A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Apostila Massagens Terapêuticas - RTM

Pré-visualização | Página 1 de 1

FISIOTERAPIA
MASSAGENS TERAPÊUTICAS
Massagem de Drenagem Linfática
Grego: Massein = amassar.			Árabe: Masech: palpar
Massagem: Assegurar saúde e beleza
A massagem de drenagem linfática é um método terapêutico que visa aumentar a capacidade de condução da linfa, pelos vasos linfáticos favorecendo assim, a distribuição de líquidos intracelulares.
Um dos objetivos da massagem de drenagem é aprimorar algumas funções do sistema linfático e dentre seus principais benefícios podemos citar:
Redução de edemas linfáticos, pós-operatórios, celulite, linfedema entre outros.
Proporciona a regeneração e a defesa dos tecidos
Aumenta a diurese e a eliminação de toxinas
A técnica de drenagem linfática é complexa, representada por um conjunto de manobras muito específicas. Essas manobras devem ser realizadas com pressões suaves, lentas, intermitentes e relaxantes, que seguem o trajeto do sistema linfático, mobilizando a linfa até os gânglios linfáticos.
O método de drenagem linfática foi descoberto pelo casal dinamarquês Estrid e Emil Vodder entre,1932 e 1936. Esse método utiliza pressões graduadas e constantemente alteradas, imitando as contrações próprias da musculatura lisa dos vasos linfáticos e acompanhando o ritmo dos mesmos; objetivando diretamente o aumento do volume de linfa admitido pelos capilares linfáticos e o aumento da velocidade de seu transporte através dos vasos e ductos linfáticos.
Essa técnica de drenagem está baseada nos trajetos dos coletores linfáticos e linfonodos, associando basicamente três categorias: 
1- Manobras de captação ou chamada: É realizada diretamente sobre o segmento edemaciado, visando aumentar a captação da linfa pelos linfocapilares.
2- Manobras de reabsorção: As manobras são realizadas nos pré-coletores e coletores linfáticos.
3- - Manobras de evacuação: Ocorre nos linfonodos 
A realização da drenagem linfática precisa ser de acordo com um esquema já estabelecido por Vodder e com as seguintes características das manobras:
- Realização em grandes superfícies. 
- Manobras lentamente deslizantes.
- Duração da pressão de cerca de um segundo, finalizando com fase de descanso de aproximadamente cinco a sete segundos, quando a manobra deve ser novamente efetuada no mesmo local.
- Repetição da manobra no total de cinco a sete vezes por segmento tratado
- Manobras na direção do fluxo linfático
- As manobras não devem causar dor ou eritema na pele.
Indicações da drenagem linfática:
Edemas 
Linfedemas
Fibro edema ginóide
Queimaduras
Enxertos
Dores musculares
Gravidez
Pré e pós cirurgia plástica
Outras
Contra-Indicações da drenagem linfática:
Febre
Trombose
Infecções
Neoplasias
Viremias
Eczema agudo
Insuficiência cardíaca
Síndrome do seio carotídeo
Insuficiência renal
Cuidados com a drenagem linfática:
Pacientes com hipotonia
Asma Brônquica
Doenças cardiocoronárias
DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL SEGMENTADA - (MÉTODO VODDER)
DRENAGEM DO ABDÔMEN
Respiração diafragmática			B- Respiração abdominal
C-Deslizamentos superficiais e profundos circulares a partir da cicatriz onfálica.
D-Deslizamentos superficiais e profundos na lateral do tronco em duas etapas com bombeamento axilar.(DRENAGEM)
E-Deslizamentos pelos arcos costais (superficialmente) e ilíaco com bombeamento inguinal. .(DRENAGEM)
F-Amassamento transverso + Drenagem		G-Petrissagem + Drenagem
H-Malaxacion + Drenagem
I-Rolamentos (centro para lateral: dedos fixos polegar anda) + Drenagem
J-Compressão + Drenagem
L-Pinçamentos vibratórios + Drenagem
M-Mariposa + Drenagem
N-Deslizamento profundo cruzado na cintura
O-Respiração abdominal com vibração na final da expiração
				
