Est-NegElet-Aula-07

Est-NegElet-Aula-07


DisciplinaNegócios Eletrônicos3.465 materiais9.514 seguidores
Pré-visualização2 páginas
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Aula 7- Os Negócios Eletrônicos
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Objetivos desta aula
Conceituar E-commerce.
Analisar o comércio eletrônico e o ambiente virtual.
Identificar os modelos, os tipos e as vantagens do comércio eletrônico. 
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
4 Definições para o E-commerce
 E-commerce refere-se a usar a Internet, comunicações digitais e aplicativos de Tecnologia da Informação para possibilitar o processo de compra ou venda.
 Relações empresariais efetuadas através de mecanismos eletrônicos a fim de vender e/ou comprar produtos e prestar serviços, recorrendo a redes de telecomunicações do computador.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
4 Definições para o E-commerce
Subconjunto de E-Business, ou seja, ações de comércio digitais.
É o processo de transformação digital, ou seja, a transformação das relações (processos, fluxos, departamentos), relacionamentos com agentes (parceiros, clientes, fornecedores, colaboradores) e trocas (informações, conhecimento, recursos) a partir de meios digitais, incluindo ações e transações corporativas.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Análise dos Negócios Eletrônicos
Início do Comércio Eletrônico: 
 As aplicações do comércio eletrônico começaram nos primeiros anos da década de 70 com inovações, como transferência eletrônica de capital.
O Intercâmbio Eletrônico: 
 Essas transações eram limitadas e, a partir daí, surge o intercâmbio eletrônico de dados.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Análise dos Negócios Eletrônicos
Início do Comércio Eletrônico: 
As aplicações do comércio eletrônico começaram nos primeiros anos da década de 70 com inovações, como transferência eletrônica de capital.
O Intercâmbio Eletrônico: 
Essas transações eram limitadas e, a partir daí, surge o intercâmbio eletrônico de dados.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Análise dos Negócios Eletrônicos
Cenário Atual: 
Atualmente, não há uma grande empresa que não tenha um site na Web.
Aplicação do Comércio Eletrônico: 
As aplicações do comércio eletrônico tiveram as suas aplicações aceleradas a partir da comercialização da Internet e da introdução da Web, no inicio da década de 90, surgindo, assim, inúmeras aplicações, como o marketing direto em grande escala e até mesmo os leilões on-line.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
E-commerce e o Ambiente empresarial
O comércio eletrônico surgiu para:
 Acompanhar a crescente globalização dos negócios.
 Responder ao caráter dinâmico e evolutivo da sociedade em função da nova tecnologia que é a internet e a crescente busca por informação.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
E-commerce e o Ambiente empresarial
O comércio eletrônico é uma profunda mudança na economia comparada à Revolução Industrial. Esta não é uma tendência, é o início de uma nova revolução no mundo dos negócios que vai afetar a maneira que você e sua família vivem, trabalham e se divertem por toda a vida.
É a grande revolução do novo milênio! Um mundo sem barreiras e a infinita possibilidade de aumentar o número de clientes
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
E-commerce e o Ambiente empresarial
Comprar e vender pela Internet tornou-se uma necessidade básica para quem procura bons negócios.
Os números saltam a cada dia e o comércio na Web deverá movimentar R$ 28 bilhões em 2013 com um crescimento nominal de 25%.
Existe espaço para novos empreendimentos tanto no varejo quanto nas transações de negócios realizadas entre empresas através da Internet . No entanto, é preciso planejar muito bem o negócio! 
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
A evolução dos modelos de e-commerce
As primeiras aplicações de Comércio Eletrônico foram desenvolvidas no início da década de 1970:
 Transferência eletrônica de fundos (TEF).
Limitado a:
Grandes corporações.
Instituições financeiras.
Poucas outras empresas mais ousadas.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
A evolução dos modelos de e-commerce
Troca eletrônica de dados (EDI) \u2014 transferência eletrônica de documentos.
Pedidos de compra.
Faturas.
Pagamentos eletrônicos entre empresas. 
Fabricantes.
Varejistas.
Prestadores de serviços.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
A evolução dos modelos de e-commerce
 Sistemas interorganizacionais (IOS).
Comércio de ações.
Sistemas de reservas de viagens.
Quase toda organização de médio e grande porte no mundo tem hoje um site na Web.
A maioria das grandes empresas tem portais abrangentes.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
A evolução dos modelos de e-commerce
Business-to-business (empresa-empresa - B2B): 
Modelo de Comércio Eletrônico em que todos os participantes são empresas ou outras organizações. 
Business-to-consumer (empresa-consumidor - B2C): 
Modelo de CE em que as empresas vendem a compradores individuais. 
Consumer-to-business (consumidor-empresa - C2B): 
Indivíduos que usam a Internet para vender produtos ou serviços a organizações e/ou buscar vendedores a fim de lhes oferecer lances por produtos ou serviços de que necessitam.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
A evolução dos modelos de e-commerce
Consumer-to-consumer (consumidor-consumidor - C2C): 
consumidores vendem diretamente a outros consumidores.
Mobile commerce (m-commerce): 
Transações e atividades de CE conduzidas em ambientes sem fio.
Location-commerce (l-commerce): 
Transações de m-commerce direcionadas a indivíduos em locais específicos, em horários específicos.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
A evolução dos modelos de e-commerce
Comércio Eletrônico intranegócios (organizacional): 
Categoria de Comércio Eletrônico que inclui todas as atividades internas da empresa que envolvem a troca de bens, serviços ou informações entre várias unidades e indivíduos de uma organização.
Business-to-employee (empresa-funcionário - B2E): 
Modelo de Comércio Eletrônico em que uma organização fornece serviços, informações ou produtos a seus funcionários. 
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
A evolução dos modelos de e-commerce
Comércio colaborativo (c-commerce): 
Modelo de Comércio Eletrônico em que indivíduos ou grupos comunicam-se e colaboram on-line.
E-government: Government-to-citizens (governo-cidadão - G2C): 
Modelo de Comércio Eletrônico em que uma entidade governamental compra ou fornece bens, serviços ou informações a empresas ou cidadãos.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
A evolução dos modelos de e-commerce
Bolsa (eletrônica): 
e-Market que reúne muitos compradores e vendedores.
 
Exchange-to-exchange (bolsa-bolsa - E2E): 
Modelo de e-commerce em que bolsas eletrônicas conectam-se umas às outras para troca de informações.
Os Negócios Eletrônicos \u2013 AULA7
NEGÓCIOS ELETRÔNICOS
Prof. José Mauro Bianchi
Considerações para o E-commerce
A evolução dos