Questionário de História para o ENEM 9 de maio   Cópia
6 pág.

Questionário de História para o ENEM 9 de maio Cópia


DisciplinaQuestionário Enem - História8 materiais86 seguidores
Pré-visualização1 página
Questionário de História para o ENEM \u2013 09/05/2018
1. (Enem) 
A situação abordada na tira torna explícita a contradição entre a 
a) relações pessoais e o avanço tecnológico. 
b) inteligência empresarial e a ignorância dos cidadãos. 
c) inclusão digital e a modernização das empresas. 
d) economia neoliberal e a reduzida atuação do Estado. 
e) revolução informática e a exclusão digital.
2. O problema enfrentado pelo migrante e o sentido da expressão "sustança" expressos nos quadrinhos acima, podem ser, respectivamente, relacionados a:
a) rejeição / alimentos básicos. 		d) preconceito / vestuário. 
b) discriminação / força de trabalho. 		e) legitimidade / sobrevivência.
c) falta de compreensão / matérias-primas. 
3. A imagem acima retrata parte do mosaico romano de Nennig, um dos mais bem conservados que se encontram até o momento no norte da Europa. A composição conta mais de 160m² e apresenta como tema cenas próprias de um anfiteatro romano.
a) uma luta entre três gladiadores, prática popular entre membros da elite romana do século II d. C, que foi criticada pelos cristãos.
b) a popularidade das atividades circenses entre os romanos, prática de cunho religioso que envolvia os prisioneiros de guerra.
c) uma das ações da política do pão e do circo, estratégia da elite romana que usava cidadãos romanos na arena, para lutarem entre si e, assim, divertir o povo.
d) uma luta entre gladiadores, prática que tinha inúmeras unções naquela sociedade, como a diversão, a tentativa de controle social e a valorização da guerra.
e) n.d.a.
4. (Enem) TEXTO I
TEXTO II
Os santos tornaram-se grandes aliados da Igreja para atrair novos devotos, pois eram obedientes a Deus e ao poder clerical. Contando e estimulando o conhecimento sobre a vida dos santos, a Igreja transmitia aos fiéis os ensinamentos que julgava corretos e que deviam ser imitados por escravos que, em geral, traziam outras crenças de suas terras de origem, muito diferentes das que preconizava a fé católica.
 	OLIVEIRA; A. J. Negra devoção. Revista de Históriada Biblioteca Nacional, n. 20, maio 2007 (adaptado).
Posteriormente ressignificados no interior de certas irmandades e no contato com outra matriz religiosa, o ícone e a prática mencionada no texto estiveram desde o século XVII relacionados a um esforço da Igreja Católica para:
a) reduzir o poder das confrarias.		d) recrutar libertos para seu corpo eclesiástico.
b) cristianizar a população afro-brasileira.	e) atender a demanda popular por padroeiros locais.
c) espoliar recursos materiais dos cativos.
5. (Unesp) O conceito de \u201cguerra justa\u201d foi empregado, durante a colonização portuguesa do
Brasil, para:
a) justificar a captura, o aprisionamento e a escravização de indígenas.
b) justificar a instalação de missões jesuíticas em áreas de colonização francesa.
c) impedir a prisão e o exílio de lideranças e comunidades nativas hostis à colonização.
d) impedir o acesso de protestantes e judeus às áreas de produção de açúcar.
e) impedir que os nativos fossem utilizados como mão de obra na lavoura.
6. (Enem) A língua de que usam, por toda a costa, carece de três letras; convém a saber, não se acha nela F, nem L, nem R, coisa digna de espanto, porque assim não têm Fé, nem Lei, nem Rei, e dessa maneira vivem desordenadamente, sem terem além disto conta, nem peso, nem medida.
GÂNDAVO, P M. A primeira historia do Brasil: história da província de Santa Cruz a que vulgarmente chamamos Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 2004 (adaptado).
A observação do cronista português Pero de Magalhães de Gândavo, em 1576, sobre a ausência das letras F, L e R na língua mencionada, demonstra a:
a) simplicidade da organização social das tribos brasileiras.