DRENAGEM DA COXA
Bombeamento inguinal: 5 compressões – intervalo de 4X.
Deslizamentos superficiais e profundos: 2 tempos (pressão e deslizamento), primeiro fazer na coxa interna, anterior e em seguida externa. (DRENAGEM).
Bombeamento inguinal. (DRENAGEM).
D- Amassamento transverso + Drenagem	E-Petrissagem + Drenagem
Compressão + Drenagem
				
Amassamento superficial digital + Drenagem
Pinçamentos vibratórios + Drenagem	I- Compressão circular + Drenagem
DRENAGEM DO JOELHO
Bombeamento da fossa poplítea
Deslizamentos superficiais e profundos ao redor da patela no sentido de externo para interno (DRENAGEM).
Amassamento ao redor da patela em direção á região interna + Drenagem
Plissage (rolamento) + Drenagem
Compressão + Drenagem
Mobilização da patela + Drenagem
Bombeamento da fossa poplítea (com joelho flexionado).
DRENAGEM DA PERNA
Deslizamentos superficiais e profundos na face anterior, interna e externa com bombeamento na fossa poplítea (DRENAGEM).
Petrissagem na panturrilha (com perna semi-fletida): polegares sobre a tíbia: 4 dedos no sentido de separar alinha média da panturrilha + Drenagem
C- Amassamentos + Drenagem
D- 6- Pressão no tarso entre o tendão de Aquiles e maléolos (interno: R2 (rim) – externo: B62 (bexiga).
E- Deslizamentos ao redor dos maléolos
F- Deslizamentos superficiais e profundos em todo tornozelo+ Drenagem
DRENAGEM DO PÉ
Deslizamentos superficiais e profundos em todo pé
Deslizamentos nos espaços entre os metatarsos (com polegar)
Fricções circulares nas cabeças dos metatarsos (sola dos pés, movimentos circulares com o polegar)
Mobilização de todas as articulações possíveis
Deslizamentos superficiais e profundos na face interna do pé.
Compressão na planta do pé
Deslizamentos superficiais e profundos em todo o pé.
		
MANOBRAS FINAIS DA DRENAGEM DOS MEMBROS INFERIORES.
Compressão circular em todo membro, no sentido de distal para proximal.Bracelete
Vibração de distal para proximal
Tração do membro com vibração.
DRENAGEM REGIÃO POSTERIOR 
Seguem as mesmas manobras da região anterior. Deve-se, somente observar a direção das manobras.
Pressão desliza, solta, bombeia e deslizamento. (DRENAGEM).
Petrissagem + Drenagem
Amassamento + Drenagem
Amassamento + Drenagem
E- Pinçamentos + Drenagem
F- Compressão circular + Drenagem
DRENAGEM DAS COSTAS
Deslizamentos superficiais e profundos no sentido da circulação (DRENAGEM).
Amassamentos transversos nas laterais + Drenagem
Amassamentos transversos do centro para as laterais + Drenagem
Petrissagem + Drenagem
			
Deslizamentos digitais nos paravertebrais + Drenagem
Amassamentos digitais ao redor do sacro e em cima dele + Drenagem
Drenagem na crista ilíaca
Compressão dos glúteos contra a crista ilíaca.
Trabalho na escápula: A- Paciente com a mão para trás, cotovelo para baixo, levantamos o ombro, realiza-se deslizamento com vibração ao redor da escápula e B- mobilização da escápula.
Mobilização dos ombros
Mobilização do quadril
Trações com as mãos cruzadas
Tração global: Um braço manobra o sacro e o outro desliza.
Deslizamento nos espaços intervertebrais: serpente.
Apoio na cintura escapular e pélvica: Movimento de ninar.
Vibração
Efleurage em sentido dos pés.
Outras Manobras:
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
A
B
C
D
E
H
G
F
J
L
O
N
M
C
B
A
F
E
D
I
H
G
C
B
A
B
A
C
D
F
E
C
B
A
E
F
G
D
C
B
A
A
C
B
A
E
F
A
D
C
B
F
E
H
G
I
L
K
J
N
M
O