A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
Apostila - Histologia dos sistemas 2013

Pré-visualização | Página 1 de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS 
INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 
 
 
 
 
 
 
 
 
HISTOLOGIA DOS SISTEMAS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Departamento de Morfologia 
CURSO DE NUTRIÇÃO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2013 
 
 
 2
 
 
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS 
INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 
DEPARTAMENTO DE MORFOLOGIA 
CURSO: NUTRIÇÃO 
 
 
 
 
 
HISTOLOGIA DOS SISTEMAS 
 
 
 
 
 
 
 
DISCIPLINA: SISTEMA FUNCIONAIS DO CORPO HUMANO 
 
 
 
 
Autores dos Capítulos Originais 
Amélia Dulce Villela de Carvalho 
Conceição Ribeiro da Silva Machado 
Marco Jacques Magalhães 
Robson de Barros Rossoni 
 
 
Revisor dos Capítulos 
 
Hélio Chiarini-Garcia 
 
 
 
 
 
2013 
 
 
 
 3
ÍNDICE 
 
 
 Página 
 
Sistema Circulatório 04 
Sistema Respiratório 07 
Sistema Digestivo 10 
Fígado e Pâncreas 16 
 
 4
SISTEMA CIRCULATÓRIO 
 
 
Prof. Marco Jacques Magalhães 
 
 
O sistema circulatório possibilita o movimento de todos os líquidos corporais e é formado pelos 
seguintes componentes: 
 
 
1. VASOS SANGUÍNEOS 
 
Artérias: 
 - elásticas ou de grande calibre 
 - musculares de médio calibre 
 - musculares de pequeno calibre ou arteríola 
Veias: 
 - musculares ou de grande calibre 
 - fibrosas de médio calibre 
 - fibrosas de pequeno calibre ou vênula 
Capilares: 
 - comuns contínuos - sem poros 
 - comuns fenestrados - com poros 
 - sinusóides 
 
2. VASOS LINFÁTICOS - não serão objeto de estudo 
 
3. CORAÇÃO 
 
 ARTÉRIAS 
 
 
 
As artérias apresentam as seguintes características gerais que precisam ser bem conhecidas: 
a - parede espessa em relação ao diâmetro do lume; 
b - lume bem aberto e regular; 
c -três túnicas bem individualizadas: íntima ou interna, média e externa ou adventícia; 
d -presença da membrana limitante elástica interna na túnica íntima, separando a túnica 
 íntima da túnica média. 
Nota: a túnica média é utilizada para o diagnóstico das artérias. 
Os constituintes das túnicas são os seguintes: 
Túnica íntima ou interna 
Formada por endotélio, tecido conjuntivo subendotelial e membrana limitante elástica interna. Do 
endotélio observa-se apenas o núcleo da célula endotelial fazendo saliência para o lume do 
vaso. O tecido conjuntivo subendotelial é escasso - quando visto - apresenta-se como pequena 
faixa acidófila. A membrana limitante elástica interna é pouco diferenciada por se confundir com 
as lâminas elásticas da túnica média. Pode-se considerar, para efeito de identificação, como 
sendo a primeira lâmina visível após o endotélio e tecido conjuntivo subendotelial. 
 
 
 5
Túnica média 
Nas artérias elásticas constitui-se por grande quantidade de lâminas elásticas dispostas 
concentricamente e que, com a técnica de coloração para identificação de material elástico, 
aparecem coradas em negro. Já nas artérias musculares, observa-se predomínio de células 
musculares lisas dispostas concentricamente. 
Túnica adventícia ou externa 
Constituída por tecido conjuntivo, relativamente espesso, com fibras elásticas e pequenos vasos 
sanguíneos (vistos em apenas algumas lâminas) que irrigam a própria túnica adventícia e parte 
da túnica média. Dá-se o nome de vasa vasorum ao “conjunto” dos pequenos vasos da 
adventícia. Pode-se encontrar capilares e, dependendo do calibre da artéria, arteríolas. Em 
algumas lâminas, há tecido conjuntivo adiposo mais externamente. A vasa vasorum é mais bem 
identificada nas artérias de médio calibre das lâminas 42 e 43. 
 