b) dominação portuguesa imposta aos índios no início da colonização.
c) superioridade da sociedade europeia em relação à sociedade indígena.
d) incompreensão dos valores socioculturais indígenas pelos portugueses.
e) dificuldade experimentada pelos portugueses no aprendizado da língua nativa.
7. Unicamp) Compare as duas ilustrações de Angelo Agostini (1843-1910) sobre o reconhecimento
da República brasileira pela Argentina (fig.1) e pela França (fig.2).
Assinale a alternativa correta.
a) As alegorias expressam visões diferentes sobre o imaginário da República brasileira: na primeira ela é representada com um olhar de proximidade, e, na segunda o olhar expressa admiração, remetendo à visão corrente do gravurista sobre as relações entre Brasil, França e Argentina.
b) O reconhecimento da França traz a confraternização entre dois países com tradições políticas muito diferentes, porém unidos pelo constitucionalismo monárquico e posteriormente pelo ideário republicano.
c) No reconhecimento da Argentina ao regime republicano brasileiro, as duas repúblicas ocupam a mesma posição, indicando ter a mesma idade de fundação do regime e a similaridade de suas histórias de passado colonial ibérico.
d) As duas imagens usam a figura feminina para representar as três repúblicas, característica não usual para a representação artística do ideário republicano, protagonizado por lideranças masculinas.
e) n.d.a.
8. (Fuvest) Observe a tabela:
Os dados apresentados na tabela se explicam, dentre outros fatores.
a) pela industrialização significativa em estados do Nordeste do Brasil, sobretudo aquela ligada a bens de consumo.
b) pela forte demanda por força de trabalho criada pela expansão cafeeira nos estados do Sudeste do Brasil.
c) pela democracia racial brasileira, a favorecer a convivência pacífica entre culturas que, nos seus continentes de origem, poderiam até mesmo ser rivais.
d) pelos expurgos em massa promovidos em países que viviam sob regimes fascistas, como Itália, Alemanha e Japão.
e) pela supervalorização do trabalho assalariado nas cidades, já que no campo prevalecia a mão de obra de origem escrava, mais barata.
9. (Unicamp) Como os abolicionistas americanos previram, os problemas da escravidão não cessariam com a abolição. O racismo continuaria a acorrentar a população negra às esferas mais baixas da sociedade dos Estados Unidos. Mas se tivessem tido a oportunidade de fazer uma viagem pelo Brasil de seus sonhos \u2013 o país imaginado por tanto tempo como o lugar sem racismo \u2013 eles teriam concluído que entre o inferno e o paraíso não há uma tão grande distância afinal.
(Adaptado de Célia M. M. Azevedo, Abolicionismo: Estados Unidos e Brasil, uma história comparada (século XIX). São Paulo: Annablume, 2003, p. 205.)
Sobre o tema, é correto afirmar que:
a) A experiência da escravidão aproxima a história dos Estados Unidos e do Brasil, mas a questão do racismo tornou-se uma pauta política apenas nos EUA da atualidade.
b) Os abolicionistas norte-americanos tinham uma visão idealizada do Brasil, pois não identificavam o racismo como um problema em nosso país.
c) A imagem de inferno e paraíso na questão racial também é adequada às divisões entre o sul e o norte dos EUA, pois a questão racial impactou apenas uma parte daquele país.
d) A abolição foi uma etapa da equiparação de direitos nas sociedades norte-americana e brasileira, pois os direitos civis foram assegurados, em ambos os países, no final do século XIX.
e) n.d.a.
10. 
 
O cartum, publicado em 1932, ironiza as consequências sociais das constantes prisões de Mahatma Gandhi pelas autoridades britânicas, na Índia, demonstrando
a) a ineficiência do sistema judiciário inglês no território indiano.
b) o apoio da população hindu à prisão de Gandhi.
c) o caráter violento das manifestações hindus frente à ação inglesa.
d) a impossibilidade de deter o movimento liderado por Gandhi.
e) a indiferença das autoridades britânicas frente ao apelo popular hindu.