A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
relatorio caps

Pré-visualização | Página 1 de 3

�
�
�
�
�PAGE \* MERGEFORMAT�6�
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO 
BACHAREL EM SERVIÇO SOCIAL
produção textual pertinente ao estágio curricular obrigatório iii
Bom Jesus da Lapa 
2018
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO 
BACHAREL EM SERVIÇO SOCIAL
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO III
------------------------------
Orientador Acadêmico
--------------------------------
Supervisor de Campo
Bom Jesus da Lapa 
2018
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO .........................................................................................................3
2 DESENVOLVIMENTO .............................................................................................6
3 CONCLUSÃO.........................................................................................................10
4 REFERÊNCIAS.......................................................................................................11
1 INTRODUÇÃO 
O presente relatório é uma exigência da disciplina de Estágio Supervisionado III, do Curso de Serviço Social da Universidade Pitágoras Unopar, sendo realizada no CAPS I, (CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL), localizado à Rua Alcebidias Fernandes Boa Sorte, Nº 128,, centro, Igaporã - Bahia. 
O Centro de Atenção Psicossocial, (CAPS I), é um serviço comunitário do Sistema Único de Saúde (SUS), que tem como objetivo cuidar de pessoas que sofrem com transtornos mentais, psicoses, neuroses graves e demais quadros, cuja severidade e ou persistência justifiquem sua permanência num dispositivo de cuidado intensivo,semi-intensivo e não intersico , personalizado e promotor de vida, em especial os transtornos severos e persistentes, no seu território de abrangência. Os direitos e a proteção das pessoas acometidas de transtorno mental, de que trata esta Lei, são assegurados sem qualquer forma de discriminação quanto à raça, cor, sexo, orientação sexual, religião, opção política, nacionalidade, idade, família, recursos econômicos e ao grau de gravidade ou tempo de evolução de seu transtorno, ou qualquer outra. De acordo com essa lei, a instituição psicossocial em sua abrangência possui meios de intervenção voltados aos usuários e seus familiares. Através da Reforma Psiquiátrica que “percorreu um longo caminho em que se constituíram as bases para a reorientação da assistência psiquiátrica”[. Posteriormente, passou-se a ter um novo olhar para a saúde mental do Brasil. Desta forma as pessoas com transtornos mentais puderam viver de forma digna, sem maus-tratos, e pelo que representam para a sociedade, tendo seus direitos respeitados.
O estágio supervisionado compreendido segundo as diretrizes curriculares do Serviço Social, como uma atividade curricular obrigatória, que se estabelece a partir da inserção do aluno no espaço sócio-ocupacional, com o objetivo de sua capacitação para o exercício profissional, muito contribuiu com o nosso processo de formação profissional uma vez que tivemos o contato direto com o desempenho de um papel fundamental na nossa formação como alunos, possibilitando-nos a inserção na prática profissional. 
Segundo Bernardes “O estágio constitui-se como campo de formação onde o aluno vai exercitar a prática profissional, aprendendo assim como ele está processando a teoria e a prática.”
O Estágio é regulamentado na Lei nº 8.662/93 de 07 de junho de 1993, onde cita sobre o exercício da profissão de assistente social, além de contemplar no seu artigo 5º questões sobre o estágio: “ Constituem atribuições privativas do assistente social: (...) VI – Treinamento, avaliação e supervisão direta de estagiários de Serviço Social.”
Segundo Burolla (1999, p. 13) “O Estágio é o lócus onde a identidade profissional do aluno é gerada, construída e referida: volta-se para o desenvolvimento de uma ação vivenciada, reflexiva e critica e, por isso, deve-se ser planejado, gradativamente e sistematicamente.”.
Esse processo de Estágio proporcionou o aprimoramento no processo do ensino aprendizagem no exercício da profissão do assistente social, voltadas para ações investigativas, interventivas, criativas, e, sobretudo éticas.
O Estágio curricular teve duração de 12 semanas com carga horária de 6 horas semanais, sendo equivalente a 150 (setenta e duas) horas. É válido ressaltar, que esse momento de Estágio Supervisionado ficou no âmbito da observação, reflexão e discussões teóricas. A inserção nesse processo possibilitou a troca de vivências e experiências entre os alunos envolvidos e o assistente social, onde os supervisionados refletem sobre a sua ação e a do profissional.
2 DESENVOLVIMENTO 
O CAPS I, (CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSOCIAL), na cidade de Igaporã - Bahia, foi inaugurado no dia 17/12/2009, (dezessete de dezembro de dois mil e nove), sendo, um fruto da união entre os municípios de Matina e Igaporã, o mesmo é um consórcio com o município de Matina - BA, onde ambos os municípios não tem o numero de habitantes exigidos por lei para implantação do mesmo, gerando assim essa união.
Os atendimentos são divididos igualmente entre os usuários de Igaporã e Matina, em partes iguais, dando assim maior assistência aos usuários, tornando possível a idealização de um serviço de tamanha importância, para a saúde pública dos dois municípios.
De acordo com a lei de criação Nº 10.216 de 06. 04. 2001, que dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtorno mental e redireciona  o modelo assistencial em saúde mental com a finalidade de acabar com os hospitais psiquiátricos e manicômios dando assim mais assistência de forma generalizada.
Ao longo da história da humanidade, as pessoas consideradas loucas foram excluídas da sociedade, ficavam escondidas em suas casas, onde só a família conhecia o problema e as aprisionavas, pois as mesmas eram tidas como agressivas, perigosas, possuídas ou paranormais. Mas atualmente essa realidade vem mudando, as autoridades e os médicos acreditam que pessoas com transtornos mentais, podem conviver sim como pessoas "lúcidas" e participar da vida em sociedade, por isso nosso dever é como assistente social e cidadão é, 
[...] retirar a loucura do enclausuramento e do isolamento em que vive há tantos anos. Precisamos perceber que a "loucura" não está só no outro e que, à medida que a negamos e a afastamos, excluímos do convívio social também as pessoas que dela sofrem. Deixamos de perceber suas particularidades e belezas. Deixamos de tratá-Ias como cidadãos também. Todos temos o direito de conquistar nossos desejos e de realizarmo-nos como pessoas. (MALAVAZI: 2008). 
A partir dessa discussão, surge os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) que é um serviço de saúde aberto e comunitário, do sistema Único de Saúde (SUS), substituindo aqueles grandes hospitais psiquiátricos de longa permanência, portanto, a relevância do projeto de intervenção voltado para “A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA PARA MELHOR EVOLUÇÃO DO TRATAMENTO DO USUÁRIO” no Município de Igaporã /Ba ",em unidade CAPS, que nasce da necessidade de entendermos o porquê os portadores de transtornos mentais do município de Igaporã, precisa de atenção tanto dos profissionais do CAPS quanto de seus familiares e da própria sociedade em si, justifica pelo fato do CAPS ser um lugar de referência para pessoas que sofrem com os transtornos mentais, lá o usuário faz atividades de reinserção social pelo acesso ao trabalho, ao lazer, aos exercícios dos direitos civis e o fortalecimento dos laços familiares e comunitários, além de um acompanhamento clínico. 
A função de apoio e de orientação das famílias dos usuários deve ser pensada como resultante das ações desenvolvidas pela equipe multidisciplinar do Centro de Atenção Psicossocial - CAPS, num processo coletivo que auxiliem a ampliação da capacidade de acolher esses

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.