Anotações de Sociologia Jurídica
9 pág.

Anotações de Sociologia Jurídica


DisciplinaSociologia Jurídica6.491 materiais51.731 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Sociologia Jurídica
Sociologia Jurídica
Lições Preliminares De Sociologia Jurídica
A perspectiva Sociológica do Direito
O Direito é um conjunto de normas de conduta, universais, abstratas, obrigatórias e mutáveis, impostas pelo grupo social, destinadas a disciplinar as relações externas do indivíduo, objetivando prevenir e compor conflitos.
São normas:
Universais \u2013 Se destinam a todos;
Abstratas \u2013 Elaboradas para casos hipoteticamente considerados;
Obrigatórias \u2013 São de observância necessária, coercitiva;
Mutáveis \u2013 Estão sujeitas a constantes transformações, impostas pelo grupo e não somente pelo Estado.
As diferentes interpretações do fenômeno jurídico
O fenômeno do Direito admite que ele seja encarado de três maneiras:
1. Ele pode ser visto mediante a captação da realidade jurídica por meio de sua relação com as causas primeiras e os princípios fundamentais, no estudo da própria natureza do Direito e da sua significação essencial; temos, então, a Filosofia do Direito;
2. Pode ser encarado em termos adequados à atividade profissional dos juristas como um conjunto sistemático de normas de conduta, guardando lógica interna e de natureza dogmática; encontramos, sob esse aspecto, a ciência dogmático-normativa do Direito;
3. Pode ser olhada como fato social, realidade do que ocorre na sociedade, causa e conseqüência de outros fatos sociais, captando a realidade jurídica e projetando-a somente em relação a causas e princípios verificáveis; aqui estamos na área da Sociologia Jurídica.
	Direito
	Sociologia Jurídica
	Fato
	Eficácia
	Ser
	Ciência do Direito
	Norma
	Vigência
	Deve ser
	Filosofia do Direito
	Valor
	Fundamento
	Pode ser
Da mesma forma, o fenômeno jurídico também pode ser concebido como norma ou como conduta. Tanto numa, como noutra visualização, norma e conduta jurídica se implicam, pois a conduta jurídica é sempre normada e a norma sempre se refere à conduta social (a que ela atribui natureza jurídica).
	Conduta Jurídica
	
