RELATÓRIO ESTÁGIO Clínica ADULTO
24 pág.

RELATÓRIO ESTÁGIO Clínica ADULTO


DisciplinaNutrição Clínica3.246 materiais18.090 seguidores
Pré-visualização4 páginas
FACULDADE ESTÁCIO DO AMAZONAS
BACHAREL EM NUTRIÇÃO
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO
EM NUTRIÇÃO CLÍNICA ADULTO
MANAUS
MARÇO DE 2018
KARINNY LIMA FARIAS
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO
EM NUTRIÇÃO CLÍNICA ADULTO
Relatório apresentado à Faculdade Estácio do Amazonas para obtenção de nota na disciplina de Estágio Sup
ervisionado em Nutrição Clínica.
Supervisor de Estágio: Maurício Rafael Novaes de Araújo
Professor Preceptor de Estágio: Maira Belo
MANAUS
MARÇO DE 2018
APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO HOSPITALAR
O Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Rinaldi Abdel Aziz está localizado na Avenida Torquato Tapajós, zona Norte de Manaus (AM), e conta com estruturas independentes para o atendimento de urgência e emergência de adultos e do público infantil e um moderno Centro de Diagnóstico. A unidade é administrada pelo Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (Imed) desde a inauguração em 2014.
O pronto-socorro conta com atendimento de urgência e emergência 24 horas por dia nas especialidades de pediatria, clínica médica e cirurgia em geral. Atende mais de 15 mil pacientes por mês. Na área do diagnóstico do pronto-socorro, a unidade conta com exames laboratoriais, raio-x e eletrocardiograma 24 horas por dia. Conta, ainda, com ultrassonografia para pacientes internados.
O Centro de Diagnostico é estruturado com equipamentos modernos para exames de raio x, ultrassonografia, ressonância, tomografia, mamografia, endoscopia, colonoscopia, ecocardiograma, holter, mapa (monitorização ambulatorial de pressão arterial) e teste ergométrico. O Centro de Diagnóstico funciona de segunda a sexta-feira, de 6h às 22h. Atende tende exclusivamente pacientes com exames marcados via Sistema de Regulação (Sisreg) do Amazonas.
O estágio ocorreu no turno VESPERTINO das 12:00h até 18:00h. Com total de carga horária 100 horas. 
INTRODUÇÃO
Observa-se que a alimentação dos indivíduos internados não ocorre de forma adequada, ocorrendo na maioria dos casos desnutrição, aumentando as complicações, consequentemente aumentando o período de internação.
No mundo inteiro, a desnutrição afeta pessoas de todas as idades. Crianças e idosos, por terem o organismo mais frágil, são os que mais sofrem. A desnutrição afeta não somente os países mais pobres e carentes de recursos, mas alas hospitalares de grandes hospitais.
Sendo resultado de uma série de fatores, podendo estar associada à doença e/ou ao tratamento, o que pode causar perda de apetite ou dificultar a ingestão de alimentos, a melhor maneira para prevenir e tratar a desnutrição é pela implementação da terapia nutricional precoce na pediatria.
 A terapia nutricional tem como principais objetivos prevenir e tratar a desnutrição, preparar o paciente para o procedimento cirúrgico e clínico, melhorar a resposta imunológica e cicatricial, modular a resposta orgânica ao tratamento clínico e cirúrgico, prevenir e tratar as complicações infecciosas e não infecciosas decorrentes do tratamento e da doença, melhorar a qualidade de vida do paciente, reduzir o tempo de internação hospitalar, reduzir a mortalidade e, consequentemente, reduzir custos hospitalares (MCCLAVE et al., 2013; DROVER et al., 2011; WAITZBERG et al., 2006). 
 A desnutrição relacionada ao aumento das infecções e a dificuldade de recuperação do paciente. Tendo em vista que nem todos os pacientes ingerem todas as refeições que lhes são servidas, uma maior deterioração do estado nutricional deles pode ocorrer por conta de uma ingestão dietética insuficiente. Por esse motivo, o papel do nutricionista atuando dentro da nutrição clínica é fundamental para a rotina hospitalar e a manutenção da saúde de seus pacientes, garantindo um bom equilíbrio de nutrientes e ajudando na redução da mortalidade e dos gastos em hospitais. 
