Para tal, discussão apresentamos os principais referenciais teóricos sobre o tema a partir dos títulos: Business Model Generation (Alex Osterwalder & Yves Pigneur), Visão shumpeteriana de inovação e empreendedorismo (SCHUMPETER), jeito de pensar do design (Pinheiro e Alt). Exibimos os conceitos sobre o universo das Startups e do empreendedorismo e como a primeira está inspirando no mercado empreendedor. As metodologias de Design Thinking e Business Model Canvas que aperfeiçoam a inovação em produtos e ideias e a modelagem de negociosos são apresentados nos blocos posteriores para incremento do processo de desenvolvimento. Em finalização salientamos os principais meios de investimentos que as Startups têm a sua disposição e exibimos casos de empresas que optaram por desenvolver seus negócios com base nesse processo e hoje faturam milhões.
Palavras chaves: Empreendedorismo, Inovação, Startup e Modelo de Negócio.
INTRODUÇÃO
	A expressão Startup não é assim tão recente, antes havia sido transcorrido amplamente e mencionado por autores economistas já no começo do século XVII. Todavia, foi nas últimas décadas que ela obteve uma moderna forma com a vinda da “bolha da internet”, entre 1996 e 2001. Utilizada nos EUA há algumas décadas, foi só a partir da difusão das empresas “ponto com” que o termo foi ganhando inovadores contornos e se marca como uma nova abordagem empresarial. No entanto, é bastante comum a confusão entre empresas menores e negócios com a acepção atual de Startups. Deve haver “a percepção de que donos de pequenos negócios difeririam fortemente de empreendedores no que diz respeito a sua capacidade de inovação, de julgamento, criação de demanda, vontade de crescimento, assim como habilidade gerencial” (PENROSE, 1959). 
As Startups se deram início no período do desenvolvimento tecnológico entre 1996 e 2001, quando as empresas começaram a investir em novas ideias para o mercado da internet com o intuito de obter lucro, no Brasil o tema começou a ser popularizado entre os anos de 1999 a 2001, nessa época, as Startups eram conhecidas por serem empresas embrionárias, nascentes, que estavam buscando se erguer em situações de pleno planejamento ou no começo de uma empresa que daria início as suas operações, e que poderia ainda não estar em execução, mas estaria prestes a ser inaugurada. Contudo Ries (2011) acredita que o conceito de Startup está mudando, para ele, Startup é uma forma de desenvolvimento de novos produtos inovadores, tendo em consideração a relação e  perspicácia do cliente de forma rápida, ele explica que é totalmente complexo descrever o que foi feito de modo automático ou sem pensar, mas em sua visão é possível ter um método de como desenvolver uma Startup, não apenas cria-las de maneira instintiva, e sim ter um objetivo criando um empreendimento próspero.
No primeiro tópico iremos trazer informações para o centro das discussões o conceito do processo de desenvolvimento das Startups e mostrar como isso pode vir a impactar diretamente a maneira que as empresas atualmente estão progredindo de forma inovadora, que podem ser passos decisivos para uma alteração no planejamento e desenvolvimento de novos negócios, nesse contexto, a maior produção de estudos e conteúdos sobre o processo de desenvolvimento das Startups pode ser o início de uma transformação que começa na academia e estende seus reflexos para a realidade social e empresarial. Para o curso de Administração de Empresas e a área de conhecimento que envolve a gestão de negócios, pesquisas e trabalhos sobre Startups são cada vez mais necessárias e pertinentes.
Em continuação a estrutura o trabalho será presentado case de Startups inovadoras, dentro das suas particularidades, devem ser adeptas à Escalabilidade, devido à necessidade de se manter e crescer no mercado, tornando necessariamente que a receita seja maior que o custo, para obter lucro, utilizando a escalabilidade para analisar a concorrência de mercado em que as inovações serão inseridas, observando as vantagens do novo negócio, oportunidade para se enquadra no seu segmento.
Desta forma, o trabalho tem como objetivo geral explicar os conceitos e modelos utilizados atualmente na criação das Startups. Com isso pretende com os objetivos específicos: entender os conceitos de Startup propostas pelos principais autores, apresentar os processos necessários para a construção do modelo de negócio, analisar a metodologia do Design Thinking empregada nas Startups, comentar os cases de desenvolvimento das Startups Brasileiras.
O tema ainda é pouco abordado e não se conhece bem as variantes envolvidas no fenômeno Startups. No presente trabalho, será utilizado o modelo de pesquisa exploratória. O modelo foi escolhido, pois Startups são um movimento recente na concepção de novos negócios, especialmente no Brasil. “O objetivo da pesquisa exploratória é explorar ou examinar um problema ou situação para se obter conhecimento e compreensão”. (MALHOTRA, 2010). Segundo Gil (2002), seu planejamento é bastante flexível, de modo que possibilite a consideração dos mais variados aspectos relativos ao fato estudado.
Colocado esse cenário, a pesquisa será um trabalho para servir de ponto de vista para outras pesquisas. “A pesquisa exploratória é conduzida em uma amostra pequena e não representativa, portanto os resultados devem ser considerados como ponto de partida para uma pesquisa adicional.” (MALHOTRA, 2010).
No tempo em que jovens empresas se põem em figura passiva em conexão à demanda, com foco menos no desenvolvimento do negócio e menor em inovação, Startups atuam para compreender completamente a demanda de tal forma a impulsionar aceleradamente suas receitas e a concessão de valor percebido a sociedade e seus clientes.
EMPREENDEDORISMO
Para Schumpeter (1982), a Startup sendo utilizada como um ato empreendedor, é um risco, observando a dificuldade que o empreendedor de Startup apresenta em criar um modelo de negócios com riscos calculados. Schumpeter, tem uma visão onde o desenvolvimento econômico pode se processar com auxílio de três fatores importantes: as inovações tecnológicas, o crédito bancário e o empresário inovador