	Norma
	Conduta Social
	
	Norma
A definição de Sociologia Jurídica
Sociologia Jurídica ou Sociologia do Direito é disciplina científica que investiga, através de métodos e técnicas de pesquisa empírica (isto é, pesquisa baseada na observação controlada dos fatos), o fenômeno social jurídico em correlação com a realidade social. Ou seja: \u201ca Sociologia Jurídica indaga a realidade social total em função do direito, estudando as relações recíprocas existentes entre tal realidade social total e o direito\u201d (Souto, 1971, p.17).
A finalidade da Sociologia Jurídica
A finalidade da Sociologia Jurídica é estabelecer uma relação funcional entre a realidade social e as diferentes manifestações jurídicas, sob forma de regulamentação da vida social, fornecendo subsídios para suas transformações, no tempo e no espaço. 
O objeto da Sociologia Jurídica
Por objeto entende-se o campo específico de atuação de uma ciência, o fim a que se propõe o objetivo que visa alcançar. Portanto podemos dividir o objeto da Sociologia Jurídica em:
1. Estudo da eficácia das normas jurídicas e dos efeitos sociais que tais normas produzem;
2. Estudo dos instrumentos humanos de realização da ordem jurídica e de suas instituições;
3. Estudo da opinião do público a respeito do direito e das instituições jurídicas.
As tarefas da Sociologia Jurídica
As tarefas da Sociologia Jurídica podem classificar-se em gerais e aplicadas:
 Gerais:
1) direito e formas coercíveis (isto é, formas de coação possível, como a lei, a decisão judicial, o costume, etc. ); 
2) direito e outras formas de controle social; 
3) direito e mudança social; 
4) direito e realidade social.
Aplicados:
1) Mudança social;
2) Tendências de transformação;
3) Tendências para eficácia ou ineficácia social do conteúdo normativo desses sistemas ou dessas formas coercíveis vigentes;
4) A investigação das tendências para eficácia ou ineficácia social do conteúdo normativo de formas coercíveis em projeto;
5) Tendências para eficácia ou ineficácia social de formas coercíveis específicas em si mesmas. 
Importância do estudo da Sociologia Jurídica
O estudo da Sociologia Jurídica nos é importante por que:
a) Fornece elementos necessários à elaboração das leis;
b) Possibilitam ajustar as leis às novas realidades sociais;
c) Proporciona para o profissional do Direito uma visão mais ampla e real do fenômeno jurídico.
Como lembra Sánchez de La Torre, \u201cenfrentar os problemas do Direito em termos sociológicos é querer conhecer mais sua força e seu poder que suas palavras. A investigação do impacto do Direito na conduta humana aclararia muitas coisas aos legisladores, aos políticos, aos governantes, com respeito à natureza dos materiais com que trabalham\u201d (1965 pg. 68-69).
O Positivismo Jurídico
O Positivismo jurídico refere-se ao direito positivo, institucionalizado pelo Estado, de ordem jurídica e obrigatória em determinado lugar e tempo. Os apoiantes 
desta filosofia defendem que não existe necessariamente uma relação entre direito, moral e justiça, visto que as noções de justiça e moral são dinâmicas e não universais, cabendo ao Estado, dentro de limites materiais e formais, como detentor legítimo do uso da força, determinar as normas de conduta.
A partir da Filosofia Positiva de Comte, ao longo do século XIX, vão surgir diversas visões de como aplicar o positivismo ao Direito, tendo como premissas:
Os fatos sociais são vistos como \u201ccoisas\u201d; portanto, como propriedades imutáveis \u2013 fatos sociais imutáveis;
A realidade fática é determinante para as futuras ilações do pensamento dedutivo \u2013 aquele que depreende empiricamente da experimentação dos nexos causais;
A Ordem (estática) deve prevalecer sobre o Progresso (dinâmica).
É a partir destas premissas que o positivismo jurídico passa a elaborar o conceito de Jurisprudência.
Jurisprudência Filosófica: é uma discussão sobre a autonomia que o operador do Direito tem (magistrado) em relação à interpretação sobre o que o legislador escreveu;
Doutrina: faz-se sentir no momento da confecção da norma (legislativo);
O Direito não julga o fato social, o Direito julga o sentido da conduta humana que se transformou em fato social.
Tipos de jurisprudência:
Jurisprudência de Conceitos \u2013 Características:
Adequar o caso à lei;
Pouca autonomia da decisão jurídica;
Mais respaldo normativo, pois não vão dizer que a decisão está \u201cerrada\u201d, já que usou o que está na lei;
Neste caso, há uma possível obrigação ao cumprimento de leis \u201cinjustas\u201d.
Jurisprudência de Interesses (Ihering) \u2013 Características:
Adequar a lei ao caso;
Mais autonomia da decisão jurídica;
Poderá ser dito que foi tomada uma decisão \u201cerrada\u201d;
Não se obriga a obedecer a leis \u201cinjustas\u201d.
No tipo de Jurisprudência de Conceitos, ainda se verifica uma subdivisão de Escolas de Jurisprudência, ao longo de século XIX:
Escolas de Jurisprudência (de conceitos):
Pandectista (Alemã) \u2013 Principal autor: Puchta;
Exegese (Francesa) \u2013 Principal autor: Os jurisconsultos de Napoleão;
Analítica (Inglesa) \u2013 Principal autor: Austin.
Conceitos Importantes:
Positivo: significa que se formalizaram as normas;
Positivismo Jurídico: usam-se normas para controle social;
Dogmatismo: centralidade da norma sem admitir outros fundamentos jurídicos \u2013 sistema fechado ou hermético.
Controle social
O controle social compreende o conjunto de instituições, estratégias e sanções (legais e/ou sociais), cuja função é promover e garantir a submissão do indivíduo aos modelos e normas sociais. O controle social pode ser formal ou informal. Eles diferem entre si por conta do modus operandi e das sanções por eles preconizadas. Estas últimas, quando decorrentes do controle social formal, são sempre negativas e, frequentemente, também, estigmatizantes.
Direitos Sociais em face dos Direitos Humanos
Os direitos humanos são o resultado de uma longa história, foram debatidos ao longo dos séculos por filósofos e juristas.
O início desta alinhada remete-nos para a