PRÁTICA SIMULADA I AULA 03
5 pág.

PRÁTICA SIMULADA I AULA 03


DisciplinaPrática Real e Simulada Cível I23 materiais190 seguidores
Pré-visualização1 página
ECELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE MACAÉ-RJ
 Gerson, brasileiro, solteiro, médico, portador da carteira de identidade sob o nº xxx,xxx, inscrita no CPF sob o nº xxx, com o endereço eletrônico xxxx, domiciliado na rua xx,xxx,xxx,xxx, Vitória / ES, vem por seu advogado, infra-assinado com o endereço na rua xxx,xxxx,xxxx,xxxx, endereço eletrônico xxxx, propor a presente ação:
 ANULAÇÃO DE NEGÓCIO JURÍDICO
 Pelo rito comum, em face de Bernado, brasileiro, viúvo, xxx,xxxx, portador da carteira de identidade sob o nº xxx,xxx, inscrita no CPF sob o nº xxx,xxx, endereço eletrônico xxxxxx, domiciliado na rua xxxx,xxxx,xxxx, Bahia/BA, e Juliana, brasileira, solteira, menor impúbere, representada por sua genitora Julia, brasileira,xxx,xxxx, portadora de identidade sob o nº xxx,xxx, inscrita no CPF sob o nº xxx,xxx, endereço eletrônico, xxx , domiciliada na rua xxxx,xxxx, Macaé / RJ.
 
 DOS FATOS
 
 Gerson tem uma dívida como o seu credor Bernardo conforme nota promissória no valor de R$80,000.00 (oitenta mil reais) já vencida em 10/10/2016. Bernardo, dias após o vencimento da dívida e o não pagamento da mesma fez uma doação de seus dois imóveis, uma localizada cidade de Aracruz e o outro localizado em Linhares ambos em Espirito Santo, no valor de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais), para sua filha Juliana, menor impúbere, que reside em Macaé / RJ, com sua genitora.
 DOS FUNDAMENTOS
 No caso em tela podemos afirmar que houve uma fraude contra o credor, que caracteriza uma ação Pauliana, movida contra todos atos fraudulentos, devedor insolventes, pessoa que com ele celebrou o negócio, terceiro adquirente que agiu de má-fé.
 Frisa-se que atitude tomada pelo Bernardo fica claro que o mesmo agiu de má-fé em fazer a doação para sua filha para não ter os seus imóveis como pagamento de sua dívida.
 O presente feito encontra-se no Art. 158 c/c 171 inc. II do código civil.
 Art. 158; os negócios de transmissão de bens ou remissão de dívida, se os praticar o devedor já insolvente, ou por eles reduzido à insolvência, ainda quando ignore, poderão ser anulados pelas credoras quirografárias, como desvios dos seus direitos. 
§ 1º, igual direito assiste aos credores cuja garantia se torna insuficiente.
§ 2º, só credores que já o eram ao tempo daqueles atos podem pleitear a anulação deles. 
Art. 171; Além dos casos expressamente declarados na Lei, é anulável o negócio jurídico.
Inc. II- por vício resultante erro, dolo, coação, estado de perigo, lesão, ou fraude contra credores.
Art. 178; é de quatro anos o prazo de decadência para pleitear-se a anulação do negócio jurídico, contado:
No caso de coação, do dia em que cessar.
No erro, dolo, fraude contra credores, estado de perigo ou lesão, do dia que se realizou o negócio jurídico.
No ato de incapazes, do dia que cessar a incapacidade.
 DA JURISPRUDÊNCIA 
Apelação cível/ 2010.
Nº 70036795342
O acordão em anexo. 
 A DOUTRINA ENTENDE CONFORME FRANSCISCO AMARAL
A \u201cfraude contra credor é pertinente à matéria das obrigações, na parte referente às medidas conservatórias do patrimônio do devedor, com garantia do pagamento de sua dívida\u201d. (Direito civil, cit, p. 501, nota 48).
 
 DA AUDIÊNCIA DE MEDIAÇÃO / CONCILIAÇÃO
Diante exposto, requer a audiência de mediação e conciliação.
 
 DO PEDIDO
Em face do exposto, pede e requer;
Seja deseguinada audiência de tentativa de conciliação e mediação para o comparecimento.
Citação do réu para integrar o polo passivo na relação processual e querendo conteste o feito sob pena de revelia e confissão;
A procedência do pedido do autor para anular o negócio jurídico celebrado;
Intervenção do Ministério Público (Art. 82, I do CPC).
Seja julgado procedente o pedido para a condenação do réu nas custas e honorários advocatícios.
Gratuidade de justiça (conforme previsão expressa no art. 1.072 do CPC/2015.)
 DAS PROVAS
Requer a produção de todas as provas em direito admitidas, na amplitude do art. 369 do CPC em especial, prova documental, prova pericial, testemunhal e depoimento pessoal do Réu.
 DO VALOR DA CAUSA
Dar-se-á causa o valor de R$ 80.000,00 (oitenta mil reais), art 292, II do CPC.
 Rio de Janeiro xxx de xxxxx de xxxx.
 _________________________________
 Advogado /OAB/ UF