ARTÉRIAS MUSCULARES OU DISTRIBUIDORAS 
 
A principal característica destas artérias é a presença dominante de músculo liso na túnica 
média. Através do relaxamento ou contração deste músculo, controla-se o diâmetro da artéria e, 
consequentemente, o fluxo sanguíneo. 
Didaticamente são subdivididas em: 
a) artéria muscular de médio calibre, quando possui mais de cinco camadas de células 
musculares lisas na túnica média (pode atingir mais ou menos 40 camadas); 
b) artéria muscular de pequeno calibre ou arteríola, quando possui até cinco camadas de células 
musculares lisas na túnica média. 
 
 
LÂMINA nº 42 e 43 - artérias musculares - HE 
Artéria muscular de médio calibre 
Identificar as três túnicas que nesta coloração são bem individualizadas. Observe: 
a) túnica íntima - endotélio, tecido conjuntivo subendotelial e membrana limitante elástica interna 
evidente; 
b) túnica média - com mais de cinco camadas de células musculares lisas; 
c) túnica adventícia - de tecido conjuntivo, espessa e com pequenos vasos que constituem 
 a vasa vasorum. 
 
 
Artéria muscular de pequeno calibre ou arteríola 
Observe as seguintes características: 
a) túnica íntima - endotélio, tecido conjuntivo subendotelial (não identificável) e membrana 
limitante elástica interna; 
b) túnica média - com até cinco camadas de células musculares lisas; 
c) túnica adventícia - de tecido conjuntivo, delgada e mal definida. 
 
 
 
 
 
 6
VEIAS 
 
A morfologia das veias é extremamente variável, sendo sua sistematização difícil. 
 
Apresentam as seguintes características gerais que devem ser bem conhecidas: 
a - parede fina em relação ao diâmetro do lume; 
b - lume irregular e amplo; 
c- três túnicas mal individualizadas; as túnicas média e adventícia não apresentam separação 
nítida 
Nota: algumas veias podem apresentar válvula que são pregas da túnica íntima. 
LÂMINA nº 43 - Feixe de vasos sanguíneos e nervos - HE 
 
Não há necessidade de identificar os tipos de veias, o aluno deverá exclusivamente diferenciar 
as veias fibrosas de médio calibre e fibrosas de pequeno calibre das artérias musculares de 
médio e musculares de pequeno calibre, através de suas características gerais. 
Identificar as veias (médio e pequeno calibre) através de sua túnica mais desenvolvida - túnica 
adventícia - que é constituída exclusivamente por tecido conjuntivo denso. 
Nota: em geral, as veias situam-se ao lado de artérias de mesmo calibre que o seu. Desta forma, 
identificar vênulas quando próximas de arteríolas. As veias fibrosas de médio calibre (quando 
presentes na lâmina) ao lado de artérias musculares de médio calibre. 
 
CAPILARES SANGUÍNEOS 
 
Capilar sanguíneo comum 
 
Formado por uma única camada de células pavimentosas - células endoteliais - que se apóia 
sobre uma lâmina basal. Ao longo dos capilares são encontradas células de origem 
mesenquimatosa envolvendo parcialmente as células endoteliais. São as células adventiciais ou 
pericitos. 
Nota: a distinção entre capilar comum contínuo e capilar comum fenestrado, somente é possível 
na microscopia eletrônica. 
LÂMINA nº 57 - Esôfago - capilares comuns - HE 
 
No tecido conjuntivo, logo abaixo do epitélio estratificado do esôfago, identificar cortes 
transversais de capilar comum contínuo, Apresentam de um a três núcleos de células endoteliais 
que delimitam o lume (ou luz) do capilar. O citoplasma não é visível. A lâmina basal onde se 
apóiam as células endoteliais não é evidenciada nesta preparação. 
 
 7
SISTEMA RESPIRATÓRIO 
 
 
Prof. Marco Jacques Magalhães 
 
 
O sistema respiratório é composto pelas vias aéreas extrapulmonares e pelos pulmões. 
 
 
Vias aéreas extrapulmonares: 
 -fossas nasais 
 -nasofaringe 
 -laringe 
 -traquéia 
 -brônquios primários 
 
 
Pulmões 
 1- folheto visceral da pleura (revestimento externo) 
 2- formações conjuntivo-elásticas 
 3- vias aéreas intrapulmonares: 
- extralobulares: brônquios secundários ou lobares e brônquios terciários 
 ou segmentares. 
 - intralobulares: bronquíolos terminais. 
 4- parênquima pulmonar: 
 - bronquíolos respiratórios 
 - canais ou ductos alveolares 
 - sacos alveolares