Este estudo teve como objetivo aprofundar e aplicar os conhecimentos adquiridos na grade curricular do curso. Desenvolvendo capacidades que atuar como Nutricionista. Sempre visando em viver realidade profissional e dos hospitais de Manaus contribuindo para adquirir novos conhecimentos, capacidades e competências. 
DESENVOLVIMENTO
Revisão Bibliográfica: Fisiopatologia
3.1.1. Leucemia Mieloide
A leucemia mieloide aguda (LMA) é um tipo de câncer que pode acontecer em qualquer idade, mas as pessoas com mais de 65 anos são as que mais recebem o diagnóstico. Ela não é hereditária, mas ainda não se sabe o porquê de seu surgimento.
Sua principal característica é a superprodução de células imaturas (que acabaram de nascer), também conhecidas por blastos (tipos de glóbulos brancos, responsáveis por combater as infecções). Elas passam a se desenvolver de forma descontrolada e param de desempenhar sua função, a de proteger o organismo contra as bactérias, vírus. Em grande quantidade na medula óssea, bloqueiam a formação dos demais componentes do sangue (glóbulos vermelhos, responsáveis pela oxigenação do corpo, e plaquetas, que impedem as hemorragias). Por isso, sangramentos persistentes pode ser um sintoma comum.   
Por ser uma leucemia aguda, ela apresenta rápido desenvolvimento, o que torna extremamente importante dar início ao tratamento o quanto antes. A leucemia mieloide aguda pode causar diferentes sinais e sintomas. 
Sintomas Gerais
Os pacientes com leucemia mieloide aguda, muitas vezes, têm vários sintomas não específicos, que podem incluir:
Perda de peso.
Febre.
Sudorese noturna.
Fadiga.
Perda de apetite.
Estes não são apenas sintomas da leucemia mieloide aguda, e são mais frequentemente causados por outras doenças.
A maioria dos sinais e sintomas da leucemia mieloide aguda está relacionada à diminuição da produção de células sanguíneas normais da medula óssea, que ocorrem quando as células leucêmicas assumem o lugar das células normais na medula óssea. Esta queda é detectada nos exames de sangue, e pode causar sintomas, como: 
Problemas de Coagulação - os pacientes com leucemia mieloide aguda do tipo promielocítica aguda podem apresentar sangramento no nariz que não cessa ou um corte que não para de sangrar. Eles também podem apresentar trombose venosa profunda ou dor no peito e falta de ar devido a embolia pulmonar.
Dores Ósseas ou nas Articulações - Alguns pacientes têm dor óssea ou nas articulações provocadas pelo acúmulo de células leucêmicas nestas regiões.
Inchaço no Abdome - As células leucêmicas podem se acumular no fígado e no baço, provocando aumento desses órgãos. Isso pode ser percebido como sensação de saciedade ou inchaço na barriga.
Disseminação para a Pele - Se as células leucêmicas se disseminarem para a pele, podem provocar nódulos ou manchas, similares a erupções cutâneas comuns. Uma coleção de células de leucemia mieloide aguda sob a pele ou outras partes do corpo é denominada cloroma, sarcoma granulocítico ou sarcoma mieloide. Raramente, a leucemia mieloide aguda pode aparecer pela primeira vez como um cloroma sem células leucêmicas na medula óssea.
Disseminação para a Gengiva - Certos tipos de leucemia mieloide aguda podem se disseminar para as gengivas, provocando inchaço, dor e hemorragia.
Disseminação para os outros Órgãos - Às vezes, as células leucêmicas podem se disseminar para outros órgãos. Se a disseminação for para o cérebro e medula espinhal podem provocar sintomas, como:
Dor de cabeça.
Fraqueza.
Convulsões.
Vômitos.
Problemas com o equilíbrio.
Dormência Facial.
Visão turva.
Em raras ocasiões, a leucemia mieloide aguda pode se disseminar para os olhos, testículos, rins ou outros órgãos.
Aumento dos Gânglios Linfáticos - Em casos raros, a leucemia mieloide aguda pode se disseminar para os linfonodos, aumentando seu tamanho. Os linfonodos atingidos do pescoço, virilha, axila e clavícula podem ser sentidos como nódulos sob a pele.
Embora qualquer um dos sintomas e sinais acima possa ser provocado pela leucemia mieloide aguda, também podem ser devido a outras condições clínicas. Ainda